Blogs

Fechar
PUBLICIDADE

Passa lá em casa

Enviado por Eloá Cruz, 22/03/17 8:00:59 AM

Pinturas geométricas com uma pitada de cor para quebrar o quarto quase monocromático. Foto: Pinterest.

 

Com a vinda da cama box, é preciso usar a criatividade para criar uma cabeceira. Esse modelo de cama não vem com a cabeceira, que é uma proteção proteção com tem um papel importante de encosto quando a gente fica sentado na cama.

A cabeceira pode ser feita junto ao projeto de marcenaria do quarto, pode deixar o ambiente pesado dependendo da escolha. Para algo mais clean e contemporâneo, deixo aqui algumas inspirações.

Quando eu fizer a minha cabeceira, posto aqui.

 

Uma peça dessas pode ser encontrada numa demolidora. Aí vale dar um trato, com tinta anti ferrugem e mais algumas coisinhas. Foto: Pinterest.

Com cordas coloridas, uma cabeceira que pode servir até de mural para algumas fotos. Foto: Mareehomer.com

Quarto com estilo mais industrial e cabeceira feita com fita adesiva. Simples, mas é preciso criatividade para fazer um desenho bacana. Foto: Pinterest.

Que tal madeira de demolição? Deixa o quarto aconchegante e leve. Foto: Pinterest.

Pequenos objetos pendurados na parede trazem uma continuidade da cama para a parede. Fica minimalista, mas também é bonito. Foto: Pinterest.

Aqui não dá pra ver a cama para ter uma ideia de todo o conjunto. Uma prateleira dessas com cordas é uma ótima opção decorativa. Foto: Pinterest.

Faça você mesmo uma parede de flores, baratinho e bem fácil. Basta usar um fio resistente e pregar uma flor de plástico atrás da outra. Foto: Sweetteal.com.

Com uma placa de MDF, manta atrílica e um tecido, você consegue criar essa cabeceira com capitonê. Foto: Place Of My Taste.

Outra opção, também muito simples, é pintar a área da cabeceira na parede. Com um jogo de cama bem bonito, também é uma ideia bem interessante. Foto: Pinterest.

 

Enviado por Eloá Cruz, 20/03/17 8:00:06 AM

Tricô gigante: uma das tendências da decoração para o próximo inverno. Foto: Pinterest.

 

O outono começa hoje. Daqui a pouco é o inverno que vem bater à nossa porta, invadir cada cômodo e fazer a gente não querer colocar o nariz para fora das cobertas.

Se a moda de vestuário outono/inverno tem todo um ar de sofisticação e elegância, a decoração da próxima estação deixa a casa mais aconchegante. Ano passado comentei da pele sintética e esse ano é a vez é o tricô gigante. Já se falava dele em anos anteriores, mas imagino que agora fique mais popular.

Esse tipo de tricô é feito normalmente com lã merino, uma lã natural e de excelentes propriedades. Entre as qualidades do material está o conforto térmico, a suavidade no tato – não é áspera e não pinica, e não absorção de poeira em relação as outras lãs.

Em contrapartida, a lã merino tem um preço mais salgado que as de material sintético — obviamente. Para fazer uma manta de sofá, por exemplo, você vai precisar de pelo menos um quilo de material. A lã merino é vendida por kg, não por metro como os outros fios em geral.

A cor natural dela é bem parecida com off-white, que eu particularmente acho muito lindo. Mas também é possível encontrar a lã tingida em outros tons.

Numa pesquisa rápida aqui, vi que um quilo da lã custa aproximadamente uns R$ 300 reais no Mercado Livre. Não é um material barato, mas pelo conforto e qualidade, talvez valha o preço.

Tricô gigante feito pela designer ucraniana Anna Mo. Foto: divulgação.

Tricô gigante feito pela designer ucraniana Anna Mo. Foto: divulgação.

LIMPEZA E MANUTENÇÃO

Ainda estou pesquisando bem para saber se vale a pena investir numa manta dessas para o meu sofá. A limpeza dessa lã requer todo o cuidado, isso porque existe o perigo de lacear.

O indicado é de que a lã seja lavada com sabão bem neutro, para roupas delicadas, ou até mesmo com um shampoo de uso diário. É recomendável também não esfregar, muito menos torcer. A água precisa ser retirada com todo cuidado, e a secagem é feita à sombra.

