Blogs

Fechar
PUBLICIDADE

Arquibancada Virtual

Enviado por editoria de esportes, 23/02/17 5:03:52 PM

José Trajano será a atração nesta quinta-feira (23) do canal Esporte Interativo.
Demitido em setembro da ESPN Brasil, o jornalista é o convidado do programa “No Ar com André Henning”, do EI Maxx, a partir das 22h30.
Em entrevista já gravada, Trajano falou da sua surpreendente demissão. “Foi uma facada pelas costas”, desabafou. “Eles aproveitaram uma brecha, política, porque eu me envolvi nessa fase turbulenta do ano passado, de impeachment, eu dei a cara para bater mesmo, me posicionei, como sempre na vida. Eu saí na rua, fiz discurso, convoquei gente para manifestação. E eles não gostavam, eu sabia que eles não gostavam”.
Trajano ainda flertou com Esporte Interativo, que vem investindo no futebol brasileiro e mexeu com o mercado de TV esportiva, adquirindo os direitos da Liga dos Campeões da Europa e jogos do Campeonato Brasileiro, este a partir de 2019. É parceira, por exemplo, de Atlético, Coritiba e Paraná.

Enviado por editoria de esportes, 22/02/17 4:34:05 PM

Anderson é zoado por Cristiano Ronaldo, durante a festa do título inglês, em 2009.

Anderson foi oficializado nesta quarta-feira (22) como novo jogador do Coritiba. Depois de uma frustrante passagem pelo Inter e sete anos e meio no Manchester United, da Inglaterra. Aliás, foi no Reino Unido que Anderson conseguiu a façanha de ser um dos pioneiros no quesito viralizar no Youtube (canal criado em 2005). Motivo: dificuldades com o idioma. Relembramos duas entrevistas de 2009  do jogador em seus primeiros anos de clube. Na segunda delas, inclusive, o dono do microfone foi Cristiano Ronaldo. Veja


Enviado por editoria de esportes, 22/02/17 2:14:31 PM

Os clubes da Série A, com algumas exceções, a exemplo do Coritiba, vetaram a grama sintética no Brasileirão (a partir de 2018) para evitar um suposto prejuízo técnico à disputa. O efeito da decisão produz, na prática, um rombo nas finanças do Atlético - único afetado pela decisão.

A diretoria do Furacão preferiu não revelar qual o custo da alteração do piso natural para o artificial, no início de 2016. Especulou-se que apenas a instalação girou em torno de R$ 4 milhões.

Não entra na conta a construção de um ginásio com grama sintética no Centro de Treinamento do Caju.

Durante a campanha para presidência do clube, Mario Celso Petraglia disse que venderia uma máquina de energia artificial, usada justamente para preservar a grama natural, para viabilizar a obra.

A justificativa fundamental do clube para a a inédita iniciativa foi o gasto com a manutenção, cerca de R$ 200 mil mensais segundo o Atlético.

Como os adversários decidiram em assembleia, o Atlético terá então um gasto de R$ 2,4 mi por ano para manter o ‘gramado padrão’.

Diante disso, para adentrar às normas impostas e retornar ao adubo, terra e jardinagem, o Furacão terá um custo de aproximadamente R$ 400 mil (valor de mercado, sem considerar a retirada do sintético) para ter o solo verde in natura.

Uma conta que voltará a assombrar o clube, assim como dificultar a realização de eventos na área de jogo – um trunfo ganho com a experiência artificial.

Enviado por editoria de esportes, 22/02/17 9:00:01 AM


A torcida organizada do Coritiba, Império Alviverde, está organizando uma caminhada em homenagem ao garoto Leonardo Henrique da Rocha Brandão, morto aos 17 anos por um tiro acidental de um policial militar no último domingo (19), em frente ao Couto Pereira.

LEIA: Trabalhador e apaixonado pelo Coritiba; conheça Léo, o torcedor morto pela PM

Nesta quinta-feira, antes da partida do Coxa pela Copa do Brasil, diante do ASA, o grupo fará a manifestação. O evento está programado para as 20 horas, na Praça 19 de Dezembro. Os organizadores chamam o ato de ‘Caminhada de Luto’. “Torcedores não são animais, policiais não são deuses”, avisa em convocação.

LEIA: Velho Cronista faz a reconstituição da violenta morte de torcedor do Coritiba

Além de lembrar da vítima, a ideia é exigir responsabilidades criminais para os envolvidos.

