*

Enkontra.com
Blog Caixa Zero
Blog Caixa Zero

Cristiane Brasil, a ministra que queria aumentar as saias das mulheres

Cristiane Brasil. Foto: Antonio Augusto/Ag. Câmara.
Cristiane Brasil. Foto: Antonio Augusto/Ag. Câmara.

Nenhuma surpresa no fato de Michel Temer nomear Cristiane Brasil como ministra do Trabalho. É assim que tem funcionado este governo desde o primeiro dia: escolhe seu primeiro escalão como quem monta um time de denunciados.

O processo de nomeação já fala muito sobre a nova ministra. Foi seu pai, Roberto Jefferson, quem negociou tudo. Seu fiador, portanto, é o mesmo sujeito que foi o estopim do escândalo do mensalão – um homem que recebia malas de dinheiro e que foi preso e condenado por isso.

A deputada não tem qualquer currículo que a faça útil num ministério. Seu projeto mais célebre até hoje é o que tenta limitar o modo como as funcionárias do Congresso podem se vestir. Seu momento mais brilhante, o voto contra Dilma e de camisa da CBF.

Leia mais: Esposa de Moro diz para eleitor fugir de réus. Estaria falando de Lula?

Mas a deputada não é só filha de corrupto. Tem méritos próprios. Um delator da Lava Jato disse que lhe entregou R$ 200 mil pessoalmente. E a preocupação dela? Saber se não estava sendo filmada. Garota esperta. Prontinha para o primeiro escalão.

Cristiane não é ministra. É apenas um instrumento para que seu partido vote com o governo e aprove as medidas que Temer precisa aprovar para pagar a dívida com quem o levou à Presidência. Que, aliás, não foi Deus. Foi o PSDB.

Temer está no governo meramente para fazer as medidas impopulares que os tucanos não queriam ter de enfrentar caso ganhem a eleição de 2018. “É para isso que o zumbizão está lá”, disse, sem saber que era ouvido, o grande comentarista político Kim Kataguiri.

É para isso que Cristiane está lá. Para garantir os votos dos aliados de Roberto Jefferson. Que bem sabemos como faz os seus negócios.

Siga o blog no Twitter.

Curta a página do Caixa Zero no Facebook.