Blogs

Fechar
PUBLICIDADE

Arquibancada Virtual

Enviado por rodrigof, 23/08/16 6:14:04 PM

Cobertura Olimpíada Rio 2016 - FUTEBOL FEMININO -  Olimpíadas do Rio de Janeiro 2016, no Brasil. Jogo entre Brasil e Suécia no Estádio Maracanã, válido pela semifinal da Olimpíada Rio 2016.

Marta e Formiga pediram aos brasileiros: “Não abandonem o futebol brasileiro”. Elas pediram com lágrimas nos olhos, comoveram os torcedores, mas o esquecimento à modalidade já estava selado.

Nesta quarta-feira (24) começa a 10ª edição da Copa do Brasil das meninas.

As partidas serão disputadas entre 32 equipes. O campeão da competição garantirá, junto com o Flamengo, uma vaga para disputar a Copa Libertadores de 2017. O Paraná tem o Foz como representante. As estrelas olímpicas não estarão em ação, mas possivelmente a base da seleção sub-20 que irá disputar o Mundial este ano sairá da disputa mata-mata.

Marta e Formiga não serão atendidas. Uma pena.

Confira a tabela (jogos de ida)

Quarta-feira, 24 de agosto

15h Ararangua-SC x Foz Cataratas-PR (Casa-Lar, Araranguá)

15h Estância Velha-RS x Chapecoense-SC (Passo D’Areia, Porto Alegre)

15h Náutico-PE x Botafogo-PB (Aflitos, Recife)

15h Boca Júnior-SE x São Francisco-BA (Augusto Franco, Estância)

15h UDA-AL x Vitória-PE (Rei Pelé, Maceió)

15h Barcelona-RJ x Comercial-MS (Estádio da Rua Bariri, Rio de Janeiro)

15h Cresspom-DF x Aliança-GO (Maria Abadia, Ceilândia)

15h União-RN x Caucaia-CE (Arena das Dunas, Natal)

17h JV Lideral-MA x Tiradentes-PI (Frei Epifânio, Imperatriz)

20h São Raimundo-RR x Iranduba-AM (Roberto Marinho, Boa Vista)

20h15 Intercap-TO x São José-SP (José Pereira Rêgo, Paraíso do Tocantins)

20h15 Vila Nova-ES x Ipatinga-MG (Kléber Andrade, Cariacica)

21h Porto-RO x Atlético-AC (Aluízio Ferreira, Porto Velho)

Quinta-feira, 25 de agosto

20h30 Oratório-AP x Flamengo-RJ (Zerão, Macapá)

Quarta-feira, 31 de agosto

15h Santos-SP x Mixto-MT (Vila Belmiro, Santos)

15h Audax-SP x Pinheirense-PA (José Liberatti, Osasco)

Enviado por rodrigof, 23/08/16 3:43:07 PM

Keila Costa, do salto em distância, uma das medalhistas de chumbo do Brasil.

Nenhuma delegação amargou tanto o último lugar nas disputas por medalha que o Brasil. O time anfitrião da Rio-2016 deixou o jogo como rei da ‘medalha de chumbo’ – expressão usada pelo americano Wall Street Journal.

Se o critério do Comitê Olímpico Brasileiro (COB) de total de pódios fosse usado de forma invertida, com as medalhas de chumbo, lata (penúltimo) e zinco (antepenúltim0) somadas para definir o ‘pior’ dos Jogos, o Brasil faria ainda mais feio. Os donos da casa teriam um total de 45 medalhas. O segundo seria a Austrália, com 29.

Veja o quadro do Wall Street Journal.

Medalha de chumbo (último lugar)

Brasil 21

Egito 9

EUA 8

Austrália 7

Ucrânia 7

Japão 6

Alemanha 5

China 5

Turquia 3

Argentina 2

 

Medalha de lata (penúltimo lugar)

Brasil 13

Austrália 11

Japão 9

EUA 8

Egito 6

Turquia 6

China 6

Ucrânia 5

Alemanha 4

Argentina 2

 

Medalha de zinco (antepenúltimo lugar)

Argentina 14

Alemanha 13

Brasil 11

Austrália 11

Turquia 10

Egito 8

Japão 8

EUA 7

China 7

Ucrânia 6

 

Total

Brasil 45

Austrália 29

Egito 23

Japão 23

EUA 23

Alemanha 22

Turquia 19

Argentina 18

China 18

Ucrânia 18

Enviado por rodrigof, 23/08/16 11:05:47 AM

Cobertura Olimpíada Rio 2016 - ENCERRAMENTO DA OLIMPÍADA - Olimpíadas do Rio de Janeiro 2016, no Brasil. Encerramento da Olimpíada Rio 2016 no estádio Maracanã no Rio de Janeiro

O Brasil é o país da mesada, da ajuda governamental. É esse o retrato deixado pelos anfitriões na Olimpíada Rio-2016.