“Unidos e de modo PACÍFICO, vamos manifestar nossa indignação diante da tragédia ocorrida no último domingo. Não podemos e não vamos deixar que essa tragédia fique impune! Exigimos justiça, e que ela seja aplicada de maneira igual para todos”, traz a convocação.

Revolta

Segundo a PM, no pedido oficial de desculpas da corporação, não houve confronto entre policiais e torcedores. A arma disparou sozinha quando um policial foi colocar a submetralhadora na bandoleira.

Torcedores presentes no local, entretanto, tem outra versão. Eles contam que um policial espirrou spray de pimenta de dentro da viatura nos coxas-brancas, momentos antes do disparo.

A partir do tiro, ainda segundo relatos dos alviverdes, os policias desceram da viatura e jogaram bruscamente Leonardo dentro da viatura. Puxaram por braços e pernas e lançaram no carro.

“Escutei o barulho e vi o Léo no chão. Os policiais desceram e apontaram a arma para todo mundo, pegaram ele e jogaram como se joga lixo numa caçamba”, conta Matheus Wagner Moreira, o melhor amigo da vítima.

Enviado por editoria de esportes, 21/02/17 2:15:10 PM

O Paraná não costuma prestar satisfações à sua torcida via web. Jamais se viu uma nota oficial para dar detalhes de uma contratação, a possível venda da Kennedy, a situação jurídica da Vila Capanema… Mas agora todos os paranistas sabem como funciona o credenciamento de imprensa nos jogos da Vila Capanema.

Sem citar os rivais Atlético e Coritiba ou o Atletiba cancelado do último domingo (19), o Paraná defendeu na noite desta segunda-feira (20) a posição da Federação Paranaense de Futebol (FPF) de não permitir o início do clássico com a presença de profissionais de imprensa não inscritos previamente no gramado da Arena da Baixada. A “nota de esclarecimento” foi divulgada no site do Tricolor, assinada pelo Conselho Gestor.

De forma discreta, quase envergonhada, o clube então validou o ato da FPF de impedir o duelo da Arena por causa da não inscrição de jornalistas à beira do gramado.

O Paraná tem todo direito de ficar do lado da FPF. É legítimo fazer alianças, ter aliados e ganhar espaço no campo político. Só é estranho se manifestar de um assunto tão distante à sua realidade, sugerindo um afago para o aliado fragilizado.

Pegou mal. Nada justifica não ter ocorrido o Atletiba. Foi um atentado, com motivo torpe.

Agora fica em suspense se terá uma nota para criticar a falta de fiscalização e critérios por parte da FPF para liberar estádios, afinal o clube bateu forte na estrutura de Cornélio Procópio, com um gramado impraticável.

Fica a dica.

Logo após o fatídico Atletiba que não aconteceu, Mario Celso Petraglia, em entrevista à ESPN, disse que a Globo acertou um contrato com os ‘dez clubes pequenos do estado’. Deixou Paraná e Londrina no mesmo balaio de PSTC, Foz, Cascavel, Rio Branco, Jotinha…

O dirigente do Atlético (ao seu estilo) generalizou ao incluir o tradicional rival no primeiro andar do futebol paranaense. Mas a nota de esclarecimento do Tricolor para o credenciamento da imprensa rebaixou o time da Vila à condição de insubordinado da FPF.

Foi um abraço da cúpula paranista a Hélio Cury, virando assim as costas para as legítimas ambições de Atlético e Coritiba.

 

Enviado por editoria de esportes, 21/02/17 9:44:20 AM
Foto: divulgação

Senadora Gleisi Hoffmann se declarou atleticana e disse estar orgulhosa com atitude dos clubes.

O Atletiba que não aconteceu conseguiu uma façanha: uniu petistas e antipetistas; direita e esquerda, enfim, lados opostos no Senado.

Gleisi Hoffmann (PT) e Alvaro Dias (PV) saíram em defesa dos clubes, contra a justificativa dada pela Federação para impedir o o duelo entre Atlético e Coritiba deste domingo (19).

Em pronunciamento na bancada nesta segunda (20), a senadora abriu o discurso “”O Atletiba poderia marcar uma revolução no futebol brasileiro com a primeira transmissão no Youtube (…) Sou atleticana, torcedora do Clube Atlético Paranaense, mas estou com muito orgulho dos clubes do Paraná [pela decisão de sair do campo]”, destacou ela, que também criticou o monopólio nas transmissões esportivas.

Dias, em mensagem encaminhada à imprensa,  reforçou: “A grande responsável pela lambança foi a Federação, que vem descumprindo a legislação, porque, de acordo com a Lei Pelé, quem credencia jornalista para as partidas é a Associação de Cronistas Esportivos”, citou o político, responsável pela relatoria da citada legislação esportiva.

