Assinaturas Classificados
Seções
Anteriores
Publicidade

Ir e Vir de Bike

Quem faz o blog
Seções
Agenda da Bicicleta
Bicicleta
Cicloativismo
Cicloturismo
Mobilidade
Pedaladas
Por aí
Posts
Enviado por admin, 23/10/11 6:55:00 PM

A Sociedade Civil sobre duas rodas

Elton Damasio/Agência de Notícias Gazeta do Povo
Manifestantes ignoram circuito ciclístico de lazer e exigem ciclofaixa todo dia.

A Primavera chegou a Curitiba. E chegou de bicicleta. Um protesto convocado às pressas pelas redes sociais, em apenas quatro dias, atingiu a massa crítica e mobilizou mais de 300 ciclistas, que foram às ruas manifestar insatisfação com a política da prefeitura, que ainda vê a bicicleta como instrumento de lazer – e não meio de transporte.

Guardadas as devidas proporções, estiveram presentes na Bicicletada desse domingo (23) os mesmos princípios que movem os movimentos como o Occupy Wall Street e as primaveras revolucionárias do mundo árabe. Ocupação — neste caso das ruas e do espaço público — e, porque não, um desejo revolucionário de quebra da ordem atual para uma cidade mais humana e sustentável?

De forma pacífica e civilizada, os ciclistas ignoraram a demarcação do Circuito Ciclofaixa de Lazer –instalado do lado esquerdo da via de rolamento, contrariando o que está previsto nos artigos nº 29 e 58 do Código de Trânsito Brasileiro — e circularam pela via da direita, pedindo a instalação de ciclofaixas todos os dias da semana.

Lauro Borges/Reprodução
Ocupando o espaço: com irreverência, mais de 300 ciclistas ignoraram a ciclofaixa de lazer e pedalaram pelas ruas do centro da capital.

Cabe aqui perguntar: que outro movimento social é capaz de mobilizar centenas de pessoas, em um domingo de manhã, por uma causa comum? A bicicleta mostrou sua força. Outra demonstração desse desejo de mudança foi dada na Marcha das Mil Bicicletas, que no Dia Mundial Sem Carro (22/09) levou 1,2 mil ciclistas para as ruas de Curitiba, enquanto a prefeitura solenemente ignorou a data.

Ontem, o circuito foi simbolicamente inaugurado pelos próprios ciclistas, que, depois de percorrerem o trajeto de 4 quilômetros , se dirigiram à casa do prefeito Luciano Ducci (PSB). Lá, os manifestantes gritaram palavras de ordem, exigindo políticas públicas voltadas ao uso da bicicleta não apenas como lazer.

Veja no vídeo como foi o protesto

Já faz um bom tempo que o movimento dos ciclistas deixou de ser causa exclusiva de neo-hippies e ecochatos. Hoje as Bicicletadas envolvem advogados, engenheiros, médicos, professores, artistas, jornalistas, estudantes, trabalhadores e aposentados. Enfim, cidadãos; todos eles com um título de eleitor que será usado no dia 7 de outubro de 2012.


Falando em lazer

Na tarde de ontem, a prefeitura divulgou em seu site oficial a seguinte manchete: “Curitibanos aprovam Ciclofaixa de Lazer”; e claro, como era de se esperar, omitiu a existência de protestos. Mas, ok, eles estão certos. Confesso: eu também gostei. Tanto que quero voltar a pedalar por lá no domingo que vem.
Mas, opa, pera lá, como assim não posso? Agora só no dia 27 de novembro???

Isso é piada. Das 15 cidades brasileiras que implantaram programa semelhante, todas o fizeram com periodicidade semanal. Apenas Curitiba resolveu criar políticas (de lazer, que seja) em doses homeopáticas.

No mais, nenhum ciclista de Curitiba, que goza razoavelmente das faculdades mentais, duvida da boa fé da iniciativa do circuito ciclístico voltado ao lazer. Mas o projeto feito em Curitiba está equivocado em sua essência. A ciclofaixa não educa e ainda coloca em risco ciclistas e motoristas nos outros 29 dias do mês.