Lembre-se também, água quente e máquina de lavar jamais!

Mais outro tricô da designer Anna Mo. Foto: divulgação.

Mais outro tricô da designer Anna Mo. Foto: divulgação.

COMO FAZER O TRICÔ

Falei tanto da lã, agora vamos ao tricô. Nesse vídeo abaixo, publicado por um canal de design da Ucrânia, mostra o passo-a-passo de como tricotar uma manta. É muito simples. O material usado no vídeo não é a lã merino, não sei dizer qual é — mas acredito que não tenha no Brasil para vender.

 

Enviado por Eloá Cruz, 13/03/17 3:11:16 PM

Pés palito combinam e muito com vinis. Crédito: Pinterest.

 

Há mais ou menos uns dois anos eu resolvi comprar uma pequena vitrola portátil para ouvir alguns discos que estavam acumulando pó aqui em casa. Não vou entrar no mérito de qualidade de som e etc, mas não se pode negar o fato de escolher um disco e colocar a agulha para tocar é um ritual muito agradável. O mundo pára para ouvir. :)

Nessa empreitada de arrumar a casinha nova, decidi que preciso de um móvel especialmente para a vitrola e vinis. Vou registrar aqui algumas inspirações, elas também podem inspirar você a criar um cantinho dedicado aos discos aí na sua casa.

Veja algumas das inspirações que eu separei:

Um carrinho super simples e charmoso. Para levar para qualquer canto da casa. Crédito: Pinterest.

Uma maneira bem simples. Uma caixa bem básica de madeira resolve tudo. Crédito: Pinterest.

Aqui, um móvel feito sob medida, com gavetas criadas especialmente para guardar os discos. Crédito: Pinterest.

Um dia vou chegar lá e ter uma coleção desse tamanho. Esse tipo de móvel é para os colecionadores level hard. Crédito: Pinterest.

Mais retrô e setentinha, impossível. Crédito: Pinterest.

 

 

Enviado por Eloá Cruz, 07/03/17 2:06:54 PM
Ideia para criar um armário. Crédito: Pinterest / achadosdecoracao.com.br.

Ideia de marcenaria simples para o quarto. Crédito: Pinterest/achadosdecoracao.com.br.

Ano novo, casa nova. Se você passa pela mesma fase que eu, de planejar e começar a montar um apê do zero, sabe bem que cada economia é um alívio no fim do mês. E entre as primeiras coisas que são feitas num imóvel, antes de se mudar de fato, está o projeto de marcenaria.

Essa semana estou correndo atrás de várias coisas para conseguir, aos poucos, deixar o apê com a minha cara. Uma delas é o projeto de marcenaria.

Pesquisei, vi vários projetos e já fiz alguns orçamentos. E nesse barulho todo, saquei que algumas coisas podem baratear, sem deixar o projeto ruim. Vamos para as dicas:

A primeira delas é: marcenaria branca é mais em conta. Claro que é bem básico, e se você for que nem eu, que gosta de fugir um pouco dos padrões, vale investir em detalhes de outra tonalidade, ou mesmo dar um tom bacana no ambiente colocando cor e personalidade em outros pontos – parede, roupa de cama, pendentes, etc.

Outra dica, bem simples, mas que a gente nem sempre lembra, é fazer boa parte da marcenaria já de uma vez. Aí é possível chorar um pouquinho mais no desconto. Fazer o projeto do quarto, sala, lavanderia. Se tiver orçamento suficiente, acho que vale o investimento.

Portas que abrem para fora são mais em conta que as de correr. Se você não tiver espaço suficiente no ambiente para fazer um móvel que abra a porta, o jeito vai ser criar um mobiliário com portas de correr mesmo.

Cabideiros são mais baratos que prateleiras, assim como abertura por puxadores é mais barato que por abertura de toque. Uma ideia também bem interessante é não fazer a porta da frente e instalar uma cortina — garanto que não vai ficar feio.

Guarda-roupa sem portas. Crédito: Pinterest / ideiasdefimdesemana.com.

Guarda-roupa sem portas. Crédito: Pinterest / ideiasdefimdesemana.com.

