Assinaturas Classificados

Seções
Anteriores
Publicidade

Caixa Zero

Quem faz o blog
Seções
Posts
Enviado por admin, 11/01/13 9:27:00 AM

Calçadas de granito no Batel. No resto da cidade, buracos

Rogerio Waldrigues Galindo

A prefeitura de Curitiba vive o seu momento de Maria Antonieta. Segundo a lenda, a rainha francesa, que acabou decapitada na Revolução, teria dito ao povo, que reclama da falta de pães, que a solução era simples: que comessem brioches. É evidente que a ideia de quem inventou a história era mostrar o quanto a corte era desconectada da realidade do francês comum de seu tempo. Havia duas Franças: a de Versalhes, onde tudo era fartura, e a das ruas. E as duas mal se conheciam.

Agora, descobre-se que em Curitiba a prefeitura por que a administração decidiu investir R$ 3,5 milhões nas calçadas da Avenida Bispo Dom José, no Batel, o bairro mais chique da cidade. É que, segundo relatou a reportagem da rádio BandNewsFM, as calçadas de concreto têm acabamento de granito. O que causou revolta até mesmo em comerciantes e moradores da região, que reclamam do excesso de ostentação.

Os bairros mais afastados do Centro não têm calçada em Curitiba. Quem mora no Boqueirão, no Pinheirinho, no Capão Raso, no Cajuru ou mais longe sabe muito bem disso. O sujeito tem de andar é pelo meio da rua ou desviando de detritos. Em boa parte da cidade, onde há calçadas, elas são tão ruins que o sujeito vira o pé a cada 50 metros. Fora os buracos, onde o pessoal cai.

Mas por que esses bairros não têm calçada? Porque a prefeitura segue, na maior parte dos casos, a lei: a calçada é obrigação do proprietário do terreno. O Batel é a exceção. Lá, a lei não foi seguida. A prefeitura não só decidiu que deveria fazer isso pelos moradores e comerciantes (que, obviamente, teriam como pagar, mais do que os moradores do Capão Raso) como decidiu fazer com um material bem mais caro do que o comum.

Criam-se assim (ou mantêm-se) duas Curitiba. Uma que mal tem pães. Outra que come brioches. Com os R$ 3,5 milhões da Bispo Dom José seria possível fazer calçadas mais simples em várias partes da cidade. Mas, logicamente, como sempre lembra Elio Gaspari, há os Cavalcantis e os Cavalgados.

Antes do início da campanha eleitoral do ano passado, havia escrito já aqui sobre a obra do Batel, que acabou sendo tema discutido durante a disputa pela prefeitura. Lógico que a discussão ficou restrita aos partidos “nanicos”. Os candidatos com maior chance de vitória não tocaram no assunto. Nem Gustavo Fruet.
Aliás, essa é uma boa pergunta: o que Gustavo Fruet acha das calçadas públicas de granito do Batel?

Siga o blog no Twitter.

Este é um espaço público de debate de idéias. A Gazeta do Povo não se responsabiliza pelos artigos e comentários aqui colocados pelos autores e usuários do blog. O conteúdo das mensagens é de única e exclusiva responsabilidade de seus respectivos autores.
      • NOTÍCIAS MAIS COMENTADAS
      • QUEM MAIS COMENTOU
      Tomé | 21/08/2013 | 15:28

      Muito bla bla, mas ninguém fala das calçadas padrão Fifa da vilas das torres....

      airton kraismann | 14/01/2013 | 18:24

      Mas aqui é Brasil, onde moram "figurões", ou políticos tudo de bom e do melhor, enquanto o povão que batalha, sua e paga carradas de impostos, nada.. Que fiquem nos guetos com tudo de pior.

      afonso | 14/01/2013 | 18:24

      Parabens pela obra, eu tenho bar ali a tempos a rua bispo dom jose estava largada, esquecida, hoje 50% de nosso clientes é turista e chega em curitiba e vem pra batel, estes que estão reclamando, se reune na sua rua e va na prefeitura reclamar por melhorias, deixa a prefeitura, deixar um ponto turistico mais bonito...

      alexandre souza | 14/01/2013 | 16:26

      agora so faltam os vasos sanitarios e os bides, para completar a cagada...