À exceção do futebol, por motivos mais do que óbvios, todas as 18 medalhas conquistadas foram de atletas patrocinados pelo Programa Bolsa Atleta – apenas três atletas do vôlei também não faturam o incentivo.

De acordo com os números do Ministério do Esporte, foram investidos R$ 80  milhões neste programa, com 43 mil contemplados, apenas em 2016.

As bolsas concedidas variam de R$ 370 a R$ 15 mil.

Para quem não gosta de ver os impostos aplicados no setor esportivo, cuidado para não cometer injustiça. Muitos medalhistas vieram de programas sociais, como Rafaela Silva, Robson Conceição (ouro) Maicon Andrade (bronze). E não se pode resumir tudo ao pódio. A aplicação do recurso serve, em tese, para diminuir o ócio e semear valores esportivos à sociedade.

É possível notar que o perfil do medalhista local mudou. Tem gente da favela, negro, pobre, nordestino, não apenas a turma da vela e do hipismo (este nem chegou lá). O Brasil vencedor é mais plural, menos aristocrático.

O primeiro vestígio da mudança veio em Londres-2012, com três pódios do boxe.

Considerado o maior programa de patrocínio individual de atletas em todo o mundo, o Bolsa Atleta é também um nó para os cartolas, pois toda a grana vai direto para a conta do atleta, sem um dirigente atravessador e com outras prioridades. Aí vem o ippon, para ficar no termo do momento. O atleta é o gestor do recurso e aplica como melhor entender.

Em meio à crise, Ministério do Esporte anunciou nesta segunda-feira (22) que o governo federal manterá o apoio. É a única chance apresentada na Rio-2016 ao esporte olímpico nacional.

Sem a mesada do governo, com os esportistas nas mãos da iniciativa  privada ou das confederações, o Brasil da Rio-2016 seria um fiasco, uma festa exclusiva para a elite.

Os medalhistas do país

Ouro (7)

Rafaela Silva (judô) – Rio de Janeiro-RJ

Thiago Braz (salto com vara) – Marília-SP

Robson Conceição (boxe) – Salvador-BA

Alison e Bruno (vôlei de praia) – Vitória-ES e Brasília-DF

Martine Grael e Kahena Kunze (vela) – Niterói-RJ e São Paulo-SP

Vôlei masculino

Futebol masculino

Prata (6)

Isaquias Queiroz 2x (canoagem) – Ubaitaba-BA

Diego Hipólito (ginástica artística) – Santo André-SP

Arthur Zanetti (ginástica artística) – São Caetano do Sul-SP

Felipe Wu (tiro esportivo) – São Paulo-SP

Ágatha e Bárbara (vôlei de praia) – Curitiba-PR e Rio de Janeiro-RJ

Bronze

Isaquias Queiroz (canoagem) – Ubaitaba-BA

Arthur Nory (ginástica artística) – Campinas-SP

Poliana Okimoto (maratona aquática) – São Paulo-SP

Rafael Silva (judô) – Campo Grande-MS *Radicado em Rolândia-PR

Mayra Aguiar (judô) – Porto Alegre-RS

Maicon Andrade (tae kwon do) – Justinópolis/Ribeirão das Neves

Enviado por rodrigof, 22/08/16 7:11:40 PM

Cobertura Olimpíada Rio 2016 - volei masculino - Olimpíadas do Rio de Janeiro 2016, no Brasil. Brasil medalha de ouro da Rio 2016Lipe comemora no Maracanãzinho.

Torcedor declarado do Coritiba, Lipe, 32 anos, se tornou no domingo (22) um dos grandes heróis olímpicos do Brasil – autor do ponto emblemático que garantiu o ouro para o vôlei na Rio-2016.

