*

Enkontra.com
Blog Francisco Escorsim

As 12 músicas mais machistas de Chico Buarque

Antonio Costa / Gazeta do Povo
Antonio Costa / Gazeta do Povo

Até que enfim as feministas enxergaram o machismo de Chico Buarque. Em Tua Cantiga, sua nova música, ele canta machisticamente: “Quando teu coração suplicar / Ou quando teu capricho exigir / Largo mulher e filhos e de joelhos vou te seguir”. Embora esteja certo em ficar de joelhos e seguir uma mulher, é evidente que abandonar outra é uma afronta à sororidade. Ninguém pode compactuar com algo assim. #juntassomosmaisfortes.

Com muito acerto as mulheres vêm reclamando dessa música. Mas a verdade é que Chico Buarque é muito mais machista do que isso e passou da hora de ele ser desmascarado. E vou provar com suas próprias músicas. Fiz a lista por ordem cronológica e não pelo grau de opressão porque não consegui dimensionar qual delas seria pior que as outras.

1. Madalena foi pro mar, do primeiro disco, Chico Buarque de Hollanda, de 1966:

Madalena foi pro mar
E eu fiquei a ver navios
Quem com ela se encontrar
Diga lá no alto mar
Que é preciso voltar já
Pra cuidar dos nossos filhos

Eis a típica voz do patriarcado que acha que mulher tem de ficar em casa cuidando dos filhos. E daí se ela saiu para pescar, Chico? Ela é livre, cuide você das crianças, ora.

2. Logo eu?, do disco Chico Buarque (vol. 2), de 1967:

E tem mais isso:
Estou cansado quando chego
Pego extra no serviço
Quero um pouco de sossego
Mas não contente
Ela me acorda reclamando
Me despacha pro batente
E fica em casa descansando

Descansando? DESCANSANDO? DES-CAN-SAN-DO? Mais patriarcal, impossível. Quer dizer que a mulher passa o dia oprimida em casa e ainda tem de se considerar uma felizarda, Chico? Ela reclamou foi pouco!

3. Cotidiano, do disco Construção, de 1971:

Seis da tarde como era de se esperar
Ela pega e me espera no portão
Diz que está muito louca pra beijar
E me beija com a boca de paixão

Toda noite ela diz pra eu não me afastar
Meia-noite ela jura eterno amor
E me aperta pra eu quase sufocar
E me morde com a boca de pavor

Como era de se esperar? Te jura eterno amor por pavor de ter perder? Ah, vá, Chico! Só nessa cabecinha patriarcal mesmo, tsc, tsc.

4. Cala a Boca, Bárbara, do disco Calabar, de 1972:

Cala a boca já morreu, quem manda na boca da Bárbara é a Bárbara, linda e empoderada.

5. Mulheres de Atenas, do disco Meus Caros Amigos, de 1976:

Mirem-se no exemplo daquelas mulheres de Atenas
Vivem pros seus maridos, orgulho e raça de Atenas

Aff…

6. Feijoada Completa, do disco Chico Buarque, de 1978:

Mulher
Você vai gostar
Tô levando uns amigos pra conversar
Eles vão com uma fome que nem me contem
Eles vão com uma sede de anteontem
Salta cerveja estupidamente gelada prum batalhão
E vamos botar água no feijão

Sabe quando uma mulher vai gostar de uma opressão dessas, Chico? No dia que você deixar de cantar fanho. Pronto, falei.

7. Ela é Dançarina, do disco Almanaque, de 1981:

Ela é dançarina
Eu sou funcionário
Quando eu não salário
Ela, sim, propina

Propina? O que você quer dizer com isso, homem? Que ser dançarina é ser corrupta?

8. Meu Namorado, do disco O Grande Circo Místico, de 1981:

Meu namorado
Minha morada
É onde for morar você

A morada de namorados é onde ambos decidirem morar. Vergonha alheia de você, Chico.

9. Tango de Nancy, do disco O Corsário do Rei, de 1985:

Homens, eu nem fiz a soma
De quantos rolaram no meu camarim
Bocas chegavam a Roma passando por mim
Ela de braços abertos
Fazendo promessas
Meus deuses, enfim!
Eles gozando depressa
E cheirando a gim
Eles querendo na hora
Por dentro, por fora
Por cima e por trás
Juro por Deus, de pés juntos
Que nunca mais

Suas piores músicas são aquelas em que você tenta se colocar no lugar de uma mulher, Chico. Você não é mulher, não sabe o que elas sentem. Se a Nancy decidiu ser empoderada e sexualmente livre isso é motivo de aplauso, não de arrependimento. Aposto que ela queria era muito mais, só tinha a reclamar de gozarem depressa, o que é outra coisa típica de machista.

10. Romance, do disco Paratodos, de 1993:

Te sequestrei
Vou te reter pra sempre
Na minha idéia
No teu lugar, talvez
Fique alguma tonta, uma dublê
Uma mulher alheia

Essa maldito romantismo machista que acha que pode reter uma mulher para sempre. Nem em pensamento, Chico! Só tonta para querer ficar contigo depois dessa.

11. Cecilia, do disco As Cidades, de 1998:

Eu, que não digo
Mas ardo de desejo
Te olho
Te guardo
Te sigo
Te vejo dormir

Isso é stalkear, Chico! Isso é alimentar a cultura do estupro! Essa música deveria ser banida!

12. Sou eu, do disco Chico, de 2011:

Só quem sabe dela sou eu
Quem dá o baralho sou eu
Quem manda no samba sou eu

Claro, só você, Chico, só você sabe dela, só você quem manda em tudo. Essa música deveria estar no dicionário como a definição mesma de manspreading.

Enfim, mais claro do que isso, impossível. Chico Buarque é um típico machista heteronormativo patriarcal opressor fascista conservador cristão de direita racista misógino trumpista bolsonarete supremacista islamofóbico malandro. E quem discordar é outrx.