PUBLICIDADE
Reginaldo Grebogge (ao volante), que roda cerca de 200 km por dia, ouve as orientações do professor Fábio Schneider |
Reginaldo Grebogge (ao volante), que roda cerca de 200 km por dia, ouve as orientações do professor Fábio Schneider
Consumo

Saiba o que fazer para gastar menos combustível

Cuidados com a manutenção do veículo e a adoção de uma forma econômica de condução garantem impacto menor no orçamento

Texto publicado na edição impressa de 01 de maio de 2013

Saiba o que fazer para gastar menos combustível Ampliar

O corretor de seguros Reginaldo Grebogge mora em Piraquara, na Região Metropolitana de Curitiba, e trabalha na capital. Além disso, sua profissão exige passar boa parte do dia na rua, visitando os clientes. E ele ainda não dispensa um passeio mais longo no final de semana, quando dedica um tempo para a pescaria. Tudo isso faz com que ele rode aproximadamente 200 quilômetros por dia a bordo do seu Renault Sandero. O carro, com três anos, já tem quilometragem pouco superior a 100 mil quilômetros.

VÍDEO: Veja as dicas de manutenção e forma de condução dadas pelo professor Fábio Schneider

Convidamos o professor Fábio Alencar Schneider, do curso de Engenharia Mecânica da Universidade Positivo, para conhecer Grebogge e seus hábitos ao volante, além da sua rotina de manutenção do veículo. Veja como cuidados simples ajudam a garantir o menor impacto possível no orçamento.

Compra

Além de todos os fatores que pesam na hora de escolher o carro, o motorista deve ter em mente como esse veículo será usado. Se for predominantemente para tráfego urbano, a baixa potência do motor conta pontos a favor. Nesse caso, um carro 1.0 está de bom tamanho. Se for mais para a estrada, aí é recomendável optar por um propulsor mais potente. Isso porque um veículo 1.0 que na estrada quer alcançar velocidade superior a 100 km/h vai exigir mais combustível. O mesmo ocorre com motores potentes sujeitos ao “freia/acelera” das cidades. Segundo Schneider, para quem usa o carro na cidade o ano todo e viaja uma vez por ano, por exemplo, um carro com motor 1.3 ou 1.4 é uma boa escolha. Grebogge tinha um veículo 1.8 e hoje tem o 1.0.

Arrancada

Os bons hábitos ao volante que auxiliam na economia do combustível começam na arrancada. Não é recomendável pisar fundo no acelerador porque o sistema de injeção eletrônica entende que o motor precisa de potência máxima e fornece um adicional de combustível. Segundo Schneider, trocar a marcha na hora certa também ajuda a economizar. Carros de menor potência exigem trocas mais rápidas. Motores maiores permitem uma esticada. Para cada marcha há uma faixa de rotação ideal. Estar numa rotação muito alta, exigindo demais do motor, é gasto extra na certa. Mas o mesmo acontece no outro extremo, em rotações muito baixas.

Mito

Ao volante, outro mito que deve ser esquecido é o de que em ponto morto não há consumo de combustível quando, na verdade, nessa situação o motor é mantido em funcionamento, com um pequeno consumo. Ao descer uma rampa, indica Schneider, mantenha o carro engrenado e sem acelerar. Quanto ao ar-condicionado, o sistema impacta no consumo de combustível porque “rouba” cerca de 8 a 10 cavalos do motor, mas em altas velocidades, com o ar desligado e as janelas abertas, o consumo será ainda maior. A abertura das janelas cria uma força de arrasto, que segura o carro e exige mais força do motor e, consequentemente, mais combustível.

Ar na medida

Para o professor Schneider, a manutenção correta é ainda mais importante do que a forma de conduzir quando se fala em economizar combustível. A pressão do pneu precisa ser verificada uma vez por semana e mantida dentro das recomendações do fabricante. Pneu murcho causa muito atrito com o solo e pode representar um aumento de até 50% no consumo. Pressão em excesso não, mas favorece o desgaste dos pneus, que terão de ser trocados em tempo até três vezes menor do que o normal. Grebogge diz que costuma calibrar os pneus a cada 30 dias, em média.