Ainda assim, ficou evidente o efeito positivo do estímulo ao uso das bicicletas na vida de uma cidade. Quem foi ao centro da cidade pôde ver famílias com crianças nas cadeirinhas ou em suas bicicletas de rodinhas. Casais, namorados, jovens, idosos, mulheres e adultos.

A frequência média de uso ficou em torno de 200 ciclistas por hora pela manhã, com picos de até 400 usuários, segundo agentes da Diretran. É a cidade e o espaço público a serviço dos cidadãos.

A ciclofaixa de lazer tem seu mérito. Tanto que chega a ser injusto oferecer essa oportunidade aos cidadãos apenas uma vez por mês.

Outro fator positivo foi a orientação dos agentes da Diretran. Todos corteses e educados, instruindo o fluxo de trânsito como deve ser: preferência do ciclista sobre o carro e do pedestre sobre a bicicleta. Ali estava o poder público, personificado, dizendo “bom dia”, “por favor”, sorrindo e desejando “boa pedalada”.

A necessidade de pensar a bicicleta como veículo, e não apenas como lazer é urgente. A manifestação de ontem é prova disso. Ciclofaixa? Sim. Todo dia e para transporte. E, se for para lazer, que seja do lado certo e todo o fim de semana.
O resto não passa de tentativas de tapar o sol com a peneira.

_________________________o>°o
Pedale com o blog
Siga as atualizações pelo Twitter.

Este é um espaço público de debate de idéias. A Gazeta do Povo não se responsabiliza pelos artigos e comentários aqui colocados pelos autores e usuários do blog. O conteúdo das mensagens é de única e exclusiva responsabilidade de seus respectivos autores.
      • NOTÍCIAS MAIS COMENTADAS
      • QUEM MAIS COMENTOU
      Tiago | 27/10/2011 | 19:18

      Oras..pelo art 58, quando não tem ciclovia ou não tem ciclofaixa o ciclista deve andar pelo bordo direto. O CTB não restringe a posição da ciclofaixa e ela pode ser tanto do lado esquerdo quando do direito da pista. Além disso, o ciclista que não circula pelo lado direito da pista, em fila única comete infração nos termos do art. 247 do CTB.

      Tiago | 27/10/2011 | 19:00

      Acho que pessoal não sabe interpretar o que realmente esta escrito no tal Art. 58 do CTB. Vamos ler com calma p/ da próxima vez argumentar algo com fundamento! " Art. 58- Nas vias urbanas e nas rurais de pista dupla, a circulação de bicicletas deverá ocorrer, quando não houver ciclovia, ciclofaixa, ou acostamento,ou quando não for possível a utilização destes, nos bordos da pista de rolamento, no mesmo sentido de circulação regulamentado para a via, com preferência sobre os veículos (...)"

      Jairo | 26/10/2011 | 16:40

      Fabio, na bicicletada fala quem quer. Ninguém autoriza ou desautoriza. Não existe um líder e nem representantes. Somos todos livres e acho que assim deve continuar. O rapaz mandou mal no comentário, concordo contigo, mas ele não é representante de ninguém, fala por si.

      adm | 26/10/2011 | 13:24

      Existe uma tendência de certos jornalistas de tentar diminuir um protesto que faz sentido toda vez que ele ocorre no Brasil. Até num estado onde essencialmente todo mundo dirige pickups e utilitários como o Texas, bicicletas são não só toleradas como tratadas e legisladas como veículos. Quando cidades ficam intransitáveis, naturalmente pessoas começam a procurar alternativas e é um ATRASO DE VIDA que certos grupos ainda achem que bicicleta e ônibus é coisa p fim de semana e pobre.

      Ricardo | 26/10/2011 | 02:46

      Muito se fala de ciclistas que furaar o sinal vermelho, mas duvido que estas mesmas pessoas, incluindo a mim, atravessam a rua sempre pela faixa de pedestres, e após abrir o sinal para pedestres, bando de hipócritas. Caslu, estamos reinvidicando os nossos direitos, como ciclistas, procure outros grupos que você se identifique, não queira que os outros lutem por você.