      Tiago | 14/01/2013 | 14:39

      Prezado Marcos A. : sou Engenheiro Civil mesmo, e não, não moro na Bispo dom José. Frequento a avenida sim, não só pelas "baladinhas" como você citou, mas também pelos inúmeros outros serviços ali existentes. Pelo que você falou, acredito que só passa por lá de carro, do contrário teria visto que existe uma base de concreto de uns 15cm por baixo do revestimento de granito que está sendo colocado.

      José de Oliveira | 14/01/2013 | 14:24

      Além do alto, custo ao ar livre o "granito" é imprópio para piso, ficará escorregadio e há risco de acidentes. Creio ainda haver tempo hábil para os administradores fazer uma correção nessa obra e utilizando o material se já adquirido para outros fins. Também devem ser responsabilizados os responsáveis pelo projeto e execução.

      jose luiz de souza | 14/01/2013 | 13:23

      CURITIBA NÃO É MAIS A MESMA.O que a prefeitura deveria fazer primeiramente é arrancar estas arvores podres das calçadas que tem provocado inclusive mortes e depois cuidar daquilo que interessa ao povo, isto é ,saude,educação , segurança e outras coisitas mais.E olhe que o Prefeito esta lá a apenas alguns dias.Vivemos uma verdadeira ditadura civil pois aceitamos tudo que vem de cima e não fazemos nada, infelizmente, pois a regra agora é cada um cuidar de si mesmo e dane-se o resto.

      Marcos A. | 14/01/2013 | 09:12

      O paver bem colocado já deixa a calçada bonita e bem funcional, não existe necessidade alguma de implantar um material 6 vezes mais caro. Mas quero ver os boys bêbados dos barzinhos e das baladinhas caminharem por essas calçadas de granito em dias de chuva. Vai ser uma comédia.

      WALNY VIANNA | 14/01/2013 | 07:34

      Fico penalizada em ver como tem jovens moradores da cidade de Curitiba com cabeça tão pequena e tão ignorantes e que falam pelos cotovelos e fazem comentários tão infantis e inconsequentes sobre obras relevantes para nossa cidade. Reflitam antes de colocar comentários ridículos como esse das calçadas em granito!!! Que bom que Curitiba está melhorando aos poucos sua identidade....que bom que já podemos ter calçadas a altura de uma cidade tida como de 1º mundo!Sinto muito mas isso é progresso!!!!

      Lugano | 13/01/2013 | 15:45

      E vem mais por aí... As obras do Metrô já estão quase no final... Obra de Beto... Mas é segredo, não pode contar para ninguem!!!

      Cezar Lemos | 13/01/2013 | 12:13

      Além do desperdício de dinheiro, as calçadas de granito tem (pelo menos) mais 2 inconvenientes: em dias de calor elas transformam-se em ante-salas do inferno, alcançando temperaturas muito elevadas que, após o pôr do sol, começam a liberar o calor acumulado durante o dia, gerando ilhas de calor. O segundo inconveniente é nos dias de chuva: as pedras tornam-se lisas como sabão e transitar por tal superfície é praticamente impossível. Vale a pena investir uma fábula de dinheiro neste tipo de piso?

      Felipe Burlamaqui | 12/01/2013 | 22:18

      Não vejo necessidade de calçadas de granito em lugar nenhum do mundo. É um completo absurdo. Mas o mais ridículo são alguns comentários que li aqui, colocando a pobreza como opção. Como se a causa da pobreza fosse preguiça! Para que você mantenha seu padrão de vida, várias outras pessoas se acabam de trabalhar 60h/semana por uma merreca de salário ínfimo. Ninguém enriquece trabalhando. O mínimo que você rico deveria ter é INFORMAÇÃO. Em que sua mamãe gastou o dinheiro dela? Em educação não foi!

      elaine | 12/01/2013 | 19:39

      a maioria das ruas de Curitiba não tem nem calçadas de concreto pra nadar e no batel estão colocando granitoooo.. que vontade de pegar uma picareta e quebrar tudoooooo...