O ponteiro da seleção brasileira de vôlei é fã de Alex e chegou a fazer uma visita ao clube em 2013, justamente para conhecer o camisa 10.

Na ocasião, o curitibano Lipe (Luiz FelipMarques Fonteles ou Chupita) resenteou Alex e Deivid com a camisa do Fenerbahçe, clube que iria defender. E recebeu uma do Coxa. “Sempre acompanho o clube onde eu esteja”, disse o medalha de ouro durante a visita cortesia ao CT da Graciosa.

Lipe foi um dos destaques do time de Bernardinho na conquista do ouro olímpico. O ponteiro ganhou a condição de titular no jogo decisivo contra a França. Se perdesse, o Brasil terminaria na 9ª colocação, igualando a campanha de Cidade do México 1968, a pior da história. Bernardinho sentiu que o time precisava de energia, e ele se encaixava no quesito.

Foto divulgação do Coritiba: Deivid, Lipe e Alex.

 

 

Enviado por sgabardo, 29/07/16 2:21:00 PM

Texto: Sandro Gabardo

A fórmula da Copa do Brasil, que na terça-feira terá o sorteio das oitavas de final, reforça o que já está escancarado para qualquer torcedor minimamente atento: o protecionismo institucionalizado aos maiores clubes do país. Além de entrarem apenas na quarta fase da competição mata-mata, os times que disputaram a Libertadores (mais o Inter, quinto colocado do Brasileiro de 2015) têm direito a um pote VIP no sorteio da próxima etapa da competição.

O objetivo informal (ou formal mesmo?) é evitar que eles se enfrentem logo de cara e aumentar as probabilidades de mantê-los vivos por pelo menos mais uma fase – com mais uma partida para engordar o caixa, seja por premiação da entidade, seja com bilheteria, para quem ainda consegue essa proeza. Medida que tem a caneta da CBF, organizadora (?) do futebol brasileiro, mas que conta com a conivência dos maiores interessados, os clubes.

Os grandões (lembram do Clube dos 13?) ficam confortáveis com esse papel de protagonistas forçados. A tendência dos cartolas no Brasil é sempre de valorizar suas propriedades e não o produto final, o campeonato, que repartiria o louro para todos. Do outro lado, porém, os menos favorecidos midiaticamente e politicamente acabam aceitando o caminho das pedras calados. Não é justo.

Com esse formato, tem sido cada vez mais difícil para os clubes menores chegarem às fases decisivas da Copa do Brasil. O Botafogo-PB, por exemplo, batalhou para alcançar as oitavas de final deste ano. Sua recompensa será jogar contra Atlético-MG, São Paulo, Corinthians, Grêmio, Palmeiras, Internacional, Santos ou Cruzeiro. A tendência é dar adeus. Ah! Mas contra um time grande, dirão aqueles tais. Não importa. A verdade é que está lá, na visão de quem está no topo da pirâmide, para servir de sparring.

Já que os bonzões têm o direito de entrar nas oitavas – o que é já é uma barbaridade –, seria muito menos injusto que duelassem entre si por um espaço nas quartas de final. São intrusos protegidos por lei. Na pior hipótese, não deveria existir divisão de potes. Todos teriam direitos iguais de cair contra adversários de maior ou menor expressão – imaginando, claro, a não utilização das bolinhas geladas para “dirigir a sorte”. Voltando ao exemplo do Botafogo-PB, o time poderia tanto encarar uma pedreira como o líder do Brasileiro, Palmeiras, quanto um quase-irmão de status como o Juventude.

O futebol no Brasil é feito por muita gente (jogadores, técnicos, profissionais e torcedores), mas para o benefício de poucos clubes. Por sorte, em campo, o esporte das chuteiras ainda é pródigo em zebras, surpresas e acidentes de percurso. É o que ainda dá alguma graça.

Enviado por rodrigof, 27/07/16 4:09:28 PM

A diretoria do Coritiba tem três opções de localização para construir um novo estádio para o clube. Os projetos – são seis ao todo – foram apresentados ao Conselho Deliberativo na noite dessa segunda-feira (25), em um hotel no Centro de Curitiba. Cerca de 120 conselheiros foram informados sobre as soluções imaginadas para a construção de uma nova casa: a reforma ou a demolição do Couto Pereira; uma arena no Pinheirão, o que implicaria na venda do estádio do Alto da Glória; ou um inédito campo no bairro Cidade Industrial de Curitiba (CIC), na Avenida Juscelino Kubitscheck, com sede social para os sócios.

Qual a sua opinião.

Qual a sua posição sobre o projeto do novo Couto Pereira?

  • REFORMA O COUTO. Demolição total ou parcial do estádio e construção de um novo complexo, inclusive coberto. (44%, 96 Votos)
  • OUTRO ESTÁDIO. Parece ser mais viável financeiramente ceder a valorizada área do Alto da Glória e construir um estádio moderno em outra região da cidade. (34%, 75 Votos)
  • FICA COMO ESTÁ. O clube não precisa de um estádio novo. As instalações atuais são perfeitas e precisam apenas de melhorias. (22%, 47 Votos)

Total de votantes: 218

Loading ... Loading ...

Treino do Coritiba

VEJA fotos históricas de reforma no Couto Pereira

Enviado por sgabardo, 20/07/16 5:18:55 PM

Você concorda com a suspensão de 10 dias a Juan por ter xingado o técnico Pachequinho?

  • Discordo. O jogador estava de cabeça quente e já pediu desculpas. Podia ter sido absolvido. (36%, 90 Votos)
  • Concordo. Está de bom tamanho. (33%, 83 Votos)
  • Discordo. A punição foi muito branda. O comportamento dele foi inadmissível. (32%, 80 Votos)

Total de votantes: 253

Loading ... Loading ...

Veja o momento em que Juan, substituído contra o Atlético-MG, na última segunda-feira, ofende o técnico interino coxa-branca. (Foto: Reprodução)

 

Enviado por rodrigof, 05/07/16 5:48:30 PM

O Atlético está certo em afastar a torcida organizada Os Fanáticos?

  • NÃO. Nem todos são bandidos, não se deve generalizar. Acabar com as organizadas pode inclusive prejudicar o trabalho da polícia na identificação de criminosos. (39%, 88 Votos)
  • SIM. O Atlético aponta diversos prejuízos pela ação violenta de membros da Os Fanáticos. O mais grave deles, em 2013, episódio conhecido como a “selvageria de Joinville". (30%, 68 Votos)
  • NÃO. Elas incentivam o time e, consequentemente, ajudam no rendimento dos jogadores em campo. (23%, 52 Votos)
  • SIM. As facções são concorrentes comerciais do clube. Vendem produtos com as cores e os símbolos do Atlético (8%, 17 Votos)

Total de votantes: 225

Loading ... Loading ...

Protesto da torcida Os Fanáticos em frente da Arena: guerra contra a violência e disputa comercial.

Enviado por rodrigof, 05/07/16 2:37:41 PM

O Rio de Janeiro chega à contagem regressiva para a cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos, no dia 5 de agosto. No ano em que o Brasil deveria estar focado na realização da primeira Olimpíada da América do Sul, uma série de acontecimentos está não só ofuscando a organização, mas também levando algumas entidades e os próprios atletas a questionar a real capacidade do país em receber o maior evento esportivo do mundo no meio de uma crise política e econômica. O que você acha…

Você acredita no sucesso da Olimpíada no Rio?

  • NÃO (77%, 69 Votos)
  • SIM (23%, 21 Votos)

Total de votantes: 90

Loading ... Loading ...
Enviado por rodrigof, 02/06/16 10:36:14 AM

Com a saída de Gilson Kleina, alguns nomes começam a ganhar força nos corredores do Alto da Glória. Na sua opinião, quem seria a melhor aposta?

Quem deve ser o técnico do Coritiba

  • Pachequinho (38%, 138 Votos)
  • Fernando Diniz (30%, 109 Votos)
  • Caio Jr (16%, 56 Votos)
  • Outro (11%, 40 Votos)
  • Claudinei Oliveira (5%, 18 Votos)

Total de votantes: 361

Loading ... Loading ...
Páginas12345... 190»
Este é um espaço público de debate de idéias. A Gazeta do Povo não se responsabiliza pelos artigos e comentários aqui colocados pelos autores e usuários do blog. O conteúdo das mensagens é de única e exclusiva responsabilidade de seus respectivos autores.
Buscar no blog
Acompanhe a Gazeta do Povo nas redes sociais