      Fabio | 24/10/2011 | 22:25

      Viu so, Lyncoln. Foi o que eu disse. Quando deixamos oportunista politico falar, como se nos representasse, esvazia-se qualquer pretensao. O sujeito comecou a falar mal do secretario, de maneira pessoal e gratuita e com isso fugiu do tema. Li que tem dedo de assessoria de vereador petista que quer se cacifar para sair candidao a vice do Gustavo.

      Lyncoln | 24/10/2011 | 21:41

      Acabei de escutar na Band News FM o Ducci falando sobre a ciclo farsa! ...e novamente estão associando a bicicletada extra de ontem com movimento político partidário, só que dessa vez foram palavras do próprio prefeito, provavelmente estão querendo tirar o foco diante da grande mídia para enfraquecer as reivindicações que estão sendo impostas pelos ciclistas! Temos que abrir o olho! Oo

      Glauco | 24/10/2011 | 20:03

      E onde fica a tal casa do prefeito?

      Fabio | 24/10/2011 | 19:29

      Mea-culpa, Rodolfo. De fato, voce exerceu o protesto legitimo. Ja o outro cara que pegou o megafone....

      Rodolfo | 24/10/2011 | 19:01

      Eu sou o 'gordão' que fala ao mega-fone. Sou membro da cicloiguaçu. Não tenho ligação com nenhum partido político e não possuo pretensões eleteitorais. A associação está aberta a quem quiser participar: www.altoiguacu.ciclistas.org.br Tenho ido às reuniões na prefeitura e busco defender direitos coletivos que julgo importantes e preteridos pelo poder público. Convido, especialmente, o colega Fabio, a que nos ajude a exercer a cidadania, indo conosco às reuniões com os gestores. Abraço.

      Pedro Weiss | 24/10/2011 | 18:47

      Ninguém nega que a Bicicletada seja um movimento político, no significado genuíno do termo. O movimento, porém, não tem ligação com partidos, pessoas ou governos -- o que lhe confere liberdade e a independência de criticar e elogiar. Uma rápida consulta ao Wikipédia resolve a dúvida dos que acham que o fato do movimento ser politizado é "um crime": "Nos regimes democráticos,a ciência política é a atividade dos cidadãos que se ocupam dos assuntos públicos com seu voto ou com sua militância".

      Fabio | 24/10/2011 | 18:06

      Mantenho minha opiniao. Basta ver o video para verificar a motivacao politica. Se o intuito era genuino, porque colocaram o gordao e o cara que atacou pessoalmente o secretario Marcelo Richa para falar? Esvaziou e desmoralizou o movimento. Outra coisa: morei em Sao Paulo e usava todo domingo de manha a ciclofaixa, que tambem fica a esquerda na rua. Quero que funcione todo domingo aqui tambem. E que sejam feitas mais. Ao inves de agitar em massa critica eu trabalho. Uso transporte coletivo.

      Alisson | 24/10/2011 | 17:20

      Se a mobilização nas redes social funcionou uma vez, porque não fazemos outra e nós mesmos tornamos a ciclo faixa dominical. É só colocar meia dúzia de cones e é nosso.

      Marcos | 24/10/2011 | 16:38

      Sí, se puede! A manifestação foi legítima e desvinculada de quaisquer motivações político-partidárias. A criação da ciclofaixa à esquerda simplesmente deseduca! Deseduca motoristas e ciclistas. Além de frustrar a tentativa de inserção da figura do usuário de bicicleta em um contexto de mobilidade urbana. Infelizmente, uma é coisa é certa: aquela imagem de uma Curitiba que exportava soluções em políticas públicas para o mundo acabou há muito.

      Terence | 24/10/2011 | 16:05

      A discussão está sendo desviada para polaridades estranhas. Existe um fato: Curitiba não possui estrutura viaria para as bicicletas. Todas as cidades que implantaram ciclo-faixas foram bem sucedidas. Mas aqui falta visão ao poder público. O compartilhamento da via está na lei, já existe, o que precisamos é que isso seja expressamente indicado no asfalto. É uma questão de segurança, saúde e cidadania que trará diversos outros benefícios à cidade: diminuição dos congestionamentos entre eles.