      AdolphH | 12/01/2013 | 19:20

      Já era hora de fazer algo para os que mais recolhem IPTU. Esta história de distribuição de renda só fomenta a preguiça dos incompetentes.

      Curitibano Burro | 12/01/2013 | 18:50

      "Estamos falando do cartão de visita para o publico turistico jovem de Curitiba" vc é um BABACA, só pensa em uma minoria, vai para outros bairros de curitiba pra ver, rua está uma bosta esse DUCCI só fez merda mesmo e idiotas como vc aprovam isso, seus otários vão tudo comer merda.

      Johnny LaRoche | 12/01/2013 | 18:11

      O problema está na legislação: calçada é espaço público e deve ficar sob responsabilidade do poder público. Esse é mais um devaneio da gestão municipal anterior, à qual a população já reprovou e destituiu do poder. Se a obra está regular, continue; se não estiver, interrompa e mande a conta para o Ducci. Não se esqueça, Prefeito Gustavo Fruet, que você prometeu atenção às calçadas de toda a Curitiba. Confiamos em você!

      Mozer | 12/01/2013 | 16:49

      Alguém, nos comentários anteriores, ironizou algo sobre os impostos serem, em outros bairros, mais baratos do que no Batel. Uma informação para esse mentecapto: na minha casa, tivemos de PAGAR pelas calçada construída. Cada paver saiu do bolso do meu pai, embora ele tenha pagado bastantes impostos durante o ano. Por que diabos na "nova Colombo" teve de ser diferente? Pavers ecológicos já estariam de bom tamanho - saindo do bolso do pessoal do Batel, como ocorre no resto (ou "resto") da cidade.

      Luiz Henrique | 12/01/2013 | 12:36

      Gente, por favor. Estamos falando do cartão de visita para o publico turistico jovem de Curitiba, vejam nos Hosteis Internacionais de Curitiba (Hostel Roma e Curitiba Eco Hostel), onde as pessoas querem ir na sua noite, é a mesma coisa que dizer que o espeço do Jardim Botânico só é preservado e só tem o investimento que tem por ser no "Cristo Rei".

      Rafael V. | 12/01/2013 | 10:57

      Gostaria de dizer que vcs sao uns babacas, 3milhoes para fazer issso, um calçadinha normal ja ficaria bem, agora esses politicos me enojam cada dia mais, e esse pessoal que esta postando aqui sao tudo uns egoistas, o povo precisa de escola e saude e nao de BARES E PROSTIBULOS!

      Gustavo | 12/01/2013 | 01:44

      Sou morador da bispo dom josé desde pequeno e nesse tempo nunca teve uma reforna na minha rua e agora que estão reformando o povo reclama que a calçada é granito vão arrumar o que fazer. Olha a arena era pra ser o estadio com menos custo e uns dos primeiros a ficar pronto olha como ta agora um dos estadios mais caros e nem pronto esta disso ninguém reclama né VÃO ARRUMAR O QUE FAZER

      Antonio | 12/01/2013 | 01:38

      Povinho indeciso....se existe investimento de recursos de impostos reclama, se não há investimento reclama. O valor da obra não é somente para a 'Calçada da discórdia" e sim para toda a estrutura (rua/iluminação/canalização,telefonia/sinalização...). Proprietários de imóveis do Batel pagam os maiores impostos da cidade e a Rua Bispo Dom José não tem melhoras há mais de 25 anos. Já que citaram outros bairros que tem calçadas mais baratas, poderiam se informar quanto é pago de IPTU em cada bairro.

