Blogs

Fechar
PUBLICIDADE

Palpite de Alice

Enviado por juliad, 20/03/17 8:00:25 AM

Você já se pegou pensando qual sabor de pizza você mais gosta? Já ficou em dúvida se você realmente gostava de azul turquesa ou preferia roxo? E quando vai a um restaurante já vai de cara pedindo massa com molho quatro queijos? Agora deixa eu te perguntar, você gosta mesmo dessas coisas ou simplesmente se deixou levar?

Com o passar do tempo, em um relacionamento, costumamos pegar os gostos, os hobbies, o senso de humor do nosso (a) cônjuge. É comum quando em um início de relacionamento conhecermos um mundo novo, novos costumes e maneiras de agir diferentes da nossa no dia a dia. Ficamos tão encantadas com isso que acabamos aderindo a muito daquilo que nossos parceiros (as) nos mostram.

Isso não é nenhum problema, pelo contrário, é ótimo estar aberta a novidades e conhecer outros pontos de vista. O problema está em quando você esquece de você mesma e nem sequer mais consegue lembrar qual sua cor preferida.

Crédito: Visualhunt

(crédito: Visualhunt)

Já viu aqueles casais na rua vestindo a mesma estampa de blusa? Quando vejo isso sempre me pergunto, qual dos dois que realmente gosta de listrado e qual dos dois passou a aderir o gosto? Claro que ambos podem sim gostar da mesma coisa, mas grande parte das vezes o que ocorre é mais um processo de osmose.

Infelizmente, hoje percebo em muitas mulheres que tem maridos que trabalham em outras cidades ou recém divorciadas passando por um tipo de crise de identidade quando se veem mais sozinhas. Parece que mais que de repente a pessoa não conhece nada em sua cidade, não sabe mais dirigir, não vai nem ao menos em um shopping sozinha passear, pois esta desacompanhada e dessa forma não saberá como agir. A acomodação nos deixa assim, sem saber pensar por conta própria, sem saber decidir o que gostamos e queremos de verdade.

Quando falamos em finanças, isso ocorre de uma maneira mais avassaladora ainda. Por falta de protagonismo nosso nas decisões da nossa própria vida e casa, acabamos deixando para que outros decidam por nós o que é melhor para nossa vida. Acabamos deixando passar escolhas como a compra de um carro, a escolha de uma casa e quando na verdade gostaríamos de uma moto e viver em um apartamento pequeno.

Minha sugestão: tire um final de semana com a melhor pessoa do mundo, só vocês! Isso mesmo, só você e você! Tente relembrar o que você considerava importante em sua vida, o que você gosta, o que você detesta, o que você espera para a sua vida no futuro. Depois disso tome ação, seja a protagonista da sua vida e comece a ter coragem para as decisões do dia a dia. É difícil no começo, mas quando você ver, vai estar brilhando em sua própria vida!

Enviado por daniellel, 19/03/17 11:26:34 AM

Saudações!

Hoje trago para vocês a colaboração de uma convidada, a minha amiga e consultora de imagem Marcia Caldas que contribuirá com uma fala muito especial, compondo à quatro mãos, o post de hoje! Eu com o conto do Aladim e ela com reflexões sobre beleza e moda.

Ela é uma figura muito especial na minha vida, que me ajudou a entender que a beleza feminina é atemporal e universal! Todas somos belas em qualquer fase de nossas vidas, independentemente de nossa idade, peso ou condição social!

Ester, Aladim e o desejo de ser jovem

Estela era uma mulher de 50 anos. Alegre, bem resolvida e cheia de energia. Divorciada e com os filhos criados, adorava passear e conhecer lugares novos.

E foi assim que conheceu Aladim…

Era um sábado ensolarado e Estela resolveu ir conhecer umas grutas próximas de sua cidade natal. Organizou tudo o que era necessário e, de mochilas nas costas e sorriso de ombro a ombro, lá foi ela viver aquela aventura.

As grutas eram ainda mais bonitas do que haviam falado. E ela foi adentrando pelos túneis e registrando, na câmera, a beleza silenciosa daquele lugar.

Lá pelas tantas, um brilho ao longe chamou sua atenção. Curiosa, moveu-se rapidamente em direção aquela luminosidade.

Qual não foi sua surpresa ao achar uma lâmpada dourada! Tocou suavemente o objeto que estava meio empoeirado. Ao friccionar a lâmpada para limpá-la, Aladim, o gênio da lâmpada foi liberto!

Ela arregalou os olhos e, beliscou-se, demoradamente! Esfregou os olhos e refletiu que ela estava precisando de menos vinho e mais descanso.

Aladim ficou flutuando em cima da lâmpada por um tempo e logo em seguida estava ao lado dela, fazendo graciosa referência de saudação.

“Salve ó bela mulher! Minha gratidão eterna por haver me libertado dessa prisão horrenda! Como forma de agradecimento, concedo-te um desejo!”.

Ester nem pensou duas vezes e respondeu: Mas que gênio de araque! Não eram três pedidos?”

Aladim gargalhou e disse: “Aff Maria, você fica preso uns cem anos e quando volta à Terra, percebe que nada mudou, as mulheres continuam questionando tudo! Enfim, bela…Como é seu nome mesmo? ”

Ela replica: “Sou Ester, my friend! E não é nada disso! O que é justo é justo! Eu conheço essa história e eram três desejos!”

Aladim explica: “Minha bela Ester! A magia é alimentada pelos sonhos, fé e esperança das pessoas… Não se produz mais este tipo de energia em tanta quantidade como outrora se produzia. Assim, o que tenho “em estoque”, dá para um desejo só e olhe lá!

Ester ficou ensimesmada por um tempo… De fato, o mundo da magia deveria estar desfalcado mesmo… Os tempos do planeta não eram dos melhores para se ter fé ou esperança…

Por fim, pronunciou-se:” Entendo! Que seja! Melhor um que nada! Já me decidi! Quero ser jovem de novo! Mesmo sendo superbem resolvida e disposta, em muitos momentos me sinto como carta fora do baralho, só por conta da minha idade!”.

Dessa vez, foi Aladim que se calou por um tempo. Parecia confabular consigo mesmo…

Depois, declarou sua decisão. “Entendi seu desejo… Mas antes de realizá-lo eu tenho uma outra proposta… Vamos fazer um ”desejodrive”! Vou deixar você experimentar um pouco essa sensação de ser jovem de novo para que tenha certeza. Eu costumava dizer que “pediu tá pedido, não adianta ficar arrependido”, mas nestes últimos cem anos e avaliando os resultados obtidos com meus outros amos, resolvi testar essa nova metodologia…”

Ester nem teve tempo de falar a frase: “Sim, eu…”. Quando terminou de falar “topo”, estava em sua casa materna, com cerca de 7 anos. Viu-se curiosa e brejeira e amou sentir aquele cheiro de bolo de laranja inundando seu antigo lar! Percebeu também que achava muito chato todo mundo mandar nela e ter que obedecer, sem questionar nadica de nada.

Em outro momento, viu-se com 15 anos! Relembrava a sensação deliciosa do primeiro beijo e ansiava para que o telefone tocasse! Ai meu Deus pensava! E se ele não gostou do beijo? Em um outro flash, mirava-se no espelho e sentia-se feia! ODIAVA aquelas espinhas, sonhava em ter peitos e acostumava-se com as “regras mensais” que sua mãe nem sequer explicara para que serviam…

Num piscar de olhos, viu-se passando no vestibular e conquistando seu primeiro emprego! Como era deliciosa a sensação de liberdade! Depois, estava numa praça chorando. Com 18 anos sofrera a sua primeira desilusão amorosa e sentia-se responsável pelo fracasso desse primeiro amor.

Depois, já com 25 anos, reviveu com carinho os primeiros momentos do casamento e a descoberta da maternidade! Gerando uma vida, sentiu-se próxima de Deus! Também reviveu a sensação de estresse por tentar ser perfeita em todos os novos papéis: esposa e mãe.

Aos 30 anos, viu-se no topo da carreira! Também se percebeu triste e uma péssima mãe porque “largava” os filhos na escola para poder manter seu espaço no mercado de trabalho. Voltara a estudar e sentia-se distante de alguns sonhos e amigas.

Em todas as fases, uma vontade imensa de ser linda a acometia. Vivia sob a ditadura da moda e das dietas. Sentia-se sempre cansada e ligeiramente incompetente, afinal ela nunca dava conta de tudo. Igualmente a nostalgia fazia morada em seu coração… Parece que ontem era sempre mais leve e feliz que o agora…

Aos 40 anos foi que começou a se sentir mais feliz. Menos exigente consigo mesmo, mais empoderada e menos encanada com números, fossem eles uma representação de peso, conta bancária ou rol de amigos. Deixou um casamento falido para trás e começou assumir as rédeas da sua própria vida.

E, como um piscar de olhos, estava lá na gruta com Aladim, com seus bem vividos 50 anos. Ela ainda era a criança curiosa que perguntava sobre tudo, a adolescente que amava sentir borboletas no estômago, a mãe cheia de amor, a profissional dedicada, a amiga, a amante e a companheira. Ela era a soma de todas as suas vivências. Ela abraçou o gênio e agradeceu… Afinal, ela entendeu não queria ser jovem de novo. Que “preguiça” de começar do zero outra vez, brincou ela!

Aladim ainda a redarguiu: “ Então Ester, o que deseja, já que desistiu de ser jovem novamente?”.

Ester sentou-se e pensou sem pressa. Elaborou uma dezena de desejos até que ela gritou: “Eureka! Já sei o que pedir! Gênio, quero que todas as mulheres conheçam a nossa história! Que compreendam a beleza que há em cada fase da vida e que somos esta soma de todas as experiências, dores e delícias que vivemos!”

Ele agitou as mãos no ar e em meio a nuvenzinha de fumaça que se formou, surgiu uma linda matriosca com a qual ele a presentou.

E o pedido de Ester? Foi realizado e este é o motivo pelo qual você está lendo a história Ester, Aladim e o desejo de ser jovem! ;)

FIM

E com a palavra, Marcia Caldas:

A vida, segundo a crença de alguns, não acaba nem quando morremos, então qual a razão de não vivermos a vida de maneira intensa? Idade, peso, gênero, nada pode nos impedir de viver de forma plena.

Bom, muito bom, reconfortante até, seguir a lição ensinada pelo nosso Aladim, deixar os modismos acomodados em algum lugar e tirarmos nossa personalidade, nosso eu real, da lâmpada mágica! Somos belas em qualquer idade!

O mundo da mídia e da moda define, rotula e muitas vezes é cruel com quem não está a altura do “padrão” por eles idealizado, que remete a beleza e juventude eternas, fazendo com que muitas mulheres vivam aprisionada em padrões e métricas!

São as meninas que, “enfeitadas” desde a mais tenra infância e durante seu de processo de desenvolvimento físico e emocional, são transformadas em pequenas adultas, vestindo-se como mulheres, sendo privadas de serem crianças, vestirem-se como criança e viverem como criança. O que vemos hoje no Brasil, são crianças meninas, maquiadas, penteadas, esmaltadas e …interrompidas!!

São as adolescentes que vivem preocupadas em agradar a turma que pertencem, esquecendo-se de quem são e buscando ser o que o grupo determina.

Mulheres jovem, que vem se desrespeitando com atitudes abomináveis, mas que julgam ter que fazer isto ou aquilo para serem bonitas e apreciadas.

Mulheres maduras, que acabam se perdendo no estilo e na imagem por quererem ser aceitas, amadas, e, pela na tentativa (frustrada) de eternizar a juventude, deixando a busca de si mesmas à margem da vida.

Marcia Pinna Raspanti e Mary del Priori, duas historiadoras brasileiras, no texto – Moda e beleza femininas- do Século XVI aos anos 70, escrito para o site História Hoje, dizem que padrões de beleza rígidos são impostos há séculos e “que as mulheres fazem grandes sacrifícios em nome da beleza há muito tempo”. Verdade. Penso que é hora de nos libertarmos de séculos de opressão de padrões de beleza. Tarefa possível, no entanto difícil.

Tenho como Consultora de Imagem, Estilo e Comportamento grandes responsabilidades: posicionar a mulher frente a ela mesma, ao mundo que a envolve, cercá-la de poder, conhecimento, apreciar sua imagem no espelho, independentemente de idade, biótipo e situação financeira. Quando nos enxergarmos nos empoderamos e isso minha amiga é pura liberdade e pura magia.

Vamos dar vasão aos nossos desejos e exigir que sejamos respeitadas. Uma luta dura, por certo, mas que vale a pena. Vamos precisar de coragem, autoconhecimento, autoestima, pois vamos ter que utilizar a liberdade, ou seja, definir nossos próprios padrões e acreditar muito em nós mesmas. Sem classificações etárias, de preferência!

Faça um liberte-sedrive! Siga o conselho de Aladim! Perceba-se, ame-se e se não gostou de algo que viu, procure ajuda, vá a luta, mas não deixe de viver a sua vida com graça e felicidade!

Você é linda! E o será para sempre!

Por Dani Lourenço

Enviado por Cynthia Duarte, 17/03/17 4:01:33 PM

A natação em mar aberto, suas correntes e ondulações são sempre um grande desafio para nós atletas que treinamos para o triatlhon apenas em piscinas. Daí então a importância em se ambientar com o mar, treinar as braçadas para se orientar durante o percurso da natação e, também experimentar a diferente flutuação que o corpo apresenta quando se nada em água salgada.

Outro ponto importante é o treinamento da corrida na areia e, a entrada e saída do mar, simulando a realidade do dia da prova.

Assim começou a minha última semana de preparação para o grande dia, no mar!

Foi a segunda semana de “polimento” e a ultima de treinos.

O treinador, Maurício Letzow, nos fala sobre o check list final dos materiais para a prova e mais, dá dicas sobre a disposição de todos os itens na área de transição, e sobre algumas regras do Sesc Triatlhon de Caiobá que são passíveis de penalidade.

Nos vemos na prova no domingo dia 19, pessoal!

Sou Cynthia Duarte e este é o Diário de uma triatleta. Fui ciclista profissional por 20 anos e, depois de me aposentar há 06 anos, aprendi a nadar e a correr para realizar o sonho de fazer um triatlhon. Há aproximadamente 01 ano me “destreinei” ao máximo para contar a história da trajetória de treinos de uma mulher comum, que decide se inscrever em uma prova de triatlhon e adequar as rotinas dos treinos á rotina pessoal e profissional. E claro, contar através do diário de vídeos postados semanalmente aqui na Gazeta do Povo online.

*Imagens aéreas de drone – José Manoel Diogo

*Edição de vídeo – Andrei Chiminazzo

Facebook Fanpage –  https://www.facebook.com/cynthiaduartebike

Instagram – @cybike

ciclismocampeao@outlook.com

www.ciclismocampeao.com

Enviado por ivyg, 16/03/17 8:00:05 AM

No inverno da Nina Ricci, apresentado na última Semana de Moda de Paris, não faltou renda. O styling da grife traz o material em composições monocromáticas ou em cartelas de cores sem contrastes impactantes, o que não faz dos bodies, meias-calças e luvas da marca itens menos versáteis: a renda funciona em detalhes sutis, mas que nunca passam despercebidos, e em propostas marcantes; sejam elas ultra românticas, pense na combinação de vestidos florais com meia rendada, ou em visuais fortes, onde vale combinar renda preta + couro.

Nina Ricci fall 2017

Nina Ricci fall 2017 (crédito: divulgação)

Nina Ricci fall 2017 (crédito: divulgação)

Nina Ricci fall 2017 (crédito: divulgação)

Nina Ricci fall 2017 (crédito: divulgação)

Nas semanas de Moda da temporada internacional, a renda foi o detalhe que fez a diferença em alguns visuais e protagonizou outros.Uma blusa manga longa de renda enche de sofisticação visuais monocromáticos, como o da passarela da Daks, em Londres, que ainda traz o contraste entre a leveza da renda e o peso do tricô.

A mistura dessas texturas e volumes funciona, e muito! E além da composição com blusa rendada e cachecol tricotado, vale apostar na sobreposição de vestidos, deixando só a barra do model de renda à mostra, como no desfile da Antonio Marras, em Milão.

Daks fall 2017 (imagem: divulgação)

Daks fall 2017 (imagem: divulgação)

Antonio Marras fall 2017 (crédito: divulgação)

O contrário também vale: peça de renda por cima, e peça estampada por baixo. A ideia apareceu na passarela da Burberry, em Londres, e da Emporio Armani, em Milão. Gosta de referências esportivas com um toque de ousadia? Misture renda com jaqueta, como no styling da Nicole Miller, e arremate com um belo par de tênis.

Nicole Miller fall 2017 (crédito: divulgação)

Nicole Miller fall 2017 (crédito: divulgação)

 

 

 

 

Enviado por karenp, 15/03/17 12:04:40 PM

Oclusão dentária é o contato dos dentes superiores com os inferiores ao fechar a boca. Em condições normais, os dentes superiores devem encobrir ligeiramente os inferiores, ou seja, o arco dentário superior deve ser um pouco maior que o inferior.


Os tipos de oclusão dentária são:
Classe I: oclusão normal, no qual o arco dentário superior encaixa-se perfeitamente com o arco dentário inferior;
Classe II: o indivíduo parece não ter queixo, pois o arco dentário superior é muito maior que o arco inferior.
Classe III: o indivíduo parece ter um queixo grande, pois o arco dentário superior é bem menor que o inferior, havendo uma grande desproporção entre os arcos.
Maloclusão é qualquer desvio do relacionamento normal, do encaixe correto entre os dentes, que pode se instalar desde a fase em que a criança é um bebê, vale dizer: a grande maioria dos desvios do sistema mastigatório tem origem no primeiro ano de vida, na fase em que nascem ou irrompem os dentes de leite, época em que já se encontra um grande número de crianças
Pode a maloclusão ter um componente limitante tanto na estética quanto na saúde física. Do ponto de vista da saúde, os danos podem ser severos, predispondo o indivíduo a problemas na articulação têmporo-mandibular – conhecida por ATM, desvios de postura e problemas periodontais, ou seja, problemas na região onde se inserem os dentes: gengiva, osso alveolar e fibras, que fazem a sua ligação.
Observa-se um significativo número de pessoas com problemas de dor de cabeça, comprometimento da audição, desconforto na coluna vertebral afecções que, muitas vezes, estão relacionadas a uma interferência na oclusão, por má posição dentária e, conseqüentemente, por um relacionamento defeituoso entre os dentes.
Existe uma reciprocidade entre oclusão dentária, ATM, coluna vertebral, ouvido, sendo que o mecanismo que altere um desses sistemas poderá ocasionar uma deficiência no funcionamento dos outros.
Para a harmonia do conjunto craniofacial, faz-se fundamental o perfeito equilíbrio entre oclusão dentária e o sistema neuromuscular.
Os tratamentos são vários, desde os mais simples aos mais complexos. Visitas periódicas aos dentistas, desde a infância, com o acompanhamento do desenvolvimento correto da oclusão, evita a instalação definitiva do problema.
Para obter o diagnóstico de má oclusão dentária e indicar o tratamento mais adequado inicialmente, procure seu dentista.

Por Karen Petrelli de Castro

Enviado por lorenzob, 14/03/17 4:19:41 PM
+55 Hall de entrada com molduras de personalidades brasileiras

Foto: Divulgação

Mais Cinco Cinco

O nome fala por si só: 55 é o código de área dos números de telefone brasileiros. Este bar e restaurante homenageia a cultura brasileira em seu cardápio e decoração. A casa já recebeu os mais diversos tipos de atrações: shows, exposições, stand up comedy, entre outros. É o tipo de lugar que agrada a todos os gostos.

+55 Decoração da área interna do bar

Foto: Divulgação

As paredes do hall de entrada são repletas de quadros com figuras de personalidades brasileiras. A decoração segue uma linha descolada e descontraída que evoca o famoso “jeitinho brasileiro”. O espaço é grande e divide-se em dois ambientes principais: a área interna, que acomoda as pessoas mais próximas ao palco e ao DJ, e a área externa, que é o melhor lugar para quem quer relaxar e bater um papo.

+55 Bar com diversos tipos de bebidas e cocktails

Foto: Divulgação

Terça Gastro Night

O cardápio e menu de cocktails atendem aos mais variados paladares. Pensando em proporcionar o melhor aos seus clientes, o +55 criou a Terça Gastro Night: nas Terças-feiras um Chef convidado elabora um menu especial e serve pratos da alta gastronomia por um preço muito convidativo: R$65,00 incluindo entrada, prato principal e sobremesa.

+55 Pot pourri do mar (atum selado, mel de laranjeira, foie gras, confit de laranja, camarão e vieiras flambados ao Pernot, ao molho ponzu)

Pot pourri do mar (atum selado, mel de laranjeira, foie gras, confit de laranja, camarão e vieiras flambados ao Pernot, ao molho ponzu) | Foto: Divulgação

Recentemente tive a oportunidade de experimentar o menu especial que o La Cocina preparou para uma das Terças Gastro Nights, e a experiência foi muito gostosa. Eram duas opções de menu. O primeiro servia Steak tartar La Cocina com mini ovo poche, crocante de batata doce e mini folhas, Entrecôte grelhado ao barbecue de goiaba Jack Daniels e legumes na manteiga, e Verrine Brûlée. Já o segundo menu servia Pot pourri do mar (atum selado, mel de laranjeira, foie gras, confit de laranja, camarão e vieiras flambados ao Pernot, ao molho ponzu), Salmão ao molho de laranja acompanhado de arroz negro mediterrâneo e a minha sobremesa favorita: Pavlova de frutas.

+ 55 Salmão ao molho de laranja acompanhado de arroz negro mediterrâneo

Salmão ao molho de laranja acompanhado de arroz negro mediterrâneo | Foto: Divulgação

Bons drinks, gastronomia, música e um ambiente agradável formam o argumento perfeito para visitar o +55. É possível ficar de olho nos eventos e nos convidados das Terças Gastro Nights através das redes sociais (clique aqui para saber mais). O +55 abre de Terça a Domingo a partir das 18h. Durante os dias da semana a programação normalmente é mais tranquila e aos finais de semana as noites são mais agitadas.

Onde fica

O +55 fica na Av. Vicente Machado, 866 – Batel, Curitiba.

Se quiser ver mais posts como esse clique aqui.

Para entrar em contato comigo clique aqui.

Lorenzo Bernardi para Palpite de Alice Gazeta do Povo

Por Lorenzo Bernardi

Enviado por Cynthia Duarte, 12/03/17 5:29:47 PM

Falta uma semana para o Sesc Triatlhon de Caiobá e, reta final de treinos estamos então na fase chamada de  “polimento”.

“ Neste período final, que são as duas semanas que antecedem a prova, que a gente chama de período de “polimento”… que é onde a gente procura buscar muito descanso, uma recuperação para o corpo se adaptar com todas as semanas de treinamento….” me disse, Mauricio Letzow, o treinador.

Através do Diário De Uma Triatleta descobri cuidados para a pele de uma mulher atleta e estes me acompanharão por mais algum tempo além da prova do dia 19 de março. Sendo assim, compartilho também neste vídeo informações sobre as prescrições da doutora Annia Cordeiro para a minha pele.

A farmacêutica Valéria Assad, com amplo conhecimento na área, gentilmente nos fala sobre estas fórmulas dermatológicas manipuladas para o tratamento dos melasmas no meu rosto, para prevenir envelhecimento e me proteger da radiação solar.

E…por fim, um pouco do meu dia para vocês!

Sou Cynthia Duarte e este é o Diário de uma triatleta. Fui ciclista profissional por 20 anos e, depois de me aposentar há 06 anos, aprendi a nadar e a correr para realizar o sonho de fazer um triatlhon. Há aproximadamente 01 ano me “destreinei” ao máximo para contar a história da trajetória de treinos de uma mulher comum, que decide se inscrever em uma prova de triatlhon e adequar as rotinas dos treinos á rotina pessoal e profissional. E claro, contar através do diário de vídeos postados semanalmente aqui na Gazeta do Povo online.

Facebook Fanpage –  https://www.facebook.com/cynthiaduartebike

Instagram – @cybike

ciclismocampeao@outlook.com

www.ciclismocampeao.com

Por Cynthia Duarte

Enviado por daniellel, 12/03/17 7:41:00 AM

Outro dia li uma matéria sobre uma blogueira que estava sendo investigada pelo Conselho Regional de Educação Física do Rio de Janeiro, sob acusação de ter dado aulas de educação física na praia. Outra, falava do caso de uma ex-bbb, denunciada pelo Conselho Regional de Nutrição de São Paulo, que exercia ilegalmente a profissão ao vender, pela internet, um programa de emagrecimento milagroso e prejudicado a saúde de muitas pessoas.  Achei o ó!

Parece que estamos vivendo um período meio confuso. Todo mundo acha que pode se “pagar” de nutricionista, de psicóloga, de pedagoga, de médica, de filósofa, de personal training, jornalista, de marketeira, advogada, cake designer, de design gráfico, de consultora de moda, baseado pura e simplesmente na opinião e vivência…No melhor estilo: eu posso ser o que eu quiser!

Devem pensar algo mais ou menos assim: “Formação acadêmica? Pra quê? Coisa do passado! O que eu leio na internet me basta! A minha opinião me basta! Imagina! Ficar anos sentada numa sala de aula, ouvindo aulas chatas com pessoas chatas! Aff maria!”

Os profissionais são “trocados” por amadores e questionados sobre seus honorários na “caruda”! “Você está cobrando muito, meu vizinho  faz umas logos lindas e cobra 1/3 do seu valor!” Ou: “Tudo isso por um bolo?”.

Nas redes sociais, as pessoas lançam questões de saúde e são respondidas por centenas de pseudo médicas, com prescrição de medicamento detalhada! Resolvem pendências judiciais em 5 linhas ou lançam vídeos ensinando aquilo que não sabem!

Infelizmente, a lista de exemplos e situações é interminável!

Isso me soa como um reflexo de um país que não prioriza a educação… Onde não há incentivo à pesquisa, não há valorização do docente e não há crédito ao aluno.

 

Fonte: Visual Hunt

Fonte: Visual Hunt

Um país onde sobra emprego por falta de mão de obra qualificada. Um país do “carnaval”, onde as pessoas se fantasiam de profissionais.

Concorda comigo? Faça sua parte! Valorize o PROFISSIONAL, incentive os amadores a buscarem formação e não contrate “foliões carnavalescos”. (O Ministério da Saúde deveria até avisar: contratar foliões pode ser prejudicial à saúde, incluindo a saúde financeira.)

Fonte: Visual Hunt

Fonte: Visual Hunt

Nutrição é com o nutricionista ou nutrólogo! Saúde, com profissionais da área! Treinos físicos com profissionais de Educação Física e por ai afora! Privilegie os especialistas!

Devagarinho, a gente vai ajeitando este país! O que a gente faz parece pouco, mas o pouco com Deus é muito! Acreditemos!
Beijos!
Dani

Enviado por monicab, 11/03/17 9:36:47 AM

Uma questão recorrente em meus pensamentos sobre o meio artístico curitibano é que Curitiba é, sem dúvida nenhuma, uma Usina de Talentos e ideias…

Minha experiência na área cultural me habilita a falar sobre isso, pois não foi uma nem duas vezes que me deparei com artistas locais incríveis nos bastidores de espetáculos surpreendentes.

O Zé Rodrigo é um exemplo vivo disso tudo. Musicista curitibano de 1ª grandeza, teve a inspirada ideia de unir a impressionante atmosfera do IMAX Palladium com um show de Rock ao VIVO, I LOVE ROCK & ROLL, uma produção de primeiríssima qualidade que contará com sonorização e iluminação da competentíssima empresa curitibana MX Sound Light Designer (XUXA) – já trabalhei com eles em 2 grandes espetáculos e posso dizer que essa empresa é incrível -, conteúdos de projeção adaptados para o espetáculo, por conta da super tela do IMAX, e demais profissionais experientes de direção e de produção.

O Clube da Alice apoia a divulgação do Evento, que aliás já encontra-se com os ingressos da Estréia do dia 13/3 – segunda feira, esgotados.

I LOVE ROCK & ROLL tem como grande aposta a geração de uma experiência diferente e intensa em seus expectadores. Não é pra menos, juntar o bom e velho Rock & Roll com conteúdos exclusivos, criados especialmente para o espetáculo, projetados na super tela do IMAX será verdadeiramente impressionante.

Se posso deixar um recado aqui para os amantes do Rock e de bons espetáculos, não percam essa Experiência. Nós, curitibanos, somos exigentes sim, e é por isso que posso garantir aos queridos conterrâneos que I LOVE ROCL & ROLL é imperdível.

Beijo Grande!

Nos vemos no IMAX Palladium

Serviço:

O cantor Zé Rodrigo faz o show de lançamento nacional de seu novo projeto musical, “I love Rock’n Roll”. Lançamento de seus 3 novos video clipes na super tela IMAX e show AO VIVO com banda no cinema. Uma novidade e um espetáculo singular.

Inteira R$ 65,00 + R$ 8,00 Tx Adm = R$ 73,00 

Clube da Alice R$ 32,50 + R$ 8,00 = R$ 40,50

Cartão Fidelidade do Disk Ingressos R$ 32,50 + R$ 8,00 = R$ 40,50

Meia-Entrada R$ 32,50 + R$ 8,00 = R$ 40,50

Enviado por ivyg, 09/03/17 10:30:41 AM

Na Moda, a palavra de origem inglesa college, que significa escola, representa o estilo de peças inspiradas em uniformes esportivos de jovens estudantes universitários americanos; os primeiros a utilizarem a hoje popular jaqueta com mangas raglan sanfonadas nos punhos e na cintura. Com as referências esportivas em alta, a jaqueta college ganha novas versões a cada temporada; e não poderiam ficar de fora das principais semanas de moda do mundo que apresentam, entre fevereiro e março, suas coleções para o próximo inverno.

Mais próxima do modelo original, a peça ganhou patches enormes e bolsos utilitários na passarela da Coach, em Nova Iorque; enquanto a Custo Barcelona apostou no material metalizado para repaginar a tradicional jaqueta.

Coach fall 17 (crédito: divulgação)

Custo Barcelona fall 17 (crédito: divulgação)

Em Milão, na Emporio Armani, a jaqueta é quase um blazer: a peça mistura punhos e cintura com referência esportiva e gola de alfaiataria em uma releitura tão chique quanto a jaqueta de tricô da coleção de Marc Jacobs, em Nova Iorque… Mas não mais marcante que as versões com pele! Marc Jacobs, em Nova Iorque, Nº 21, em Milão, e Chloé, em Paris, levaram peças com detalhes ou praticamente inteiras de pele para a passarela. O detalhe dos punhos e cintura em outra cor, ou com listras, deixam os modelos mais interessantes e atuais.

Emporio Armani fall 17 (crédito: divulgação)

Marc Jacobs fall 17 (crédito: divulgação)

Marc Jacobs fall 17 (crédito: divulgação)

E quando um item originalmente esportivo ganha rebite, amarrações em couro, animal print e brilho ao mesmo tempo? O resultado são as luxuosas e modernas jaquetas da Balmain, apresentadas em Paris. Não precisa de mais nada!

Balmain fall 17 (crédito: divulgação)

 

 

 

Páginas12345... 53»
Este é um espaço público de debate de idéias. A Gazeta do Povo não se responsabiliza pelos artigos e comentários aqui colocados pelos autores e usuários do blog. O conteúdo das mensagens é de única e exclusiva responsabilidade de seus respectivos autores.
Buscar no blog
Acompanhe a Gazeta do Povo nas redes sociais