      Marcelo | 24/10/2011 | 15:59

      concordo com o saboia, o fato de estar do lado esquerdo é irrisório. é uma demarcação especifica para um fim especifico. Concordo que é muito pouco um domingo por mes. Esse fato é mais relevante. Quanto a bicicletada ser politizada? nunca vi nada disso. Talvez tenham pessoas que partipem que sejam de algum partido, mas faixa, camiseta só vi na epoca da campanha eleitoral de um ou dois canditados a vereador, que por sinal se elegeu e para estar contribuindo para o incentivo a ciclomobilidade.

      divo maia | 24/10/2011 | 14:53

      João Paulo Saboia, realmente o poder público pode implantar ciclovias até mesmo no sentido contrário da via. Obviamente se definitivas, e devidamente segregadas. Ademais, a ciclofaixa "de lazer" não se encaixa nessas características e como fator "educacional" não funciona, pois contraria sim o art. 29 e não o art. 58. Boralá, o debate contribui para dar a devida importância para bicicleta, coisa que nossos adminstradores se esquivam em fazer. cordialmente,

      Juliano | 24/10/2011 | 14:29

      PEDALARAM DO LADO ERRADO - O ART. 58 DO CTB NÃO FOI CONTRARIADO. Sinceramente, será mesmo que tem algum advogado no grupo? Vai acabar parecendo que a vontade é a de se fantasiar de palhaços e reclamar, mesmo sem razão...

      Fabiana | 24/10/2011 | 14:23

      Se a Bicicletada acontece SÓ uma vez por mês, porquê a ciclofaixa de lazer também não pode ser assim????????

      fabiana | 24/10/2011 | 14:22

      Sempre admirei muito a Bicicletada justamente por seu viés anarquista, mas percebi que em Curitiba esse movimento vem se perdendo e dando espaço à politicaria. Uma pena que o cicloativismo curitibano estja virando o MST das bicicletas. Acho que tá na hora de mudarem a marcha.

      Eduardo | 24/10/2011 | 14:16

      Acho que o site deve pesquisar melhor, mas tenho a impressão que a ciclofaixa não PRECISA ficar na esquerda. Em ruas onde existem muitos ônibus sempre acho mais seguro trafegar na faixa da direita. O problema é o "de lazer" da atual ciclofaixa. O ideal é ter ciclofaixa em TODAS as ruas como acontece em Viena, Copenhage e várias outras cidades da Europa.

      Tiê Passos | 24/10/2011 | 14:07

      Uma cidade bem estruturada permite a mobilidade segura entre todas as modais, mas hoje em dia vai além disso pois os carros saturaram o espaço público, é o maior obstáculo de quem vive nas cidades. Tem de haver um desestímulo do uso abusivo do automóvel e uma melhora nos sistema públicos e outras modais como a bicicleta e o pedestre. A cidade tem de ser inteligente, é complicado mas com um passo de cada vez há como mudar essa realidade. Aplausos para essa galera que exige a coisa certa.

      Leandro | 24/10/2011 | 13:56

      e sobre o protesto: TEM COISA MUITO MAIS ERRADA NA NOSSA CIDADE E NOSSO PAIS DO QUE CICLOFAIXAS. Querer comparar esse protesto ao que aconteceu no mundo Árabe, é ridículo. Tomem como exemplo os estudantes Chilenos, o povo Boliviano, Argentinos, americanos e Europeus (protestos recentes contra o mercado financeiro). Precisamos crescer, pois os desvios de dinheiro continuam. Bem na nossa cara. Estudem. Leiam. A longo prazo quem sabe as coisas mudem...

      Leandro | 24/10/2011 | 13:55

      Uma ciclofaixa de segurança para os que pedalam diariamente tornará o nosso transito mais caótico. É preciso uma politica de educação para que haja melhoras. Mas, num pais onde bêbados atropelam e matam e não são punidos, duvido que algo mude. A CICLOFAIXA da pode começar a ter exito se for para todos os domingos e se for interligada com parques e ciclovias. A longo prazo quem sabe as coisas mudem, principalmente o respeito com o ciclista.

      André Belletti Romero | 24/10/2011 | 13:37

      Bateria palmas com gosto se fossem 15 km de ciclofaixa no lado direito da via e todo domingo do mês. Simples assim!