      Rosangela Castro | 12/01/2013 | 01:14

      Hospitais em pessimas condicoes,a prefeitura com rombo no orçamento de 300 milhoes,a cavo nao recebe repasse de verbas e registra prejuizo de 60 milhoes,o mesmo com A saneamento ambiental urbano (combate a dengue) que nao tem como pagar os agentes e tem prejuizo de 3 milhoes porque a prefeitura nao paga...e vem fazer uma coisa dessas ? gastar uma fortuna com calçadas de luxo num bairro de luxo ????? tenham santa paciencia !! Ridiculo...em qualquer pais civilizado isso seria caso de policia ,mas aqui na republica das bananas essa abominaçao financeira é lícita...lamentavel !

      druciana | 11/01/2013 | 22:59

      É bem a cara da Prefeitura fazer isso mesmo, a educação vai de mal a pior, os hospitais, postos de saúde então, uma coisa horrorosa, e todo dia se tem noticia ou de um politico que fraudou, que roubou e fica as vezes por isso mesmo, uma calçada dessas feita e custeada pela Prefeitura isso sim é o fim mesmo, os pobres que são a massa dos votos não tem nem asfalto decente na porta de casa, e isso é só o começo tenho até medo de ver as noticias desse ano em diante.

      Renata Andrade | 11/01/2013 | 22:26

      "Em uma consulta a algumas lojas de Curitiba, a reportagem descobriu que o modelo usado na Avenida Bispo Dom José custa, em média, R$ 190 o metro quadrado, enquanto o paver, usado na Avenida Carlos de Carvalho, custa cerca de R$ 30". Fonte: Diego Ribeiro pela Gazeta.

      marcos | 11/01/2013 | 22:21

      Isso é a prova mais concreta da desigualdade social que existe em nosso pais e porque nao em nossa cidade. A regiao da cic por exemplo, era para ser um polo industrial desenvolvido, no entando hoje vive o contraste de grandes empresas e varias areas irregulares de habitaçao. A populaçao muitas vezes vivem sem o minimo de condiçoes de saneamento, saude e urbanismo. Esses 3,5 milhoes de reais poderiam servir para investimentos nas grandes areas carentes. Onde estao as creches que tanto prometeram?

      Lugano | 11/01/2013 | 22:03

      Menos o Metrô!!! kkkkkkk

      Lugano | 11/01/2013 | 22:03

      Será que eu sou o único cara que sabe que Fruet criou esta "oposição" a Ducci só para ganhar a eleição, que amigo pessoal de Beto que é, vai continuar camuflando a caixa preta da prefeitura, que vai construir mais elefantes brancos na cidade de "OZ", que agora como prefeito vai destruir as provas de seu envolvimento no caixa 2??? Que povinho com memória de peixinho dourado, vcs esperavam o que??? E só para constar mais obras absurdas vão aparecer, mas vcs só vão saber quando estiver prontas!

      Everton | 11/01/2013 | 20:14

      Nada mais justo! Justíssimo! Imagine se os "baladeiros", os "boys", as pessoas da "night" podem pisar em concreto! Imagine! Estragar com pó do povo suas roupas caríssimas! Saúde pública? Segurança? Educação? O que é isso? Ah! A fome é coisa de cinema! Estamos vivendo numa época marcada pela abundância! Ah, como é bom morar neste país! Eu amo o Brasil! Ta aí! Falta isso para salvar a pátria! BOLSA BALADA, num bairro BADALADO, numa cidade badalada, com chão de GRANITO! VERGONHA! ISSO É NOJENTO

      Anésio | 11/01/2013 | 20:03

      Será que irão construir também muralhas ao redor do Batel?

      Maria Inez | 11/01/2013 | 18:50

      Quanto maior é a obra maior é a chance de roubo, sem falar nos compromissos assumidos com os que ajudaram na campanha. Vamos ver como se posiciona o Fruet, pra então decer-mos o sarrafo nele tambem ou só no Ducci, que nessas alturas náo tá nem aí. Estamos de ôlho....

      Migracao? tsc... | 11/01/2013 | 18:26

      antonio, o infeliz... parece que curitibano e um ser europeu trancafiado num planalto sulista do territorio brasileiro em pleno hemisferio sul! Se curitibano fosse esse ser tao superior ao resto do pais certamente nossa assembleia legislativa seria um exemplo para a nacao, os servi;os publicos seriam modelo, o contraste social nao existiria, nossa policia seria eficiente, nossos hospitais sobrariam vagas! Pois eh antonio, mude-se pra europa, ou cale-se antes de falar bobagens!

