*

Enkontra.com

Airbus ‘força’ Boeing a produzir sucessor do popular 757

Airbus aposta no A321 para substituir o popular Boeing 757 (Foto: Divulgação/Airbus)
Airbus aposta no A321 para substituir o popular Boeing 757 (Foto: Divulgação/Airbus)

Airbus aposta no A321 para substituir o popular Boeing 757 (Foto: Divulgação/Airbus)
Airbus aposta no A321 para substituir o popular Boeing 757 (Foto: Divulgação/Airbus)

Hamburgo, Alemanha* – Desde 2004, quando a Boeing deixou de produzir o 757, as companhias aéreas ficaram órfãos de um avião de corredor único na faixa de 200 passageiros e com alcance suficiente para voos transoceânicos.

Por algum tempo, nem as empresas imaginavam que sentiriam falta. Nos últimos dois anos, porém, o mercado vinha pedindo um substituto, afinal há mais de 400 Boeing 757 em operação e próximos do fim da vida útil.

>> Leia mais: Boeing 737 MAX faz 1.º voo e reafirma evolução do avião de maior sucesso no mundo

>> Leia mais: TAP será cliente de lançamento do Airbus A330neo

A Boeing não demonstrou intenção de reativar a produção do 757. A Airbus relutou, mas em 2015 decidiu criar uma versão de maior alcance do A321 para se aproximar das especificações originais do avião norte-americano.

A Delta Air Lines é a maior operadora do Boeing 757
A Delta Air Lines é a maior operadora do Boeing 757 (Foto: BriYYZ/Flickr Creative Commons)

O A321LR apresenta algumas modificações em relação ao A321neo, em especial a presença de um terceiro tanque de combustível, que aumenta o alcance em 500 milhas náuticas, chegando a 4 mil no total.

A fabricante europeia projeta vender mil unidades do avião nos próximos anos, para atender rotas do Atlântico Norte e mesmo entre Brasil e Estados Unidos e também Europa. A TAP, após o investimento de David Neeleman (fundador da Azul), cogita usar o A321LR nas rotas entre Portugal e o Nordeste brasileiro.

Essa situação tem forçado a concorrente nos Estados Unidos a oferecer uma alternativa ao seu próprio 757. Por enquanto, porém, a Boeing não fala abertamente sobre o assunto e tem negado que vai lançar uma versão maior do Boeing 737-9 MAX para concorrer com o A321LR.

Apostas distintas
Enquanto a Airbus visualiza um mercado de aeronaves de corredor único para até 240 passageiros (Airbus A321neo), a Boeing entende que o mercado não vá até tão longe. Por isso, o maior avião que oferece da família 737 é o MAX 9, com 215 assentos. É nesse intervalo que a fabricante europeia acredita que entra o A321LR.

O impasse, aliás, rendeu uma piada do chefe de vendas da Airbus, John Leahy, durante o Airbus Innovation Days no fim de maio, em Hamburgo, na Alemanha.

“A Boeing ainda não batizou o avião [concorrente do A321LR], mas nós já: chamamos de Mad Max”, disse, chamando de ‘raivosa’ a possível resposta da Boeing..

Leahy tem lá suas razões para fazer piada, e não só em relação ao sucessor direto do 757. Na comparação de vendas entre o A321neo e o 737-9 MAX, a fabricante europeia leva boa vantagem. Eram 1.114 compras na carteira contra 294 (79% pró-Airbus) no fim de abril.

*O jornalista viajou a convite da Airbus.