*

Blog Dinheiro Público

As Professoras da Faculdade de Direito da UFPR

Formatura da Turma Diurna (3 de fevereiro de 2017)

Em todos os anos temos formatura dos novos bachareis em Direito na UFPR. Sempre uma bela festa, orgulho das ex-alunas, ex-alunos, das mães, pais, das professoras e professores. Nesse ano, na colação de grau da turma diurna, na última sexta-feira (3), não foi diferente, exceto por um fato histórico: desde final de 2016, a Faculdade de Direito é dirigida por professoras.

No curso de Direito havia poucas professoras num passado não tão longínquo. Hoje, são 24 professoras (de 82, no total). A Diretora do Setor de Ciências Jurídicas (da Faculdade de Direito) é a Prof. Dra. Vera Karam de Chueiri; a Vice-Diretora, a Prof. Dra. Maria Cândida do Amaral Kroetz; a Coordenadora do Programa de Pós Graduação em Direito (mestrado e doutorado) é a Prof. Dra. Clara Maria Roman Borges; a Vice-Coordenadora, a Prof. Dra. Ana Carla Harmatiuk Matos; a Vice-Coordenadora da Graduação é a Prof. Dra. Tatyana Scheila Friedrich; a Chefe do Departamento de Direito Privado é a Prof. Dra. Katya Kozicki; a Suplente do Departamento de Direito Público é a Prof. Dra. Melina Girardi Fachin. Em 2017, a Prof. Dra. Aldacy Rachid Coutinho tornou-se a primeira Professora Titular da Faculdade. E na formatura, o nome da turma é Prof. Dra. Angela Cassia Costaldello.

Há um verdadeiro sentimento de orgulho em ter uma cúpula da Faculdade de Direito da UFPR inteiramente feminina. Nos últimos anos, as mulheres vêm conquistando a igualdade em espaços tradicionais. Por isso que na colação de grau, em pleno Teatro Guaíra, os discursos da Diretora, Prof. Vera, e da Coordenadora da Pós Graduação, Prof. Clara, foram tão simbólicos e tão justos.

Disse em seu discurso a Prof. Vera que a Faculdade é “o nosso maior orgulho, pois uma das melhores faculdades de direito da federação brasileira, senão a melhor, pois fundada na pluralidade, na diversidade, na solidariedade que se reconhece e se respeita e pelas quais se milita”, enquanto que, quase como uníssonas, a Prof. Clara revelou acreditar “que a formação que [estudantes] tiveram fez com que se tornassem profissionais que sabem ouvir, dialogar, conviver com a diversidade, a pluralidade e cujas práticas jurídicas não buscarão silenciar o Outro, anulá-lo, mas torná-lo o elemento que atribui sentido ao próprio direito”.

Foi um evento memorável. Para a Faculdade de Direito. Para a igualdade da mulher. Para a sociedade.

***

Para ler o discurso da Prof. Vera, clique aqui. E o discurso da Prof. Clara, clique aqui.

mais conteúdo após a publicidade
Acompanhe a Gazeta do Povo nas redes sociais