      João Paulo Jankowski Saboia | 24/10/2011 | 13:11

      Concordo em partes. Esse tipo de ciclofaixa não vai contra o artigo 58 do Código de Trânsito, muito menos é necessário que ciclovias e ciclofaixas fiquem no lado direito da pista. As autoridades competentes podem inclusive autorizar a circulação no sentido contrário da via. A causa é nobre, mas hoje em dia vemos muitas coisas escritas por aí, por quem sequer checa suas informações. Não deem mancada dessas galera...

      Sérgio Dilan Ribeiro | 24/10/2011 | 11:28

      (continuando...) dar sua opinião sobre a tal "politicagem" dos que protestaram, pedindo uma ciclofaixa de verdade e que funcione! Afinal, o senhor pedala, não? Atenciosamente, Sérgio Ribeiro.

      Sérgio Dilan Ribeiro | 24/10/2011 | 11:28

      (continuando...) Mas saiba que muitos necessitam de ciclofaixas que funcionem, pois vão ao TRABALHO de bicicleta. Tenho carro, moto, mas sempre que dá me desloco de bike (e são 30km diários residência-trabalho-residência), por ter consciência de que "sou" um carro a menos no trânsito quando pedalo. Terceiro: convido o senhor a me acompanhar de bicicleta o trajeto que faço, tendo que passar por sufocos ao dividir o espaço com "motoristas irritados" como o senhor mesmo citou, e DEPOIS (...)

      Sérgio Dilan Ribeiro | 24/10/2011 | 11:27

      (continuando...) dinheiro público em uma pintura errônea. Não sei se o senhor sabe, mas vivemos numa democracia e o direito de protestar pelo gasto do NOSSO dinheiro é defendido pela constituição. Pintar uma faixa que funcionará 1 vez por mês, a lazer e do lado errado, isto sim que chamo de politicagem - a prefeitura está tentando vender uma ideia errada para o povo menos esclarecido. Segundo: se o senhor e seus colegas gostam de pedalar uma vez por mês, a lazer, ótimo para o senhor! (...)

      Sérgio Dilan Ribeiro | 24/10/2011 | 11:25

      Este Fabio está com um pensamento igualzinho a um outro Fabio (http://www.fabiocampana.com.br/2011/10/bicletada-vira-movimento-politico/). Transcrevo aqui uma resposta ao site do Fabio Campana, pois não sei se ele irá publicar a mesma no site dele. Sr. Fabio Campana. Primeiro: leia o artigo 58 do Código de Trânsito Brasileiro. Uma ciclofaixa deve ser executada no lado direito das pistas. E a "querida" prefeitura, com o grande conhecimento de seus "técnicos" (???) do IPPUC, gastaram (...)

      Vinicius | 24/10/2011 | 11:19

      ... óbvio que nem preciso falar do desrespeito do motorista em relação ao ciclista. Curitiba deve pensar numa forma harmoniosa de incluir a bicicleta no dia dia, mas com calma e muito planejamento. Incentivar o uso da bicicleta como lazer já ajuda e é uma boa iniciativa. Enfim, só para finalizar; por que os movimentos aqui relacionados não criam um protesto para o próximo domingo para que todo mundo utilize novamente a ciclofaixa?

      Felipe | 24/10/2011 | 11:18

      E mais uma: 200 ciclistas por hora na ciclofarsa? só se a prefeitura contou o número dos manifestantes da Bicicletada...

      Felipe | 24/10/2011 | 11:17

      Uma pena que tantos motoristas que passaram ontem pelo centro não tenham compreendido a magnitude da manifestação... que afinal defente também o interesse deles, de um trânsito mais justo e menos violento. Apenas uma observação com relação ao Diretran: um agente de nome PUCCI (coincidência...) foi bem claro ao transmitir a ordem vinda de cima para seus colegas: "Olha, para 'esses aí' não é pra dar apoio nenhum, o risco é todo deles". A cara do Diretran não?

