*

Enkontra.com
Blog Bia Kunze – Garota sem Fio

Duelo de canetas: Apple Pencil x S Pen

As 2 melhores stylus (canetas digitais) da atualidade sem dúvida são a Apple Pencil e a S Pen da Samsung. Já usei as duas e ambas tem seus prós e contras. Assim, decidi fazer um duelo para saber qual é a melhor.

A Apple Pencil, como o nome diz, é na verdade um lápis e não uma caneta, o que se pode notar pela ponta “rombuda”. O primeiro problema começa aí: quem gosta de escrita mais fina, tem uma letra pequena e usa pauta estreita ou quadriculada, pode ter alguma dificuldade em escrever perfeitamente dentro das linhas. É difícil enxergar o resultado enquanto se escreve. Com alguma prática você vai pegando o jeito, especialmente em aplicativos como o fantástico GoodNotes, em que se pode dar zoom à medida que vai se escrevendo. O resultado fica esteticamente muito bonito.

Segundo a Apple, as pontas podem ser trocadas caso estejam desgastadas. Sinceramente, não entendi que tipo de desgaste elas possam sofrer. Talvez seja algo que se perceba após anos de uso intenso, perceptível por artistas que demandem extrema precisão.

A Apple Pencil vem em um estojo bem bonito e que a protege bem no transporte. Está em sua segunda geração. Embora nada tenha mudado no design, o software ganhou aprimoramentos de precisão e níveis de pressão, o que a torna uma ótima ferramenta para artistas. E é justamente nos apps artísticos que ela se sobressai.

Nos meus testes, enfatizando a escrita cursiva, achei a Apple Pencil bem pesada. Para quem escreve páginas e páginas a fio como eu, a mão logo cansou. O motivo desse peso é a bateria interna, algo que a concorrente S Pen não necessita. Fiquei com certo receio: embora a autonomia seja muito boa, dá um medinho de chegar em uma aula ou curso e descobrir que ela está descarregada. Ainda mais que só dá para ver a porcentagem no iPad. Felizmente, a carga é bem rápida, via lightning no próprio tablet. Portanto, assegure-se que o iPad esteja com carga cheia antes de sair de casa.

Já a S Pen, da Samsung, tem vários anos de estrada. Surgiu em 2011, no primeiro Galaxy Note, e desde então vem embarcada em vários smartphones e tablets das linhas Note e Tab. Ao longo do tempo foi incorporando mais funcionalidades; portanto, a geração atual é bastante precisa e poderosa. Minhas ferramentas favoritas são as de captura de tela, inclusive em scroll, e a escrita de notas rápidas com a tela apagada, que surgiram em 2015.

Até a geração passada, todas as S Pen tinham um formato meio “palito” e vinham embutidas dentro do aparelho. Para escritas longas à mão, são bem cansativas. Resolvi isso comprando uma S Pen no formato de caneta tradicional, vendida separadamente (e bem dificil de achar). Só a uso quando realmente faço anotações mais longas, mas no dia a dia, a caneta acoplada servia muito bem e era bem prática.

A geração atual, de 2017, é a primeira que deixou de vir acoplada no aparelho e tem a melhor ergonomia de todas. Leve, excelente empunhadura e a ponta mais fininha de todas as S Pen já feitas.  Dá para escrever, escrever e escrever, sem cansar, como se não houvesse amanhã!

Infelizmente a Samsung esqueceu de colocar na caixa do Galaxy Tab S3 um estojinho ou ao menos uma capinha de feltro para proteger a caneta no transporte. A capa original da Samsung também não possui sequer um slot para prendê-la. Que bola fora! O jeito é sair por aí caçando capas de terceiros, e ainda não há bons modelos no Brasil. Uma tristeza.

Durante meus testes, deixava a S Pen dentro do meu estojo junto com canetas comuns, ou no meu porta-lápis em casa. Claro que ia acontecer de eu esquecê-la em diversas ocasiões. Sorte que em algumas delas eu estava com meu Note 5 junto, então não fiquei sem escrever. Mas aconteceu de eu ir assistir uma palestra, esquecer a S Pen e levar um smartphone de testes sem caneta. Fiquei aborrecidíssima de não poder tomar notas.

 

Acompanhe a evolução da ponta das últimas gerações de S Pen:

As Pen também costumam acompanhar pontas sobressalentes, e muita gente não sabe para que servem. Pois bem: as diferentes cores indicam diferentes graus de atrito com o vidro da tela. A preta é ótima para quem gosta de pontas que escorregam mais para escrever mais rápido; a branca (minha favorita) se “agarra” mais ao vidro, e as cinzas são intermediárias.

Impossível não ficar satisfeito com a personalização: com tanto conforto, você até esquece que está escrevendo em tela ao invés de papel. Minhas anotações, modéstia à parte, ficam lindas! Assista o vídeo que mostra minhas anotações em meus tablets, aqui.

Outra vantagem das canetas da Samsung é que elas sempre acompanham os produtos. A Apple Pencil é sempre vendida à parte, e como todo produto da maçã, custa um rim…

Veredito

Minha caneta de escolha para escrita é a versão 2017 da S Pen. Contudo, para artistas, faço uma ressalva: os apps artísticos para iOS são MARAVILHOSOS, muito melhores que os para Android. Não adianta, quando se trata do mundo das artes e do design, a Apple sempre mata a pau. Se esta é sua área de atuação, trate de quebrar o porquinho e ser feliz.

E você, usa a S Pen ou a Apple Pencil? Conte suas impressões e experiências nos comentários!