Sob o capô

É importante não esquecer que o filtro de ar precisa ser substituído temporariamente, diz Schneider. Quando está sujo, ele dificulta a entrada de ar no motor, que precisa de mais combustível. O sistema de injeção eletrônica também merece atenção, mas corre menos riscos se o motorista usa gasolina aditivada ou um aditivo na comum. Grebogge diz que usa sempre a gasolina aditivada e abastece no mesmo posto. Essa relação de confiança é fundamental para reduzir o risco de colocar no carro um combustível adulterado, que é extremamente prejudicial, a longo prazo, para o desempenho do motor.

ApoioMontadoras e Inmetro auxiliam motoristas na condução econômica

Nos últimos anos, as montadoras passaram a auxiliar o motorista nesse controle dos gastos com combustível. Muitos modelos indicam o consumo por litro no painel, o que faz com que o motorista avalie se sua forma de dirigir está sendo a mais adequada. Essa assistência à condução econômica oferece várias possibilidades, variando conforme o fabricante.

Controle eletrônico da injeção, ajuste automático do ar-condicionado, desenvolvimento de pneus menos resistentes ao rolamento e indicação da troca de marcha no painel são exemplos de mecanismos colocados à disposição do condutor. Alguns modelos vão mais além e alertam o motorista quando ele toma uma atitude inadequada. É o caso da tecnologia Eco Comfort, da Volkswagen. Ela alerta para fechar as janelas caso o ar-condicionado esteja ligado e avisa para não acelerar quando o veículo estiver parado.

Além disso, o Programa de Etiquetagem Veicular do Inmetro, que começou em 2009, conta com a participação voluntária das montadoras, que mandam seus modelos para teste. A participação é expressiva. No site do Inmetro o consumidor encontra um banco de dados com os resultados do teste de consumo de combustível de 360 carros de 27 marcas.

(function(d, s, id) { var js, fjs = d.getElementsByTagName(s)[0]; if (d.getElementById(id)) {return;} js = d.createElement(s); js.id = id; js.src = "//connect.facebook.net/pt_BR/all.js#appId=254792324559375&xfbml=1"; fjs.parentNode.insertBefore(js, fjs); }(document, 'script', 'facebook-jssdk'));
]]>Tweet

Economia | 3:00

Veja como reduzir seus gastos com combustível

Fábio Alencar Schneider, professor do curso de Engenharia Mecânica da Universidade Positivo, mostra que a manutenção do carro e a forma correta de condução ajudam o motorista a gastar menos.

VER MAIS VÍDEOS
PUBLICIDADE
    • SELECIONADO PELO EDITOR
    • NOTÍCIAS MAIS COMENTADAS
    • QUEM MAIS COMENTOU
    Assine a Gazeta do Povo
    • A Cobertura Mais Completa
      Gazeta do Povo

      A Cobertura Mais Completa

      Assine o plano completo da Gazeta do Povo e receba as edições impressas todos os dias da semana + acesso ilimitado no celular, computador e tablet. Tenha a cobertura mais completa do Paraná com a opinião e credibilidade dos melhores colunistas!

      Tudo isso por apenas

      12x de
      R$49,90

      Assine agora!
    • Experimente o Digital de Graça
      Gazeta do Povo

      Experimente o Digital de Graça!

      Assine agora o plano digital e tenha acesso ilimitado da Gazeta do Povo no aplicativo tablet, celular e computador. E mais: o primeiro mês é gratuito sem qualquer compromisso de continuidade!

      Após o período teste,
      você paga apenas

      R$29,90
      por mês!

      Quero Experimentar
    VOLTAR AO TOPO