      Vinicius | 24/10/2011 | 11:14

      Apoio o movimento, mas com algumas ressalvas. Concordo que a bicicleta deve ser vista também como uma forma de transporte e deve ter seu espaço, mas infelizmente isso é inviável. Criar a ciclofaixa para funcionar todos os dias não é uma solução que deve vir da noite pro dia. Outra coisa é que muitos ciclistas não cumprem as leis de trânsito, muitos andam na contra-mão, não usam capacete, e pasmem, a maioria fura o sinal...

      dalborga | 24/10/2011 | 10:21

      concordo plenamente com voce Fabio e tem dito

      Dalborga | 24/10/2011 | 10:18

      Para o povo nada ta bom Ja é um caos com tantos veiculos e motos imagine com bicicletas acaba com essa palhaçada.

      Fabiana | 24/10/2011 | 10:06

      Se a Bicicletada acontece APENAS uma vez por mês, porque a ciclofaixa de lazer não pode ser? Não usem réguas diferentes pra medir os outros. Nesse mesmo blog li uma explicação de que a prefeitura tem outros eventos pra cuidar. Não pensem que todos querem bicicletas.

      Caslu | 24/10/2011 | 10:03

      Pelo que estou percebendo, esse pessoal da bicicleta parece ser bem unido. Por que vocês não marcam bicicletada para protestar contra corrupção também depois que a prefeitura terminar de fazer o que tem que fazer para vocês? Não só corrupção, tem muito o que protestar... Desse jeito até eu, que não tenho bicicleta, compraria uma para participar... :D

      divo maia | 24/10/2011 | 09:26

      A prefeitura acha que ciclistas são palahaços, por isso implantou uma CIRCO-FAIXA (palavras do grande jornalista Mazza). Quanto a partidarização que alguns estão dizendo haver no movimento cicloativista, duvido que consiga encontrar 2 ou 3 ciclistas na massa que no domingo ultrapassou os 300, no dia 22 de setembro chegou a 1500, que sejam filiados a algum partido. Tem gente de todo tipo, cristãos, ateus, budistas, anarquistas, agnósticos, pessoass decepcionadas com a política, homens, mulheres.

      valério | 24/10/2011 | 09:24

      Os ciclistas estão certos, devem mesmo exigir seus direitos e respeito. Mas, como uma classe muito unida e sempre mobilizada, devem também olhar para o próprio umbigo. Que tal uma campanha para os próprios ciclistas serem educados e respeitarem as leis de trânsito? Ou só vocês podem andar na contra-mão, nas calçadas, furar os sinais, etc & etc... Boa educação é obrigação de todos no trânsito: pedestres, ciclistas, motociclistas, motoristas.

      Sergio | 24/10/2011 | 09:11

      Desde que vi as primeiras pinturas de faixa para bicicletas no chão das ruas do centro; me veio a pergunta: Porque a prefeitura não construiu ciclovias bem feitas em vez de somente pintar faixas? Isso deve ser uma contenção de despesas, que vai prejudicar somente os ciclistas. Sou a favor de diminuir o fluxo de carro no centro e dar prioridade a pedestres e ciclistas. Acho que a mudança deve ser radical.

      Fernando | 24/10/2011 | 02:48

      Fábio,o que xiste na verdade é uma mobilização de cidadãos em prol dos seus direitos,nada mais do que isso.É é bom que isso sirva de lição para a população reivindicar os seus direitos de uma forma geral.Achei muito legal a iniciativa e serviu pra demonstrar que esse fantoche do governador não tem capacidade mental para administrar uma cidade em franca mudança geral.As eleições estão ai,é bom lembrar disso no ano que vem.Demonstra que o curitibano não precisa ser curitiboca e otário paraprotesta

      Gunnar | 24/10/2011 | 00:32

      Associar a bicicletada com a "primavera" árabe não me parece uma boa idéia. Até onde sei, os cicloativistas reivindicam paz e respeito, ao contrário dos "revolucionários" árabes que estão derrubando ditadores sanguinários para instituir teocracias ainda mais sanguinárias. Os cristãos coptas egípcios que o digam.

