PUBLICIDADE
  1. Home
  2. Pecuária
  3. Por ‘cautela’, Paraná inicia segunda etapa da vacinação contra aftosa
Pecuária

Por ‘cautela’, Paraná inicia segunda etapa da vacinação contra aftosa

No início do ano, intenção do governo estadual era de que a campanha de maio fosse a última. Porém, problemas com a contratação de funcionários e a construção de postos de fiscalização adiaram o plano.

Josué Teixeira/Gazeta do Povo Nove milhões de animais serão imunizados até o final do mês, quando encerra o prazo para vacinação. | Josué Teixeira/Gazeta do Povo

Nove milhões de animais serão imunizados até o final do mês, quando encerra o prazo para vacinação.

Em meio a discussão se o Paraná está preparado para requisitar o status de área livre de febre aftosa sem vacinação, a Agência de Defesa Agropecuária (Adapar), vinculada à Secretaria Estadual da Agricultura e do Abastecimento (Seab), iniciou, no último dia 1º, a segunda etapa anual da campanha de vacinação contra a doença. A meta é vacinar as 9,15 milhões de cabeças do rebanho estadual de bovino e de búfalos de todas as idades (mamando a caducando). Na última campanha, em maio, foram vacinados os animais de zero a 24 meses de idade e o índice de vacinação atingiu 97%.

A campanha segue até o dia 30 de novembro. Nesta etapa, a fiscalização por parte da Adapar será maior por conta da contratação de novos servidores, oriundos de concurso público.

Além disso, a Adapar está revitalizando os 33 postos de fiscalização existentes nas fronteiras com os estados do Mato Grosso do Sul e São Paulo - Santa Catarina já conta do as estruturas. Cinco estão em processo de licitação para construção de unidades novas. O objetivo é aumentar a fiscalização do trânsito interestadual de animais.

Após a aplicação, o produtor tem duas forma de comprovar a vacinação. A primeira, e ainda mais usual, é preencher o comprovante de vacinação, relacionando a quantidade de animais existentes na propriedade e de animais vacinados, por sexo e por idade e depois entregar nas Unidades Locais de Sanidade Agropecuária da Adapar. A outra, on-line, é realizando o mesmo procedimento no endereço eletrônico: www.adapar.pr.gov.br.

Multa

Ao final do prazo da campanha, o produtor que não vacinar será autuado e poderá ser multado. Para quem tem até 10 cabeças na propriedade, a multa será de R$ 799. Acima desta quantidade, a multa será de R$ 79,90 por cabeça não vacinada

Discussão

No início do ano, o governo estadual chegou a anunciar que a etapa de vacinação em maio seria a última, pois iria pleitear junto à Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) a conquista do status de área livre da doença sem vacinação.

A medida dividiu opiniões em diversos elos da cadeia produtiva em função dos riscos de reaparecimento da doença até o impacto econômico em feiras agropecuárias. Na ocasião, representantes da Seab declaram que a conquista do reconhecimento internacional é o primeiro passo para a abertura de mercados maiores e mais rentáveis à proteína paranaense.

VOLTAR AO TOPO

NOTÍCIAS POR CULTURA