Técnico de Priscila Pedrita absolve Mario Yamasaki por atuação no UFC Belém: "Ninguém tem culpa"
Caro usuário, por favor clique aqui e refaça seu login para aproveitar uma navegação ainda melhor em nosso portal. FECHAR
Blog Luta Livre
Blog Luta Livre

Técnico de Pedrita absolve Mario Yamasaki por péssima atuação no UFC Belém

Alvo de uma enxurrada de críticas por não ter interrompido o massacre de Valentina Shevchencko em Priscila ‘Pedrita’ Cachoeira no UFC Belém, o árbitro Mario Yamasaki foi absolvido pelo técnico da lutadora brasileira, Gilliard Paraná.

Leia mais: Pedrita defende técnico e desabafa

Para o líder da academia PRVT, não há culpados pelo acontecido. Após tomar muitos golpes em quase dois rounds completos, a peso-mosca (até 57 kg) acabou finalizada a 35 segundos do fim do segundo assalto.

“Ninguém tem culpa. A gente queria continuar e se fosse para parar, tinha parado no começo porque ela sentiu o joelho desde o início. Mas o negócio de desistir não está no nosso vocabulário, independente do tanto de golpe que estava levando, [o lutador] quer sair do octógono só morto”, argumentou Paraná, em entrevista ao Luta Livre.

“Não culpo o Yamasaki, não. Teve vários momentos que ele pensou em parar [o combate] e aí a Priscila se mexia, mostrava reacção e ele interpretou dessa forma. Eu não queria que parasse, a Pedrita também não. Está tranquilo, isso aí acontece. A gente lutou contra a número um peso por peso, na minha opinião”, emendou o treinador.

Lesão

Segundo Paraná, o polêmico roteiro da luta contra Shevchenko teve um agravante: logo nos primeiros segundos dentro do octógono, Pedrita rompeu o ligamento cruzado anterior do joelho direito, além de lesionar o menisco.

Ela reclamou de dor no joelho durante o intervalo, mas voltou para o duelo contra a ex-desafiante ao cinturão dos galos (até 61 kg). Sem saber da gravidade da lesão, Paraná não jogou a toalha.

Leia mais: Veja todos os resultados do UFC Belém

O treinador lamenta, no entanto, que a estreia de sua pupila no UFC tenha terminado dessa forma.

“Lógico que ela poderia ter perdido mesmo se não tivesse se machucado, mas também poderia ter feito uma luta mais dura e saído na mão. Duvido que outra mulher da categoria não tivesse se entregado nessa situação. A Pedrita é diferente, pode acreditar. Ela já estará de volta e todos verão isso”, frisou.

Conhecida por seus nocautes, Pedrita estava invicta até chegar ao UFC. Em menos de dois anos como profissional, foram oito vitórias em oito lutas.

Mais impressionante do que a velocidade com que chegou ao maior evento de MMA do mundo, no entanto, é sua história de superação. Ela foi viciada em drogas entre os 16 e 23 anos e usou as artes marciais para se livrar do vício.

Essa é minha guerreira , lutou dois rotunda com menisco e o cruzado ferrado , chegando no rio vai fazer cirurgia foram dois passos e duas falseadas no joelho e ainda assim não pediu pra parar porque aqui não existe isso de pedir irão atuar foi até o limite pois ela não chegou até aqui entregando as lutas nas primeiras dores de golpes ou lesões , mais isso só entende quem é do nosso perfil mesmo !! 2017 foi a melhor atleta disparado no Brasil , liderou a categoria dela até entrar no UFC e pegou só a Valentina que ninguém queria pegar e olha que sei de nomes fortes que fugiram dessa luta , mais aqui é PRVT e sempre vamos aceitar o desafio é se der um revés vamos atrás de melhorar assim como já fiz com jessica vo fazer com @pedritaprvtufc podem esperar !! Já já os mesmos que criticaram vão elogiar e os invejosos vão se calar com nosso sucesso , não estamos aqui à toa sabemos oque estamos fazendo e qual é nosso caminho percorrido !! Vamos com tudo recuperar após a cirurgia e depois voltar ao topo porque só de estar no maior evento do mundo com certeza estamos no topo !! PRVT no UFC !! A saga continua !’ Doa a quem doer !! Ooossssssss @jessicammapro #prvt

Uma publicação compartilhada por Gilliard Parana (@gilliardparana) em