Enviado por editoria de esportes, 21/02/17 9:27:23 AM

A polêmica proibição da grama sintética, a partir de 2018, por decisão dos clubes da Série A, revoltou o jogador Deivid, do Atlético.

Em texto publicado no seu Facebook, o atleta fez um desabafo em defesa do piso artificial do Joaquim Américo. “A CBF está de brincadeira em concordar [com os clubes] e proibir a grama sintética, mesmo sendo aprovada pela Fifa”, abriu ele, que se recupera de uma lesão.

“Dirigentes dos times estão usando a grama como justificativa pelas derrotas para o nosso clube. Pior ainda [que isso vem de] pessoas que nunca pisaram no gramado dizer que a nossa grama é prejudicial ao atleta. Já peguei tantos gramados com condições de risco…. Fora que tem campo de Série A que molham e fica tão rápido quanto o nosso, escorregadio e chega a sair barro”, seguiu.

“Vale lembrar também que mesmo com grama natural sempre foi difícil jogar na Arena. Então é tudo balela dizer que obtivemos resultados só por conta da mesma”, completou.

 

Enviado por esportes, 20/02/17 4:41:20 PM

Reprodução Facebook

O vice-presidente do Marcílio Dias, Mauro Pereira, causou polêmica com uma declaração em entrevista coletiva do clube catarinense, ao vivo pelo Facebook. Na tentativa de exaltar o trabalho realizado à frente da equipe, Pereira fez menção à tragédia da Chapecoense.

“Não sei se no áudio anterior gravou o que eu falei, mas até muita gente me cobrou pra não falar isso. Mas, gente, o avião do Marcílio Dias não precisa cair para gente formar esse time uma potencia do futebol catarinense, brasileiro. Não precisamos de tragédia para tornar nosso clube grande”, declarou o cartola.

Veja a coletiva completa, a declaração está logo no início:

Mais tarde, o clube se manifestou:

Enviado por esportes, 20/02/17 3:12:59 PM

Cascavel e Foz do Iguaçu saíram em defesa da Federação Paranaense de Futebol (FPF) no episódio do Atletiba que não ocorreu. De acordo com os dois times do interior, que estão entre as 10 equipes que assinaram com a TV, a entidade agiu corretamente e Atlético e Coritiba “abandonaram” o gramado. Veja as publicações no Facebook:

Enviado por editoria de esportes, 20/02/17 10:32:53 AM

Ao falar sobre o cancelamento do clássico paranaense entre Atlético e Coritiba neste domingo (19), no programa Resenha ESPN, Alex bateu forte na Federação Paranaense de Futebol (FPF)

”A federação é uma merda mesmo. É a minha opinião, não serve pra nada. Acho que clube de futebol não precisa de federação, e não é a Paranaense, é qualquer uma. Acho que os clubes deveriam ter a força de fazerem a coisa por si só”, soltou.

”O Coritiba e o Atlético no Paraná são protagonistas, Bahia e Vitória na Bahia são protagonistas e esses clubes são egoístas também, porque eles querem ganhar mais no estadual do que ganham os times do interior.  Na verdade, no meu ver, eles tinham que puxar a fila para que fosse equilibrado o ganho, para que o time do interior ganhasse parecido, porque quando saem dali, a nível estadual, e vão para o Brasil, eles perdem nisso. Perdem para o Corinthians, para o Flamengo, para o São Paulo, e aí ele fica chateado, só que faz a mesma coisa a nível estadual”, seguiu o ídolo alviverde.

O ex-camisa 10 do Coxa citou inclusive o exemplo da Primeira Liga. Neste caso, as diretorias do Furacão e do Alviverde cobraram equidade, fato que não existe no Estadual. ”A Primeira Liga é uma demonstração disso. Já começou com desigualdade, ou seja, já é uma Liga fadada a não ter continuidade, porque ‘ah, o time do Rio tem que ganhar mais do que o de Santa Catarina’. Mas por quê? Vão jogar o mesmo torneio, mesmo campeonato. Esse equilíbrio, se não tiver, vai ficar assim por muito tempo”.

Páginas12345... 220»
Este é um espaço público de debate de idéias. A Gazeta do Povo não se responsabiliza pelos artigos e comentários aqui colocados pelos autores e usuários do blog. O conteúdo das mensagens é de única e exclusiva responsabilidade de seus respectivos autores.
Buscar no blog
Acompanhe a Gazeta do Povo nas redes sociais