      Esquentadinho | 23/10/2011 | 23:27

      O Fabio não sabe o que é a Bicicletada e não sabe o que é Massa Crítica. É um fenômeno mundial sem nada de política partidária. O que importa aos manifestantes é poder pedalar em liberdade e com respeito. Mas entendo que seja difícil aos playboyzinhos entender a diferença de tamanho, peso e velocidade entre carros e bicicletas. Esses playboyzinhos só pensam nos brinquedinhos motorizados. Ainda vai demorar pra essa gente ignorante cair na real. Se cair.

      Ronaldo | 23/10/2011 | 23:03

      imagina gastar um verba de R$ 2 milhoes de Reais para pintar o chao!!!

      Edison Machado | 23/10/2011 | 22:54

      Partindo do princípio de que o cidadão só terá direito a lazer em um domingo por mês, então já deixou de ser lazer! Incentivar o uso de bicicletas como meio de transporte deve ser iniciativa do legislativo municipal, onde haja amplo debate com a sociedade para viabilizar tal projeto. Quem sabe chegaremos próximos às políticas de incentivo ao transporte por bicicletas, implementadas pela Prefeitura de Governador Valadares, em Minas Gerais, através da Lei Municipal n° 6179/2010.

      Guilherme | 23/10/2011 | 22:18

      Fábio, se você se sente inferior a quem tem o culhão de ir pra rua e dar a cara pra bater, o problema é todo seu.

      Herbert | 23/10/2011 | 22:05

      Só pelo discurso dá pra ver que o problema do Fabio não é com as bicicletas, nem tampouco com os ciclistas. Falar em "motivação política" é querer partidarizar uma manifestação cidadã. Sim, a manifestação extrapola EM MUITO a reivindicação por ciclofaixas. Precisamos de ESTRUTURA CICLOVIÁRIA. E mais, precisamos de uma renovação CULTURA, onde as cidades sejam para as Pessoas. Onde as ruas sejam um espaço de comunhão com a Vida. Onde nós todos FÁBIO, nos preocupemos com o bem comum !

      Alex | 23/10/2011 | 21:44

      Você deve ser aquele ciclista de final de semana que estava esbravejando lá atrás do pelotão!!! Meu sincero repúdio a você Fabio sou contra você até debaixo d'água e tenho dito.

      Lyncoln | 23/10/2011 | 21:34

      ...se você defendeu seu ponto de vista lá como está defendendo aqui até posso imaginar quem é vc! :/

      Lyncoln | 23/10/2011 | 21:32

      Creio que você está equivocado, não vi nenhuma motivação politica e se realmente isso tivesse acontecido também não apoiaria! Também não creio que eu seja melhor do que ninguéma,acho que devemos lutar e reivindicar o que é nobre para sociedade! Acredito que pessoas com sua visão restrita são irrelevantes para contribuir positivamente para alguma coisa! Mas aposto que as mudanças a partir da força mostrada hoje pelos ciclistas você irá usufruir com toda certeza...

      Fabio | 23/10/2011 | 20:29

      Menos, muito menos, cidadãos. Não se achem melhores do que os outros somente porque andam de bicicleta. A motivação politica dos que falavam eh evidente, e extrapolaram em muito a manifestação por ciclofaixas. Isso se ve na gravacao e esvazia o protesto. Meu sincero repudio a voces. Uso bastante a minha bike, mas nem por isso desprezo os outros. Se queriam cooptar outros como eu para sua causa, dançaram. Sou contra vocês ate debaixo dagua. E tenho dito.

      Publicidade
      Publicidade
      Publicidade
      «

      Onde e quando quiser

      Tenha a Gazeta do Povo a sua disposição com o Plano Completo de assinatura.

      Nele, você recebe o jornal em casa, tem acesso a todo conteúdo do site no computador, no smartphone e faz o download das edições da Gazeta no tablet. Tudo por apenas R$ 69,30 por mês no plano anual.

      SAIBA MAIS

      Passaporte para o digital

      Só o assinante Gazeta do Povo Digital tem acesso exclusivo ao conteúdo do site, sem nenhum custo adicional ou limite.

      Navegue com seu celular ou baixe todas as edições no tablet - um novo jeito de ler jornal onde você estiver.

      CLIQUE E FAÇA PARTE DESSE NOVO MUNDO

      »
      publicidade