      Maria Antonieta | 11/01/2013 | 18:14

      Acho válidas as calçadas de granito do Batel. Vocês não sabem que sufoco é ter que sair de salto do meu prédio aqui na Av. Bispo Dom José sem destruir meus lindos Louboutins!

      Lindamir Ganz | 11/01/2013 | 17:31

      Esses dias vi uma pessoa andando com muletas ao lado do hospital evangélico, que dó!! Desviava um buraco, batia num paralelepípedo solto devido as raízes das árvores... Um horror andar ali!

      Jorge | 11/01/2013 | 17:26

      que comece a guerra civil!

      clóvis martins | 11/01/2013 | 17:24

      Quanto custa da uma das duas opções e quem está pagando? Cadê a resposta da Prefeitura? Sem isso é só mesmo conversa fiada.

      marcelo santana | 11/01/2013 | 17:11

      HERANÇA MALDITA DEIXADA PELO DUCCI.

      antonio | 11/01/2013 | 17:05

      pelo nível dos comentários violentos, só reforça a minha teoria de que a migração estragou e acabou com a cultura curitibana. ô gente feia, ignorante e besta. É devido à imigração que hoje temos índices de homicídios maior do que Rio de Janeiro e Nova Iorque. Curitiba nunca mais será uma cidade modelo para o mundo. Acabou. Abriram as portas para os ignorantes.Eles vieram,tomaram conta e se reproduziram.

      Hélio | 11/01/2013 | 16:58

      Acho que é coisa da Maria Grecca Antonieta rsrsrsrsrs

      Luiza | 11/01/2013 | 16:57

      Se as calçadas no Batel são pra ostentação, as da Vila Torres são para angariar votos em futuras eleições. Quem paga pelas duas é o cara que paga o seu IPTU todos os anos com acréscimos abusivos. Tá faltando educação política para o povo de Curitiba.

      Marcos A. | 11/01/2013 | 16:55

      Tiago, você deve ser engenheiro de design, porque de obra parece não entender nada. Acha mesmo que essas lajotinhas finas aguentam 20 ou 30 anos? Deve morar em frente ou viver na baladinha. Realmente a dedicação e o excepcional trabalho é a marca registrada da prefeitura em toda a cidade.

      HAMILTON RODRIGUES DE LIMA | 11/01/2013 | 16:55

      SÓ POR CURIOSIDADE: FALA-SE TANTO EM CALÇADAS PADRONIZADAS EM FRENTE AOS IMÓVEIS DE CURITIBA E GOSTARIA DE SABER SE POR ACASO A PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA VAI FAZER O MESMO EM TODA A CIDADE, POR CONTA DO MUNICÍPIO, ESTE NOVO MODELO QUE ESTÁ SENDO IMPLANTADO NO BAIRRO BATEL???????...PORQUE SE NÃO FOR, OS RESPONSÁVEIS DEVEM SER PUNIDOS POR "PRIVILÉGIO EM DEMASIA A APENAS UM BAIRRO", ONDE OS MORADORES NÃO TEM CULPA, EM DETRIMENTO DE TODA UMA CIDADE. #podeisso?

      fabiola | 11/01/2013 | 16:50

      Tb acho que faltou na matéria falar o preço em relação aos demais materiais. Falam granito como se fosse um material inusitadom mas antigamente, antes do advento do paver, as calçadas todas eram de granito, algumas ainda são inclusive, apenas era bruta e com um corte diferente deste. E esta informação de que o Shopping novo estaria bancando uma parte é verdadeira?

