*

Enkontra.com
Blog Arquibancada Virtual

Palestra com Petraglia abre luta do Atlético contra o fim da grama sintética

Mario Celso Petraglia

Mario Celso Petraglia vai abrir evento da Assocap

 

A Associação dos Sócios do Clube Atlético Paranaense (Assocap), grupo político ligado a Mario Celso Petraglia e que se intitula representante dos associados atleticanos, promove nesta terça-feira (21) uma palestra sobre o momento do clube em 2017.

O evento abre as comemorações de aniversário de 93 anos do Furacão, na sexta-feira (14), e tem como pano de fundo organizar uma manifestação contra o fim da grama sintética da Arena, a partir de 2018.

LEIA TAMBÉM: Grama sintética do Atlético, não pode. Jogar em pasto, a CBF permite

O convidado para abrir a cerimônia será justamente Petraglia, presidente do Conselho Deliberativo rubro-negro, com mediação de Luiz Sallim Emed, o presidente. O dirigente irá abrir a discussão, como convidado de honra.

O encontro será às 19 horas no auditório do Slaviero Slim Hotel, na Boca Maldita, aberta apenas para sócios e conselheiros.

Durante o encontro, a Assocap promete dar a largada para uma “manifestação histórica nas redes sociais, de amor ao Furacão e repúdio a tentativa dos adversários de impedir a utilização de grama sintética em nosso campo de jogo.”

“A palestra abre a semana de comemorações do aniversário, além da festa haverá uma demonstração de luta pelos interesses do Atlético”, avisa Doático Santos, organizador do encontro, além de aliado dos mais fiéis a Petraglia. Ele promete uma ação forte nas redes sociais durante a semana para detectar os inimigos do clube e disseminar palavras de ordem em favor da bandeira pela grama artificial.

Em recente entrevista à Gazeta do Povo, o presidente Sallim apontou uma saída diplomática para o impasse, que traz um prejuízo milionário aos cofres do clube (só a instalação do piso novo custou R$ 4 milhões).

“Temos de convencer os outros clubes, não tem outro jeito. Vou fazer visitas, pagar um café, demonstrar com argumentos que não temos ganho técnico. Mesmo as pessoas mais bem informadas às vezes não têm noção de como é a nossa grama”, explicou.