 

 

 

Enviado por Eloá Cruz, 25/01/17 8:00:41 AM

Lavanderia pequena e superprática. Foto: Pinterest.

Quando se trata de apartamento novo, aquele primeiro apê de até 50 m², o espaço é reduzido. E alguns imóveis por aí não tem nem sequer a área de serviço – o lugar muitas vezes é compartilhado e fica na área comum do prédio.

Mas quando a lavanderia coletiva não é lá essas coisas, é possível sim criar um espaço pequeno dentro do banheiro com máquina e armários para produtos de limpeza. O interessante de se ter a máquina de lavar dentro do banheiro é que você já tira a roupa suja e ela ganha um destino rapidinho.

Se o banheiro tiver um espaço suficiente para comportar uma máquina e um armário para os produtos de limpeza, vale a pena criar uma pequena lavanderia embutida – uma ótima solução para espaços pequenos. Só é preciso estar atento para saber se há entrada de água para conectar a lavadora de roupas.

Lavanderia discreta e super prática. Foto: Pinterest.

 

 

 

Enviado por Eloá Cruz, 23/01/17 8:00:49 AM
Azulejos em branco, verde menta e tons de madeira crua. Foto: Pinterest.

Azulejos em branco, verde menta e tons de madeira crua. Foto: Better Homes / Pinterest.

 

O verde acalma, energiza e revigora. Para quem adora passar horas na cozinha, seja comandando as panelas ou fazendo companhia para quem prepara as refeições, essa cor deixa o espaço confortável aos olhos.

A cor do ano da Pantone – o Greenery – veio reforçar esse poder do verde. Nas palavras da Leatrice Eiseman, diretora executiva da marca, o verde simboliza a retomada da relação humana com a natureza. E não tem tom mais inspirador para trabalhar na cozinha, ao aroma das ervas e ingredientes frescos?

Imagem: Pantone / divulgação.

 

Tem tons de verde para tudo quanto é estilo de decoração, para cozinhas mais industriais, para as clássicas, as modernas e até as mais rústicas e românticas. Cacei alguns exemplos para mostrar como o verde é poderoso. E eu já decidi, vou pintar minha cozinha de verde. <3

Um verde mais delicado, para uma cozinha mais simples e com madeira clara. Nesse tom aqui, fica legal investir em acessórios em inox. Vale a pena. Foto: Pinterest.

 

Cozinha com tom de verde mais fechado nos armários. É lindo, mas precisa estar num espaço bem iluminado. Veja a parede com azulejos com desenhos geométricos. O tom da cozinha dá um clima meio retrô e a parede geométrica vem para reforçar a ideia. Foto: Pinterest.

 

Mais divertida, essa cozinha usa o verde em destaque, mas também tons de azul turquesa e laranja — cores que combinam muito bem com esse verde. Foto: Pinterest.

 

 

 

Enviado por Eloá Cruz, 06/01/17 11:07:10 AM
Crédito: Pixabay.

Crédito: Pixabay.

 

Janeiro é o mês mais movimentado das imobiliárias. Muita gente vem para Curitiba para começar uma faculdade, um novo emprego, vida nova, enfim. E aí, quando você se depara com 1239281321 opções, é preciso estabelecer critérios para peneirar melhor essa escolha e facilitar a vida.

Sem entrar na questão econômica da coisa, a escolha de um imóvel precisa ser bem pensada para não gerar frustrações e nem dor de cabeça futuramente. E para facilitar, pensei aqui em alguns pontos específicos que são super importantes. Vamos lá:

Qual a sua real necessidade?

Parece algo bem óbvio, mas nem sempre está esclarecido. Vai morar sozinho, com a família? Quantas pessoas vão morar com você? É um lar temporário? Numa cidade grande como Curitiba, localização e tamanho do imóvel são dois fatores que não andam juntos. A preferência por um critério ou outro vai depender da sua necessidade, o equilíbrio entre os dois também.

Vizinhança

Morar numa rua movimentada pode tirar um pouco do sossego se você for mais caseiro. E ter a farmácia, a quitanda e o supermercado a poucas quadras vai facilitar a rotina de quem é estudante, ou de quem é acostumado a fazer tudo a pé. O melhor é visitar a vizinhança antes e sentir o clima entre os moradores.