      Poe Granito no **!!!!!!!!!!!!!!!!! | 11/01/2013 | 16:40

      Não sou a favor! Acho sem sentido! As calçadas de pedras de cimento, em bloco intertravado, que estão substituindo muitos paralelepipedos, são lindas e eficientes! Uma coisa é construir calçada de granito na França! Outra é construir no Brasil! http://extra.globo.com/noticias/rio/calcadas-em-paris-nova-york-londres-prioridade-a-colocacao-de-blocos-de-granito-cimento-273535.html

      Dalmo | 11/01/2013 | 16:38

      Dá-lhe Beto Racha! Sempre querendo impressionar as mulheres, de salto, hehehehe

      Marcos A. | 11/01/2013 | 16:37

      Para começar, as calçadas jamais deveriam ser responsabilidade do proprietário do terreno, pois já foi visto que isso não funciona minimamente. Quando existe a calçada, é sem padrão algum, não tem sequer um alinhamento correto e nem alturas iguais. Cada um usa o material que bem entende, dificultando até o trabalho da Sanepar e outras, que por vezes tem que quebrar, mas não acha material igual para recompor. nõacada um usa o material que deseja,

      Renan | 11/01/2013 | 16:31

      Isso é uma vergonha. Queria saber a opinião do atual prefeito. Mas queria mais ainda saber a opinião do Beto Richa, já que esse dinheiro está saindo do Fundo de Desenvolvimento Urbano, governo estadual. Enquanto o Batel tem calçada de granito a Belas Artes nem prédio tem, e o Governador afirma "falta de verbas" e "outras prioridades".

      Evelin | 11/01/2013 | 16:28

      SOLUÇÃO: CRIAR UM MOVIMENTO E QUEBRAR AS CALÇADAS

      Juliano de Campos | 11/01/2013 | 16:24

      Parabéns Curitiba um exemplo de Administração e ótimos investimentos. Isso chega a dar nojo, vergonha e revolta. 3,5 milhões em calçada de granito em quanto postos de saúde estão se acabando e mato alto. E sem contar a falta de médicos e medicamentos. Sem contar a falta de Segurança e Educação. Isso é no minimo Vergonhoso.

      FABIO | 11/01/2013 | 16:18

      PORQUE É NO BATEL, VAI VER SE EM UM BAIRRO MAIS HUMILDES HÁ ESSE TIPO DE CALÇADAS, NEM TEM CALÇADAS,OU SÃO TODAS IRREGULARES CHEIO DE BURACOS, A PREFEITURA FICA MASCARANDO A CIDADE DE CURITIBA, COMO CIDADE MODELO, MAS NA VERDADE ,E MODELO PARA POUCOS...

      Juliano de Campos | 11/01/2013 | 16:17

      Parabéns Curitiba um exemplo de Administração e ótimos investimentos. Isso chega a dar nojo, vergonha e revolta. 3,5 milhões em calçada de granito em quanto postos de saúde estão se acabando e mato alto. E sem contar a falta de médicos e medicamentos. Sem contar a falta de Segurança e Educação. Isso é no minimo Vergonhoso.

      Aline | 11/01/2013 | 16:17

      E nos terminais de ônibus, rodoviária aquelas calçadas horríveis cheias de buraco, fora os bairros que nem precisa ser muito afastado pra vc achar várias ruas sem nem guia, muito menos calçadas. Vamos ver o que nosso prefeito tem a dizer sobre isso.

      Marco | 11/01/2013 | 16:13

      O mais estranho é ninguém questionar as inúmeras obras desnecessárias com valores absurdos realizadas pela Prefeitura na gestão Richa/Ducci. Do viaduto estaiado, passando por asfalto novo em ruas com pavimentação em bom estado, nova sinalização, novas calçadas, chegando às calçadas de granito. Acho que os administradores deveriam ser responsabilizados diretamente por esse gasto infundado de nosso dinheiro...

      Anica Bitten | 11/01/2013 | 16:11

      Imagina que beleza em dia de chuva. Vão colocar aqueles recados de "cuidado: piso escorregadio" como nos shoppings?

      joelma filipowski | 11/01/2013 | 16:07

      tem algo de errado na matéria quem paga a calçada e o dono do terreno em frente da mesma, então não é a prefeitura que esta fazendo pois é LEI......então tem algo errado ai.....

      Luigi | 11/01/2013 | 16:01

      Até onde eu ouvi falar, esta obra estava sendo bancada, em acordo com a prefeitura, pelo Shopping novo que irá abrir, como contrapartida a sua instalação na região...

