*

Blog Ricardo Amorim

A Argentina vai cortar o funcionalismo. O Brasil deveria fazer o mesmo


O presidente da Argentina, Mauricio Macri, anunciou um corte no número de funcionários e o congelamento de salários. Ele escolheu ter um Estado menor para ter uma Argentina maior. Algo que deveríamos fazer aqui também, porque o Estado em nenhum país gera riqueza, ele a redistribui em forma de serviços. O Brasil é o quarto emergente com tributação mais elevada e não entrega muito em troca de tanto imposto.