Posição e luminosidade

Todo mundo quer um apartamento bem iluminado naturalmente. Até porque tem lá suas vantagens: economia de energia, o imóvel fica mais arejado, a umidade diminui e até a sensação térmica pode ficar mais agradável. Um imóvel face norte garante iluminação o dia todo, manhã e tarde. Já um face leste tem o sol da manhã e fica mais fresco durante o período da tarde. E os virados para o oeste são iluminados pelo sol tarde – ficam mais aquecidos naturalmente.

Claro que o sol não vai iluminar todos os cômodos da casa, então é preciso dar preferência para a luminosidade na sala e quartos. Lavanderia, cozinha e banheiros podem receber menos luz — até porque os eletrodomésticos não devem receber sol o dia todo.

Sacadas e grandes janelas deixam tudo mais iluminado. Às vezes, uma edificação bem na frente da janela pode impedir a chegada da luz. Uma visita ao local em horários alternados, manhã e tarde, vai te dar mais certeza quanto a iluminação.

Ventilação

Nos apartamentos novos que estão no mercado, é muito corriqueiro ver os banheiros com ventilação forçada, quando não há janela. A preferência é sempre pela ventilação natural, que evita umidade e mofo. A mesma dica vale para as cozinhas, que precisam ser bem arejadas para liberar o cheiro do cozimento dos alimentos.

Mas tudo bem se a ventilação for forçada. Hoje no mercado existe uma variedade de exaustores, que podem ser instalados nos banheiros e deixam o ambiente mais arejado.

 

 

 

 

Enviado por Eloá Cruz, 21/10/16 11:42:49 AM

O sofá despojado e super confortável apontou como o ambiente deveria ser: um espaço para relaxar. Crédito: Urban Outfitters / divulgação.

 

Sofás de futon são os meus preferidos — claro, tirando os poderosos da Vitra e outros modelos assinados por poderosos do design e que, obviamente, custam “os olhos da cara”. Ele é bem conhecido das áreas externas, das cadeiras e sofás ao ar livre. E com o futon a gente já sabe, o ambiente fica mais leve, confortável e bem mais informal. Agora vale investir nele em qualquer espaço — sai mais em conta que um sofá!

É quase como se jogar num amontoado de almofada. A tendência é essa: conforto de verdade e decoração para casas reais, vivas. Aquele modelo de sofá duro, sério, e com desenho sóbrio só deveria fazer parte das salas de espera de consultórios.

Como o modelo de futon é mais informal, a decoração também deve seguir o mesmo tom. Nos modelos a seguir, veja que as cores dos ambientes são leves, as plantas estão presentes também — isso porque o verde deixa o espaço mais agradável. O futon deixa a casa mais convidativa para quem a visita.

Um cantinho da casa para a leitura, um espaço para renovar as energias. Toda casa deveria ter um espaço com essa função. Foto: Pinterest.

 

 

Uma ideia para um quarto de hóspedes, ou mesmo para uma sala de estar. Aqui só um futon com o tamanho de uma cama de solteiro e umas almofadas deu todo significado ao ambiente. Foto: Histórias de casa/Pinterest.

 

 

 

 

Enviado por Eloá Cruz, 22/08/16 2:34:20 PM

Paredes de tijolinhos à vista deixam a casa mais aconchegante. Crédito: Pinterest.

 

Ainda na pegada industrial, dos lofts nova-iorquinos com estrutura de galpões e antigas fábricas, as paredes com tijolos à vista dão um destaque bem moderno na decoração.

Não sei explicar o porquê, mas a textura deixa o espaço mais aconchegante — independente se o tijolinho estiver cru, no marrom mesmo, ou pintado de branco.

Uma amiga minha resolveu retirar o acabamento de uma das paredes da sala dela, deixando o tijolo à mostra. Ficou super bacana, mas ela me contou que foi sofredor tirar o revestimento na marretada mesmo. Chegava uma hora que o braço cansava demais.

Depois de algumas buscas, descobri que é possível criar uma parede falsa de tijolos à vista usando isopor. Isso mesmo, I-SO-POR. Vale usar aquela placa de isopor que tem na papelaria mesmo, aquela bem fina.