      Cris | 11/01/2013 | 15:59

      Se eu fosse moradora de um desses bairros necessitados de pavimentação e calçadas, eu faria igual os índios fazem quando ocorre acidente em laranjeiras do Sul, iria saquear a carga, ou seja, vaí lá pega o granito e faz a calçada na frente da sua casa, e quero ver a prefeitura te acusar de furto se vc pagou os impostos e tem o mesmo direito de desfrutar desta regalia como qualquer outro morador que tem sua casa e/ou seu estabelecimento comercial nesta mesma rua. Palhaçada hein,

      Marcos A. | 11/01/2013 | 15:55

      Para começar, as calçadas jamais deveriam ser responsabilidade do proprietário do terreno, pois já foi visto que isso não funciona minimamente. Quando existe a calçada, é sem padrão algum, não tem sequer um alinhamento correto e nem alturas iguais. Cada um usa o material que bem entende, dificultando até o trabalho da Sanepar e outras, que por vezes tem que quebrar, mas não acha material igual para recompor. nõacada um usa o material que deseja,

      Tiago | 11/01/2013 | 15:54

      Garanto que quem mora no boqueirão, no Pinheirinho, no Capão Raso, no Cajuru ou mais longe, sabadão a noite está se divertindo nos bares da Batel, e duvido que reprove a revitalização da rua. Vamos parar de demagogia. O local é público, qualquer um pode aproveitar o espaço e a tempos a batel estava merecendo um banho de loja mesmo. Sem contar na durabilidade desse material, sou engenheiro e passei a pé por ali esses dias, a obra está sendo muito bem feita, é coisa para durar 20 ou 30 anos.

      Elias Ubirajara Kasecker Junior | 11/01/2013 | 15:52

      Segundo as Leis em vigor a responsabilidade da confecção, conservação e manutenção de calçadas em frente aos terrenos é do proprietário deste. Porém, os políticos que ou desconhecem, ou não seguem as Leis, preferem executar as calçadas para garantir votos (na minha opinião há desvio de recursos) de modo gratuito. Deveria ser cobrada a contribuição de melhoria e o proprietário que não mantivesse a calçada em boas condições deveria ser multado. Abaixo a compra de votos.

      Meira | 11/01/2013 | 15:38

      Fica bem nas calçadas de Dubai, onde o dinheiro rola a vontade. Aqui e outra realidade, oque é prioridade. https://www.facebook.com/photo.php?fbid=481007005274926&set=a.200899863285643.44981.100000968927166&type=1&relevant_count=1

      José Francisco | 11/01/2013 | 15:35

      Eu proponho o quebra quebra, o Prefeito assumiu dizendo ter um déficit de alguns milhões, ponte estaiada e tudo mais, o governador não se pronuncia, vamos dar a eles motivos para reclamar de verdade. Não restará nenhum granito sobre pedra nessa calçada!!! Povo pobre de Curitiba uni-vos!!! Que o espírito de Robin hood reencarne nessa esfera podre chamada capital

      Edison Luiz | 11/01/2013 | 15:32

      Vale lembrar que a prefeitura assumiu a construção das calçadas em outros lugares também, por exemplo, nas ruas do tal do Anel Viário. Claro que não são de granito, mas essas ruas também já tinham calçadas (tá, eram horríveis, mas tinham). Estão realmente criando duas Curitibas. Isso não pode ser bom.

      Jairo Andrade | 11/01/2013 | 15:32

      Deveriam sim, adotar esse padrão para toda Curitiba, e não somente no Batel. As Marias Antonietas da prefeitura, tem é que se preocupar com as reformas feitas nas escolas da rede municipal, onde são colocados materiais de segunda linha, e um serviço muito , mas muito mal executado. Como falávamos em meu tempo de guri: Feito nas coxas.

