PUBLICIDADE

Espanto

Enviado por rsilva@gazetadopovo.com.br, 12/08/13 3:57:49 PM

Círculo de Fogo presta uma bela homenagem aos monstros gigantes do Japão

Cena do filme "Círculo de Fogo".

Cena do filme “Círculo de Fogo”.

Existe um grande abismo entre Círculo de Fogo (confira os horários das sessões nos principais cinemas do Paraná) e os outros grandes blockbusters que estrearam este ano nos cinemas. Diferente de O Homem de Aço, Além da Escuridão: Star Trek e Guerra Mundial Z, o novo filme de Guilhermo del Toro não adapta ou refilma uma narrativa pré-existente, mas se apropria de um conceito para criar uma obra cheia de energia e candidata a se tornar um dos melhores títulos do ano.

A trama, para quem perdeu qualquer publicidade do filme, coloca os humanos a beira da extinção, enfrentando ataques recorrentes de monstros gigantes, chamados de kaijus. Um projeto de robôs gigantes foi anunciado como a salvação logo que a ameaça apareceu, mas o financiamento desaparece depois de recorrentes derrotas robóticas. A última esperança da Terra reside num ataque ao portal de passagem dessas criaturas, uma fenda que fica no fundo do oceano pacífico.

Exímio contador de histórias, como provam os dois Hellboys e A Espinha do Diabo (2001), del Toro faz aqui uma declaração de amor à cultura japonesa, mais especificamente às produções de monstros e efeitos visuais, chamadas de Tokusatsu – subgênero da ficção científica de horror que tem Godzilla como seu primeiro e maior representante. Círculo de Fogo apresenta um hall de seres bestiais que homenageiam “personagens” como Gamera, Rodan, Gigan, Megalon e o crustáceo Sea Monster.

Esqueleto de monstro é removido por humanos, em "Círculo de Fogo".

Esqueleto de monstro é removido por humanos, em “Círculo de Fogo”.

Embora seja um prato cheio para um nicho específico, pois parece um filme de meninos (diria uma amiga minha), o longa-metragem do cineasta mexicano tem várias qualidades que o destoa de outras produções com a mesma essência. A começar pelo elenco, encabeçado pelos ótimos Idris Elba (Luther) e Charlie Hunnam (Sons of Anarchy). Ou seja, nada das interpretações afetadas vistas na série Transformers.

Os humanos não chegam a ser o centro da atenção do diretor no filme, que entende bem o que o público quer ver nesse tipo de produção. Quando pessoas são mostradas em cena, elas se tornam vítimas que precisam ser protegidas pelos protagonistas, conectados aos robôs gigantes – que também homenageiam vários outros “personagens” japoneses, como Jet Jaguar e Ultraman. Nada de milhares de vidas inocentes perdidas ao acaso, como visto no novo Superman.

Os heróis de múltiplas nacionalidades lidam com temas como luto, traumas e a aceitação da morte. Tudo isso com um ritmo de ação desenfreada, pois del Toro não tira o pé do acelerador, o que torna sua obra bem dinâmica. Quem dera todos os filmes de verão americano fossem assim. A crise de originalidade de Hollywood estaria resolvida.

Este é um espaço público de debate de idéias. A Gazeta do Povo não se responsabiliza pelos artigos e comentários aqui colocados pelos autores e usuários do blog. O conteúdo das mensagens é de única e exclusiva responsabilidade de seus respectivos autores.
      • NOTÍCIAS MAIS COMENTADAS
      • QUEM MAIS COMENTOU
      Buscar no blog
      Assine a Gazeta do Povo
      • A Cobertura Mais Completa
        Gazeta do Povo

        A Cobertura Mais Completa

        Assine o plano completo da Gazeta do Povo e receba as edições impressas todos os dias da semana + acesso ilimitado no celular, computador e tablet. Tenha a cobertura mais completa do Paraná com a opinião e credibilidade dos melhores colunistas!

        Tudo isso por apenas

        12x de
        R$49,90

        Assine agora!
      • Experimente o Digital de Graça
        Gazeta do Povo

        Experimente o Digital de Graça!

        Assine agora o plano digital e tenha acesso ilimitado da Gazeta do Povo no aplicativo tablet, celular e computador. E mais: o primeiro mês é gratuito sem qualquer compromisso de continuidade!

        Após o período teste,
        você paga apenas

        R$29,90
        por mês!

        Quero Experimentar