 

Então, é o seguinte, você vai precisar dos seguintes materiais:

– Placas de isopor (a quantidade depende do tamanho da sua parede);

– Estilete, régua e caneta;

– Cola de isopor;

– Ferro de solda ou um objeto com ponta de metal que você possa aquecer sem se queimar;

– Tinta de parede da cor que preferir;

– Pincéis.

 

Crédito: Pinterest.

 

Comece medindo o tamanho da sua parede. Para saber quantas placas de isopor você vai precisar, vale pensar na seguinte conta: o tamanho dos tijolinhos é de 20 x 4 cm, o espaço entre tijolinhos é de 1 cm mais ou menos. Vale lembrar também que uma placa comum de isopor mede 100 cm x 50 cm. Faça as contas, hehe.

Corte quantos tijolinhos for precisar e faça o acabamento usando o ferro de solda. Você esquenta e vai arredondando um pouco cada tijolinho, fazendo pequenas deformidades (como mostra na figura acima).

Depois do material pronto, é só colar o isopor. Fixe cada pedaço com calma, para deixar a textura uniforme e sem nada muito torto. Por fim, finalize com umas duas ou três camadas de tinta.

Ah, vale lembrar que o isopor é um material que queima fácil. Então nada de fazer essa textura próximo a lareiras ou numa cozinha. Esteja atento.

 

 

Enviado por Eloá Cruz, 29/07/16 10:58:19 AM

Crédito das imagens: Pinterest.

Minha mãe disse que essa ideia de fazer coisas em casa usando argamassa não é nova não. E acredito muito que a proposta viral de fazer vasos de concreto tenha voltado por causa da onda do décor industrial, com pendentes mais simples, metal, material bruto e tudo mais.

Acho que o industrial deixa a casa mais vida real, sabe? Sem tanto “frufruzinho”. Claro que é preciso ponderar um pouco, pois a decoração muito bruta pode deixar o ambiente sem vida.

Plantas e concreto, combinação incrível. Foto: Pinterest.

 

Harmonizando a delicadeza das plantas com a frieza do concreto, dá para fazer uma peça incrível para compor a casa com essa nova proposta dos vasos feitos com argamassa — ainda mais agora que a proposta da maioria deles é usar o geometrismo. Adoro geometrismo!

Então vamos lá! Para começar, a primeira coisa a fazer é passar numa loja de materiais de construção e comprar a argamassa. A quantidade vai depender do tamanho da peça que você vai criar.

Depois, já com a argamassa em mãos, reserve um espacinho em casa para fazer a “sujeirinha”. Não vai sujar muito, prometo. Reserve um recipiente para fazer a mistura, seguindo as instruções da embalagem. E não esqueça das luvas.

Para fazer um vaso diferentão, vai depender do molde que você escolher para ele. E vale qualquer coisa: desde uma caixa simples de sapato, formas de bolo, garrafas de plástico, copinhos de iogurte, uma forma geométrica super excêntrica que você mesmo pode montar com papelão e fita crepe, qualquer coisa.

Passo a passo. Foto: Pinterest.

 

Nesse passo a passo que consegui pelo Pinterest, mostra bem como o vaso é feito. Mas tem algumas dicas valiosas que não aparecem nas imagens. A primeira delas é untar o molde, pode ser com óleo de cozinha mesmo. Isso facilita muito a retirada depois.

A segunda dica é com relação ao tempo de secagem. A peça demora mais ou menos uns 10 dias para secar completamente. Para o concreto ser retirado do molde, espere pelo menos 24 horas para ter certeza que a peça está firme o suficiente. Vale testar usando um prego, ou algo parecido.

Escolha um molde bem diferente e crie seus próprios vasos. Se quiser, dá para pintar partes da peça com tinta spray depois.

Aqui o concreto foi colocado num saquinho e amarrado na estrutura da luminária. Super diferente. Foto: Pinterest.

Esses são alguns dos modelos feitos com moldes de plástico, embalagens que se tem em casa. Foto: Pinterest.

 

 

Páginas123456
Este é um espaço público de debate de idéias. A Gazeta do Povo não se responsabiliza pelos artigos e comentários aqui colocados pelos autores e usuários do blog. O conteúdo das mensagens é de única e exclusiva responsabilidade de seus respectivos autores.
Buscar no blog
Acompanhe a Gazeta do Povo nas redes sociais