      Luiz Fernando Pereira | 11/01/2013 | 15:31

      A despeito do granito (afinal, os paralelepipedos ou lousinhas tambem sao de granito, embora nao polido), penso que a sacanagem maior é esta exceçao a regra das calçadas bancadas pelos proprietários. Quanto ao "desequilíbrio calçadístico", nem é preciso ir tao longe: no Campina do Siqueira, em muitas ruas por lá nao tem calçada (e tampouco asfalto, só o maldito antipó), bem como em alguns lugares no Bigorrilho.

      Eder Cavalheiro | 11/01/2013 | 15:23

      É, pelo jeito o antigo prefeito pensava apenas no Batel, esquecendo do restante dos bairros, deixemos para à nova gestão embargar esta obra, é o que todos os curitibanos que tem consciência esperam do novo prefeito.

      Roberto | 11/01/2013 | 14:15

      Sei lá. Achei o testo nada a ver. Uma obra não exclui a outra. Um bairro é mais turístico, talvez por isso demande um serviço melhor. Não estou dizendo que não tenha que ter em outros bairros. Mas a matéria foi tendenciosa e não trouxe valores. O granito de baixa qualidade pode ser mais barato que as pedrinhas da XV. Como o Luiz Andrade falou, houve a cobrança do tributo?

      Guilherme Caldas | 11/01/2013 | 14:04

      No Boqueirão, ao menos, fomos brindados por ruas lindamente asfaltadas, como a Carlos de Laet. Como esqueceram de fazer as calçadas, os moradores podem agora compartilhar o asfalto com carros que andam a velocidades até então desconhecidas por aqueles trechos.

      CARLOS CUBAS | 11/01/2013 | 13:20

      Show de bola!!! Se todos os reporteres fizessem matérias como essa, com críticas inteligentes e ilustrativas para a população ficar ciente do que é gasto o dinheiro público, acredito que não se fariam essas distinções tão estapafurdias entre os pagantes de impostos.

      Vilma Lenir Calixto | 11/01/2013 | 11:14

      Ah, mas que bom haver uma voz em um jornal falando sobre isso!! Já fui moradora do Boqueirão e tive que andar - com filhos pequenos - ao lado de carros!Tenho uma irmã moradora do Novo Mundo/CIC, num dos maiores e mais antigos conjuntos de Curitiba ( o Mauá) e, pasmem, ainda não há calçadas ali!! Também quero saber o que o prefeito acha das calçadas extremamente diferentes da qual o colunista fala. Essa diferença não pode continuar a existir!!

      antonio | 11/01/2013 | 11:02

      eu só gostaria de saber se afinal, é crime ou nao dirigir embriagado a 170 km/h, causar um acidente que resulta em 2 mortes!!! Quantas décadas o Judiciário vai demorar para analisar o causo? Porque nao se fecha o Judiciário entao? Acho que iríamos economizar muito dinheiro com supersallários, energia elétrica, gasolina, férias da turma, papel, clips.....

      William Diego Mistrelli | 11/01/2013 | 11:01

      Parabéns pelo artigo.

      Luiz Andrade | 11/01/2013 | 10:05

      Na Vila Torres a prefeitura também fez calçadas (obviamente que não de granito). Eu acho que seria relevante saber se está sendo cobrada (em ambas as obras) a "contribuição de melhoria", através da qual os moradores custeiam parte do valor das obras que resultam em valorização dos imóveis.

      Publicidade
      Publicidade
      Publicidade
      «

      Onde e quando quiser

      Tenha a Gazeta do Povo a sua disposição com o Plano Completo de assinatura.

      Nele, você recebe o jornal em casa, tem acesso a todo conteúdo do site no computador, no smartphone e faz o download das edições da Gazeta no tablet. Tudo por apenas R$ 49,90 por mês no plano anual.

      SAIBA MAIS

      Passaporte para o digital

      Só o assinante Gazeta do Povo Digital tem acesso exclusivo ao conteúdo do site, sem nenhum custo adicional ou limite.

      Navegue com seu celular ou baixe todas as edições no tablet - um novo jeito de ler jornal onde você estiver.

      CLIQUE E FAÇA PARTE DESSE NOVO MUNDO

      »
      publicidade