*

Blog Palpite de Alice

Você tem locais no corpo com a pele escura?

Você já pensou em usar cremes clareadores em locais como axilas, virilha, pescoço? Pensou em procurar um dermatologista para ver isso ou foi atrás de soluções caseiras para resolver o problema?

Se você se encaixou nessa queixa de manchas nesses locais, preste atenção! Pode estar com ACANTOSE NIGRICANS. Que é que é esse palavrão??? Explico tudinho!

A acantose nigricans é uma doença da pele, caracterizada por lesões de cor cinza e espessas, que dão um aspecto verrugoso em qualquer local da superfície corpórea, sendo a área mais atingida a região posterior do pescoço, seguida pelas axilas, face lateral do pescoço, em volta do umbigo, embaixo das mamas, na boca ou mesmo, em casos raros, planta dos pés e palma das mãos.

As lesões surgem de forma progressiva e gradual. Aos poucos certas áreas do corpo começam a ficar mais e mais escuras, com a mesma aparência em ambos os sexos, mas indivíduos negros parecem ser mais vulneráveis. Não são doloridas e somente em algumas pessoas costumam provocar coceiras.

As principais causas são as doenças endocrinológicas: a obesidade é o distúrbio mais comum, freqüentemente associado ao excesso de insulina, ao diabetes mellitus e à resistência à insulina (principalmente em crianças e jovens). Mas pode aparecer ligada a hipotireoidismo ou hipertireoidismo, acromegalia, síndrome do ovário policístico, síndrome metabólica, síndrome de Cushing, ou vir associada com freqüência a tumores do tubo digestivo e do fígado, bem como linfomas e melanoma. O uso de medicamentos como corticoesteróides, anticoncepcionais orais e o uso de hormônio do crescimento podem levar ao seu aparecimento e a suspensão do seu uso à regressão algumas semanas após a suspensão.

Uma apresentação denominada acantose nigricans acral ocorre em pessoas sem quaisquer outras doenças ou sintomas associados, formando as características placas ásperas ou aveludadas e escurecidas nas mãos e nos pés, sendo mais encontradas na pele sobre as articulações dos dedos.

Não há atualmente um método de tratamento único. O principal objetivo é encontrar e corrigir o processo subjacente (obesidade, alterações endócrinas, uso de medicamentos, tumores, etc.) que está provocando as lesões.

Foto - Arquivo pessoal

Foto – Arquivo pessoal

Nos casos no quais não se encontra a causa, produtos de uso local com ação queratolítica (que dissolvem a camada córnea, afinando a pele), como ácido retinóico, lactato de amônia, uréia ou ácido salicílico são uma opção para a melhora do aspecto das lesões. Podem ser associados a produtos despigmentantes buscando o seu clareamento. As concentrações e forma de uso variam de acordo com cada caso e devem usados de acordo com a prescrição de um médico dermatologista.

Os casos de pequena extensão podem ser resolvidos com a dermoabrasão e o laser. Nos casos muito extensos, pode

ser considerado o uso de medicação oral e há relatos de benefícios com o uso do etretinato, isotretinoína e metformina.

As áreas escuras e grossas da pele deixam muitos pacientes com vergonha de sair à rua ou de usar pouca roupa. Um acompanhamento psicológico pode ser considerado para ajudá-los a levar uma vida melhor.

Nunca realize auto-medicações. Lembre que embora mais rara, a presença dessas lesões pode ser o sinal da presença de uma doença mais séria e o uso incorreto de fármacos pode piorar um estado. Portanto, consulte sempre um profissional para saber qual é a melhor abordagem.

Por Raquel Camargo

Você tem locais no corpo com a pele escura?