Justiça manda reintegrar sociólogo da Embrapa demitido por criticar a instituição
Caro usuário, por favor clique aqui e refaça seu login para aproveitar uma navegação ainda melhor em nosso portal. FECHAR
Blog Conexão Brasília
Blog Conexão Brasília

Justiça manda reintegrar sociólogo da Embrapa demitido por criticar a empresa

O pesquisador Zander Navarro, que foi demitido da Embrapa.
Divulgação/governo de SP

Uma decisão liminar do juiz Marcos Alberto dos Reis, da 17ª Vara do Trabalho do Distrito Federal, reintegrou o sociólogo Zander Navarro aos quadros da Embrapa. Ele foi demitido da empresa em 8 de janeiro por ter se manifestado publicamente, em artigo num jornal, contra a falta da estratégia da estatal. Ele entende que as pesquisas na instituição estão voltados para atender o agronegócio.

Navarro foi demitido por ter violado as “regras de ética e condutas” da instituição, que é vinculada ao Ministério da Agricultura. A Embrapa já foi notificada da decisão. Foi estipulada uma multa de R$ 200 por dia se a empresa não cumprir a decisão.

Na ação, Zander Navarro argumentou que sua demissão foi um ato de perseguição e uma ação truculenta e arbitrária. Ele faz duras críticas ao presidente da Embrapa, Maurício Antônio Lopes, e disse à Gazeta do Povo estar receoso do que pode lhe acontecer nessa sua reintegração à empresa.

“Só espero hostilidade, mais nada. Não sei o que farão. Não posso nem imaginar. Voltar para minha sala de trabalho. Ver o que vai acontecer. Claro que tenho muita expectativa. A justiça foi feita”, afirmou Navarro, que voltou a criticar o comportamento do presidente da instituição.

Leia também: Demissão de funcionário da Embrapa mostra o laudo autoritário das estatais

“Ele tem muito poucas relações pessoais. Não sei por que desenvolveu essa hostilidade. A Embrapa tem uma cultura institucional arbitrária, da época da ditadura. E o presidente é uma figura autocentrada, uma vaidade quase patológica. Busca os holofotes o tempo inteiro. Não admite opinião diferente da dele”, afirmou Navarro.

O juiz Marcos Reis marcou a audiência do caso para o dia 26 de fevereiro e determinou que a Embrapa apresente sua defesa e assegure amplo direito de defesa a Navarro.

Histórico

O sociólogo ingressou na Embrapa em 2011, por concurso público. Mestre e doutor em Sociologia Rural, Navarro se aposentou como professor na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRS).

Em 2010 decidiu fazer o concurso para a Embrapa. Aprovado, foi chamado um ano depois para trabalhar. Até ser demitido, era lotado justamente na Secretaria de Inteligência Estratégica da empresa, em Brasília. Era praticamente o único sociólogo na empresa atuando na área. Os outros estão deslocados em funções administrativas.

Outro lado

A Embrapa foi informada pelo advogado de Zander Navarro sobre a decisão liminar da Justiça do Trabalho que determina sua reintegração. A Embrapa aguarda informação oficial da Justiça para tomar as providências cabíveis.

Leia também: Datafolha – Se Lula não concorrer, veja quais candidatos ficam com os votos dele