Gastronomia no Mundo – parte 2 - Palpite de Alice
Caro usuário, por favor clique aqui e refaça seu login para aproveitar uma navegação ainda melhor em nosso portal. FECHAR
Blog Palpite de Alice

Gastronomia no Mundo – parte 2

Foto - Arquivo Pessoal
Foto - Arquivo Pessoal
Foto - Arquivo Pessoal

Foto – Arquivo Pessoal

 

Quem também gosta de procurar conciliar viagens com gastronomia?

Nós adoramos! Não só por causa de nosso restaurante (Cenacolo Restaurante E Eventos) – muitas vezes nos inspiramos em idéias e sabores experimentados para adicionarmos ao nosso menu – mas também, para aprendermos e conhecermos sobre ingredientes locais, hábitos e parte da cultura.

Desde os mochilões até as viagens menos econômicas, procuramos fazer ao menos uma refeição, propriamente dita, ao dia. O resto, comemos lanches, besteiras e compramos coisas no mercado para fazermos piquenique no quarto do hotel e em parques – o que adoramos!

Claro que algumas vezes nos demos mal experimentando coisas novas mas na maioria das vezes, foi no mínimo interessante.

Argentina e Uruguay são países que sempre comemos muito bem. Carnes e derivados lácteos por lá são incontestavelmente muito melhores do que os produzidos no Brasil (que a propósito, a qualidade de iogurtes e queijos produzidos por aqui é medonha). Uma refeição com entrada presunto cru e melão, bife de lomo e sorrentinos e sobremesa qualquer coisa com doce de leite é para mim um banquete formidável!

Em específico, fizemos duas viagens enogastronômicas para Mendoza, uma em 2006 e outra em 2011. Visitamos várias e várias bodegas e todos os dias almoçávamos em uma bodega diferente e jantávamos num dos vários ótimos restaurantes da cidade. Come-se e bebe-se muitíssimo bem por lá.

Em nossa rápida passagem por Lima, provamos o autêntico ceviche peruano. Com suas inúmeras variedades de milho, o colorido do prato já encanta. Sabor único e delicioso.

Tanto nos EUA quanto na Alemanha, países que não tem muito glamour em sua gastronomia, não temos do que nos queixar. Acho que em ambos, há muitas e muitas coisas saborosas.

A alimentação do Oriente Médio/Norte da África), do que conhecemos (Marrocos, Turquia, Egito, Qatar e Emirados Ärabes), nos fez nos apaixonar ainda mais pela região. O odor desses países é algo que penetra na nossa alma. Mistura de incenso com perfumes que se espalha por tudo. Na Turquia, o chá de maçã é muito delicioso e lá comemos maravilhosos doces árabes (só perdem para os doces de uma pequena confeitaria de Paros, na Grécia…os melhores do mundo!). No Egito aprendemos a tomar refresco de hibisco e vimos, com naturalidade eles comerem pepino e tomate no café da manhã. Tanto eu quanto o André tivemos intoxicação alimentar por lá (isso que estávamos em hotel 5*). Mas também com açougues como esse da foto abaixo…

O nível econômico e consequentemente gastronômico do Qatar e EAU, faz desses países serem uma bela surpresa gastronômica. Redes americanas (Mc Donalds, Burger King, Pizza Hut, Cheese Cake Factory), Jamie Oliver, Paul’s Bakery, Armani e tantos e tantos outros. Fora os deliciosos swarma…o tabule de lá tem absurdamente mais salsinha do que qualquer outra coisa. E é divino!

O Japão já mereceu um post específico sobre as comidas de lá…

http://www.gazetadopovo.com.br/blogs/palpite-de- alice/gastronomia-no- mundo-parte- 1/

Adoramos ir a supermercados e nos perder observando os produtos, rótulos, apresentação forma de consumo e as pessoas. Comprar coisas e fazer picnic, preferencialmente em parques, é um passeio perfeito. Fizemos isso na Espanha, França, Holanda, Noruega (lá vimos um fato, no mínimo, surpreendente no parque…), Suiça e tantos outros lugares. Procuramos sempre levar uma canga na mala e uma das utilidades é servir como toalha pro picnic. Canivete suíço, sempre está por perto para qualquer necessidade de abrir um vinho ou cerveja em algum piquenique.

E como não comprara a forma de exposição dos produtos? ´Só o passeio já encanta os olhos.

Tudo muito bem arrumado, disposto e apresentado. A variedade de tipos de um mesmo produto.

Sete, oito tipos de tomates…Champion facilmente são encontrados em dúzias de variedades.

Berinjelas de vários tamanhos e cores! E até coisas mais simples e corriqueiras, tem variedade, qualidade e sim, preço acessível. Agora eu pergunto, por que aqui no Brasil é impossível conciliar: Apresentação x Variedade x Qualidade x Preço?

Por Mariane Werneck Botelho