Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

Enkontra.com
PUBLICIDADE

Maringá

Candidatos derrotados avaliam 1º turno e começam a definir apoio para o 2º turno

Para todos que ficaram de fora da segunda etapa, o primeiro turno foi positivo. Hércules Ananias (PSDC) deve apoiar Pupin e Débora Paiva (Psol) pedirá que a população vote nulo

  • Octávio Rossi - Especial para a Gazeta Maringá
  • Atualizado em às
 
0 0 COMENTE! [0]
TOPO

Em Maringá, os seis candidatos que ficaram de fora da disputa pela cadeira de prefeito avaliaram de forma positiva toda a trajetória do primeiro turno. Nesta semana, Wilson Quinteiro (PSB) , Doutor Batista (PMN), Maria Iraclézia (DEM), Hércules Ananias (PSDC), Débora Paiva (PSOL) e Alberto Abraão (PV) informaram que vão participar de reuniões nos respectivos partidos, a fim de avaliar possível manifestação de apoio aos candidatos Carlos Roberto Pupin (PP) e Enio Verri (PT), que estão no segundo turno.

Segundo avaliação da assessoria de imprensa de Wilson Quinteiro (PSB), que obteve 10,54% dos votos, a própria campanha foi bem aceita pela população e refletida nas urnas. Quanto ao apoio a algum candidato do segundo turno, a decisão depende da definição da legitimidade da candidatura de Carlos Roberto Pupin (PP), ainda sub judice.

Para Doutor Batista (PMN), que somou 5,82% dos votos, a própria campanha foi limpa e com respeito para com o eleitor. "Sabíamos que seria uma eleição dura, com disputa muito forte, mas sempre acreditamos em nosso trabalho. A população fez uma opção e nós respeitamos." Sobre o apoio para o segundo turno, disse que ainda é cedo. "Iremos fazer um estudo, conversar com a nossa base, com os nossos eleitores", afirmou.

Maria Iraclézia (DEM), que, em sua primeira incursão política, foi a quinta mais votada com 5,24% dos votos, avaliou positivamente a trajetória no primeiro turno. "Fizemos uma campanha muito boa e séria. Respeitamos o maringaense e tivemos uma avaliação sempre positiva em todos os lugares por onde passamos", frisou. Assim como Doutor Batista, ela considerou precipitado apontar apoio para o segundo turno nesta segunda-feira (8). "Agora é momento de conversar com nosso partido", alegou.

O presidente do PSDC, Herculano dos Reis Ferreira, cujo candidato era Hércules Ananias, que conseguiu 0,53% dos votos, a campanha serviu para dar visibilidade ao partido e que o apoio para o segundo turno está praticamente definido. "Sabíamos das possibilidades do nosso partido, mas conseguimos atingir o objetivo que era a visibilidade", disse. "Nosso apoio para o segundo turno está bem claro, pelo posicionamento de nossa executiva é natural que seja para o Pupin."

Débora Paiva (PSOL) que obteve 0,49% dos votos, informou que não vai apoiar nenhum dois dois candidatos ao segundo-turno. "Seria incoerente da nossa parte. Mas agora é hora do eleitor maringaense votar no menos pior."

o que você achou?

deixe sua opinião

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE