Blogs

Fechar
PUBLICIDADE

Arquibancada Virtual

Enviado por rodrigof, 08/12/16 6:03:26 PM

Paraná Clube, campeão de 1991, Couto Pereira

Couto Pereira, domingo de sol, última rodada de um Campeonato Paranaense de pontos corridos. Competição árdua, sem fim, era ápice dos estaduais. O Paraná, com apenas dois anos de existência, decidia o título em partida contra o Coritiba.

Era 8 de dezembro de 1991, 25 anos atrás.Paraná Clube, campeão de 1991, Couto Pereira

O Coxa cumpria tabela, mas não queria (sabe lá o porquê) ver o Tricolor campeão. Vencia o jogo por 1 a 0; o Atlético batia o Londrina. A combinação de resultados obrigava um jogo extra entre paranistas e atleticanos. Diante do trauma de ser filho do Colorado, era tudo que os tricolores não queriam.

Mas aí o clube nasceu, o fim do parto veio com um chute perfeito de canhota.O jogador mais improvável de um time empolgante fez história. Foi merecido para Ednélson, prata da casa de pouca empatia da torcida, um coadjuvante ao lado de Saulo, Adoílson, Carlinhos, Serginho…. O camisa 6 entrou pela esquerda e fuzilou Luiz Henrique: 1 a 1.

Paraná campeão.

Aquele gol, seguido de uma emocionante invasão no gramado, transformou o futebol paranaense. Coritiba e Atlético demoraram para perceber isso.

“Serginho vai para o meio para receber a bola. Abre espaço. O lateral tenta acompanhar e eu passo. O Serginho faz um passe preciso. Domino com a esquerda já para finalizar. E chuto, na diagonal, para o gol de Luiz Henrique. Gol, gol!! Aí foi só alegria e correr para a torcida”, descreveu Ednélson à Gazeta do Povo

A narração de Lombardi Junior, um clássico do rádio brasileiro, traduz a emoção (ouça abaixo).

Veja o gol

Enviado por rodrigof, 08/12/16 3:49:28 PM


O goleiro Weverton, do Atlético, foi lembrado por torcedores gremistas após a conquista da Copa do Brasil, nesta quarta (8), em Porto Alegre. Dois torcedores aparecem em uma foto segurando uma camisa com os dizeres: “Weverton, obrigado! Herói do penta, Copa do Brasil 2016″. A imagem rapidamente viralizou.
No fim de setembro, o atleticano ficou marcado pela disputa eliminatória contra os tricolores do Rio Grande do Sul. Jornada emocionante que teve Weverton como protagonista, especialmente na cobrança de pênaltis. O camisa 12 conseguiu sair do duelo como herói e vilão. Foi o salvador ao barrar três cobranças, de Wallace, Luan, que se marcasse decidia o confronto, e Douglas.O medalhista de ouro olímpico, entretanto, quis mais. E aí, acabou queimado. Após Kannemann chutar para fora, bastava Juninho marcar para o Rubro-Negro passar de fase. Weverton pediu para cobrar (a versão oficial foi que Autuori determinou). Seria a consagração, mas o arqueiro viu o colega de meta Marcelo Grohe espalmar.

Quase eliminado, o Grêmio seguiu adiante. E levantou a taça.

Veja a cena que ganhou as redes sociais.

Obs: não se tem ideia de quem é o responsável por essa mensagem personalizada.

Enviado por rodrigof, 08/12/16 3:22:29 PM


Cerca de 30 mil pessoas foram ao Couto Pereira na noite desta quarta-feira (7) para homenagear os mortos na tragédia com a delegação da Chapecoense que resultou em 71 vítimas fatais. A cerimônia foi realizada no dia e local em que deveria acontecer o jogo final da Copa Sul-Americana.

FOTOS: confira imagens do culto em homenagem à Chape

Chamou atenção a presença de camisas de vários times brasileiros, inclusive dos rivais da capital. Veja as cenas incríveis, históricas, inesquecíveis de confraternização e solidariedade.

Veja os vídeos

Enviado por rodrigof, 07/12/16 3:07:59 PM

Quem diria… Marinho, jogador de rápida passagem pelo Paraná Clube em 2011, marcado por uma expulsão polêmica em jogo estranho contra o Sport (3 x 0, em duelo que a torcida suspeitou de corpo mole), agora ganhou uma música. Com o jogador nos vocais, além do cantor Falcão, da banda Guig Ghetto, a letra exaltando a grande fase do atacante do Vitória neste Brasileiro: dão 11 gols marcados em 26 partidas.Para muitos, é o Messi do Brasileirão, pelo estilo rompedor e de dribles. Segura…

Enviado por rodrigof, 07/12/16 2:08:51 PM

Os Correios lançam, nesta quarta-feira (7), um selo personalizado em homenagem à Chapecoense. A peça traz o escudo do clube, com menção ao título de campeão da Copa Sul-Americana.
O lançamento faz parte de evento promovido pelo Coritiba em solidariedade à Chape, com a celebração de culto ecumênico, no Estádio Couto Pereira, às 20h30.
Veja a imagem do timbre especial

Enviado por rodrigof, 07/12/16 2:04:42 PM

Durante o programa Redação SporTV, nesta quarta-feira (7), o apresentador e narrador da Rede Globo Alex Escobar contou ter vivido uma situação parecida com o que levava a Chapecoense para Medellín.

Antes de ser jornalista, ele trabalhou por quatro anos como comissário de bordo, três deles em uma empresa de fretamentos. E, em uma viagem entre Venezuela e Brasil, passou por momentos de tensão devido à falta de combustível na aeronave. Detalhe:o piloto não parou para abastecer.

“Trabalhei em uma empresa que já acabou e tinha um avião só, uma situação muito parecida com a da LaMia. Um avião grande, um DC-10, 350 passageiros… A gente fez um voo para Isla Margarita, na Venezuela, com passageiros a bordo, lotado. Na volta viemos para o Rio só a tripulação e, nessa volta, os comissários não sabiam, mas o nosso comandante, numa intenção de economizar, também não pôs combustível no avião”, contou, em participação por telefone.

A tensão foi crescente. “Chegando ao Galeão, a gente encontrou um tempo muito ruim, o aeroporto estava fechado. Mesmo assim o comandante tentou pousar o avião por duas vezes, mas teve que subir, não conseguiu (…) E depois saiu de dentro um companheiro nosso, mecânico que viajava com a gente, chorando. A gente perguntou, e ele relatou que havia um problema de combustível”.

“Naquele momento havia uma discussão do comandante com a torre da Base Aérea de Santa Cruz (na região oeste do Rio), porque ele resolveu levar o avião para lá, onde o tempo estava melhor. Só que ele não teve o pouso autorizado porque a pista não era homologada para um avião daquele tamanho, enfim, era uma Base Aérea Militar. Ele insistiu, levou o avião para lá em Santa Cruz, e havia um pânico, porque havia o risco da pista se quebrar, do avião varar a pista, por ela ser curta demais. Ainda bem que acabou dando certo, ele pousou. Teve um cheiro de queimado terrível, freou muito forte”.

Prática comum

Escobar afirmou que o procedimento de economizar combustível é comum entre empresas que ofertam voos fretados. “Então as grandes companhias regulares também podem fazer isso de economizar combustível? Essa é uma hipótese que não existe, porque eles sabem que vão ter um voo logo depois e que, se sobrar combustível, ele é aproveitado num voo na próxima hora. A companhia de fretamento muitas vezes não sabe quando vai ter um próximo voo, então por isso fazem essa prática de economizar combustível. Isso quase levou a minha vida e dos meus companheiros naquela oportunidade lá.”

Enviado por rodrigof, 07/12/16 11:28:18 AM

Em um gesto de aproximação e solidariedade, as torcidas organizadas Ultras, Fanáticos, ambas do Atlético, porém com vasto histórico de divergência e violência, além da Império, do Coritiba, farão uma ação conjunta no culto ecumênico para lembrar da Chapecoense.
Em postagem no Facebook, com a mensagem ‘torcedor organizado não é vagabundo’, o grupo prega apoio ao time catarinense. “Uma justa causa para que juntos possamos enviar a nossa mensagem de apoio a todas as famílias afetadas pelo acidente, ao clube e torcedores da Chape! Quem não for participar, respeitem a causa!”
Em recente entrevista à Gazeta do Povo, o delegado Clóvis Galvão, responsável pela Demafe (Delegacia Móvel de Atendimento a Futebol e Eventos), especializada em tratar e prevenir casos de violência no futebol em Curitiba, não vê na ação conjunta um indício de paz.
Para Galvão, assim que a consternação geral passar, os confrontos motivados por paixão clubística voltarão a acontecer. Cenas como a do encontro entre as maiores organizadas dos quatro grande times de São Paulo, nesse domingo (4), em frente ao Pacaembu, não seriam possíveis em outra situação, acredita.
“Volta tudo como era antes. Esse sentimento é momentâneo. Qualquer ser humano, por pior que ele seja, não ficaria indiferente a uma tragédia dessas”, opina o delegado. “Quando tudo se acalmar, os sentimentos voltarem à normalidade, não tem como essa paz perdurar”, completa.As organizadas prometem entrar no estádio de branco, como foi solicitado, e sem instrumentos musicais, respeitando o momento de apoio.

Enviado por rodrigof, 06/12/16 2:04:52 PM

A camisa verde das equipes de televisão foi apresentada durante o programa Linha de Passe da ESPN Brasil.

 

A Chapecoense será homenageada pelos canais esportivos de TV fechada na decisão da Copa do Brasil, entre Grêmio e Atlético-MG, nesta quarta-feira (7), em Porto Alegre. Os canais ESPN Brasil, Fox Sports e SporTV vão trajar suas equipes com os mesmos uniformes: uma camisa verde com o escudo da Chape.

Enviado por rodrigof, 06/12/16 1:20:24 PM

O jornalista José Trajano lançou um canal no Youtube (o Ultrajano) para exibir seu programa de entrevistas Na Sala do Zé. No vídeo de chamada, o jornalista, que foi demitido da ESPN em setembro, garante que contará com as presenças do comentarista de futebol da Globo, Walter Casagrande (vai falar do livro Sócrates & Casagrande – Uma História de Amor), e do professor de Português, Pasquale Cipro Neto. “Ele vai explicar direitinho pra gente que história é essa de mesóclise que o (presidente) Temer adora usar’‘, contou. O programa inicial será quinta-feira (8), às 21h30, ao vivo.

A empreitada ocorre pouco mais de dois meses da saída traumática do canal esportivo. Na ocasião, o famoso torcedor do América acusou a emissora de retaliação política, fato negado em nota da ESPN à imprensa.

”Dia 8 de dezembro é data que podemos homenagear Tom Jobim e John Lennon, que morreram nesse dia. Vamos falar também do álbum, um dos mais vendidos da história do rock, The Wall, do Pink Floyd, e também falar do Botafogo de Futebol e Regatas, que houve a fusão do Botafogo com Botafogo e deu Botafogo de Futebol e Regatas num 8 de dezembro. Você vai poder participar com perguntas, porque o programa é ao vivo”, enfatizou na divulgação da projeto via web.

Veja o vídeo

Enviado por rodrigof, 05/12/16 3:16:01 PM

Atlético, Coritiba e Paraná fizeram, estão fazendo e ainda prometem fazer novas manifestações de carinho à Chapecoense. Uma das clássicas homenagens, algumas programadas por outros grandes clubes do país, é o uso de referências ao time catarinense nas camisas de jogo. Nenhum integrante do Trio de Ferro anunciou tal gesto. Assim mesmo, a Gazeta do Povo traz três sugestões para os clubes. O que acha?

O Coxa leva a vantagem de ser alviverde. Não precisa mudar nada, apenas incluir o escudo de luto da Chape.

A versão do Atlético é ousada, com muito simbolismo. Entraria para a história do clube o uso do verde no uniforme. Uma homenagem do tamanho do Furacão.

O Paraná não joga mais este ano, mas fica a dica para (quem sabe) um duelo com a Chape na Primeira Liga. Tons de verde recriam a camisa paranista.

 

 

Páginas12345... 213»
Este é um espaço público de debate de idéias. A Gazeta do Povo não se responsabiliza pelos artigos e comentários aqui colocados pelos autores e usuários do blog. O conteúdo das mensagens é de única e exclusiva responsabilidade de seus respectivos autores.
Buscar no blog
Acompanhe a Gazeta do Povo nas redes sociais