*

Enkontra.com
Blog Palpite de Alice

Como tirar ferrão de picada de abelha

Verão, pé descalço e de repente … Tinha uma abelha no meio do caminho!
Foi o que aconteceu com a pequena Ana Júlia. A mãe Melina conta que a Ana, ainda de férias da escola, estava na casa da avó acompanhada de uma ajudante que percebeu a hora que houve a picada da abelha e rapidamente retirou o ferrão. Algum tempo depois, o pé da Ana ficou inchado e ela reclamava de dor para caminhar. Mas no dia seguinte já estava tudo bem.
Melina conta que não saberia o que fazer na hora se estivesse junto com a Ana, provavelmente teria corrido para um pronto socorro.

Ana Júlia, filha da Melina, com seu pé machucado após pisar em uma abelha. Foto arquivo pessoal – Maternidade Simples

 

E você, sabe o que fazer caso uma abelha pique seu filho?

Acidente por picada de abelha geralmente é único e ocorre quando a abelha sente-se ameaçada ou é pressionada sobre a pele (como foi o caso da Ana Júlia, que pisou sobre uma abelha que estava no chão).
O mais comum é que após a ferroada apareça dor, vermelhidão, coceira e inchaço no local da picada. Algumas pessoas são alérgicas ao veneno da abelha e podem aparecer sintomas sistêmicos graves. O início das manifestações pode ser rápido, 2-3 minutos após a picada, com a presença de dor de cabeça, tontura, calafrios, agitação, inchaço de lábios e pálpebras. Podem ainda ocorrer falta de ar, rouquidão, dor de barriga e mal estar intenso.
Como é a forma correta de retirar o ferrão da abelha?
É importante tirar o ferrão da abelha o mais rápido possível. Isto porque o veneno continua a ser inoculado enquanto o ferrão estiver na pele.

CUIDADO na hora de retirar o ferrão para não apertar a bolsa de veneno que fica junto dele.

Para que isto não aconteça o ferrão deve ser retirado fazendo uma raspagem junto a pele, que pode ser com a unha ou com algo rígido, como um cartão. Evite usar uma pinça ou puxar com os dedos.
Após retirado o ferrão da abelha lave a região com água e sabão e coloque gelo sobre o local. Fique atento aos sintomas sistêmicos e, se necessário, procure imediatamente atendimento medico de emergência.

Por Dra Juliana Loyola Presa – Pediatra
Melina Pockrandt é mãe de duas lindas meninas, Manuela e Ana Júlia, é jornalista e criadora do site e blog Maternidade Simples.