PUBLICIDADE

Sobretudo

Enviado por Luiz Claudio, 22/05/15 12:49:11 PM

É teatro? É música? É cinema?

Sim, é.

É arte. É estranho. É inquietante. É gracioso. É angustiante.

É. São.

Há um mês vêm sendo publicados os vídeos de canções de Leo Fressato que fazem parte do projeto Qorpo Santo 3 linguagens. O mais recente acaba de sair do forno.

Veja os três vídeos do projeto com canções de Leo Fressato, começando por “Eu Sou a Vida; Eu Não Sou a Morte”.

Leo Fressato tem uma formação teatral que antecede o caminho da música. Ele é ator e diretor formado, já encenou, escreveu e dirigiu para teatro. Seu caminho na música foi escancarado ao público depois que o clipe de “Oração”, da Banda Mais Bonita da Cidade explodiu na internet. Hoje, ele convive com as duas linguagens, ou as três como o o projeto Qorpo Santo 3 Linguagens explicita agora com a divulgação dos vídeos.

A descrição do projeto é a seguinte: “Este vídeo faz parte do projeto Qorpo Santo 3 Linguagens do selo curitibano Projeto Z. O trabalho foi aprovado no edital Rumos Itaú Cultural de 2014 e contempla ainda o espetáculo teatral Amanhã Sou Outro, o álbum Seis Mezes de Enfermidade e os outros dois videoclipes disponíveis nesse canal.”

Enviado por Luiz Claudio, 21/05/15 3:22:06 PM

Não é pouca coisa. É uma primeira audição mundial em rádio. Antônio Abujamra lendo “Inferno” de Dante Alighieri, na tradução de Thadeu Wojciechowski e Sérgio Viralobos. Essa é a missão do programa Radiocaos desta semana, como vocês podem ver na programação abaixo.

A Bela ilustração é do José Marconi Ilustrações.

Radiocaos são Samuel Lago e Rodrigo Barros Del Rei.

O programa vai ao ar em Curitiba (Rádio e-Paraná, aos sábados, 23h; e pela rádio on-line 91 Rock, aos domingos, às 20h), Rio de Janeiro (Rádio Roquete pinto, às sextas-feiras, 22h), São Paulo (USP FM, aos domingos, 17h) e em Lisboa (Rádio Zero, às quintas, às 18h). Os programas antigos também podem ser ouvidos no site do Radiocaos.

Para quem se interessar por ouvir mais o Antônio Baujamra, ele tem dois audiolivros gravados pelo selo curitibano Nossa Cultura e você pode ouvir um pouco e comprar na página da editora.

Enviado por Luiz Claudio, 21/05/15 11:59:49 AM

Preciso prestar homenagens ao David Letterman, principal nome de talk show, ícone do gênero e copiado mundo afora. Responsável por noites divertidas, críticas, reflexivas, musicais e inteligentes. Ele se aposentou do Late Show da CBS na quarta-feira (19/05/2015) em programa especial que contou com a participação de muitos artistas, do presidente Barack Obama e de ex-presidentes dos EUA.

Como homenagem e agradecimento, apresento essa série de vídeos, que começa com o Foo Fighters de fundo musical a uma espécie de melhores momentos. Divirtam-se:

Enviado por Luiz Claudio, 15/05/15 2:56:32 PM

Conheci B. B. King de um jeito que não recomendo a ninguém.

No início dos jurássicos anos de 1980, quando era ainda mais ignorante do que sou hoje, ouvia blues de segunda via. O britânico, isto é, pelo viés de Rolling Stones, Eric Clapton e cia. O brasileiro, de Ângela Ro Rô, Blindagem e outros. E as releituras roqueiras americanas, principalmente Jimmi Hendrix. Perguntei então para o meu amigo, o músico e jornalista Carlão Gaertner, o maior conhecedor de blues por perto de mim, o que ele me aconselharia de ouvir para entrar mais no meio de blues. Ele desfilou todos os nomes tradicionais e arrematou com algo mais ou menos assim: “mas se você quiser algo que respeite o tradicional e ao mesmo tempo tenha uma pegada mais atual, mais pop, vá no B.B. King que é a melhor opção”.

Eu fui. Logo que saiu no Brasil, comprei o álbum (o vinil naquela época era conhecido como LP, de long play) “Love Me Tender”. Não poderia ter feito escolha pior. Não que o disco seja ruim, mas é um dos mais comerciais e sem espírito blues do eterno amante de Lucille. Está mais para baladas country (nada contra, também gosto), com toques românticos e alguns arranjos de cordas excessivos.

Fiquei meio assim com o amigo Carlão e também com o B.B. King. Será que aquela seria mesmo a melhor indicação? Não falei nada para nenhum deles, mas também não desisti e continuei a peregrinação. Afinal, eram os dois de confiança e a melhor coisa do disco era justamente Lucille, que em qualquer lugar sempre se destaca com seu jeito único, inimitável. E, como diz o título de uma das músicas daquele álbum, “You’ve Always Got the Blues”

Meu segundo disco de King foi “Lucille”, de 1968, achado em um sebo, meio riscado (sim ainda vinil, que depois, já no fim dos anos 90, troquei por uma versão em CD). E o interesse por blues só cresceu de lá para cá. Nos bons tempos da Estação Primeira, mantive com meu irmão (outro dos grandes conhecedores do gênero em Curitiba e também chamado de Carlão), um programa de blues. Tínhamos também uma loja de discos, a Jukebox, que vendia muito rock pesado alternativo e entre o hard, punk, trash, metal e suas muitas variantes, também ali se insinuavam os disco de blues e B.B. King era sempre um dos mais vendidos.

Mas estou solando e desviando o caminho, voltemos aos 12 compassos essenciais. O fato é que comecei pelo pior de B.B. King e acredite que o pior dele é, no mínimo, bom. Para provar veja e ouça ali abaixo vídeos de músicas que estão neste disco:

Valeu Carlão, pela indicação. Sei que você deve estar triste por esta perda, mas lembre do que ganhamos com o rei e do que vocês me deram.

Do pior disco dele:

O adeus de Eric Clapton:

Com Clapton e outros grandes guitarristas:

E lembre de alguns momentos de B.B. King por Curitiba:

Enviado por Luiz Claudio, 14/05/15 11:03:12 AM

A ótima banda Sick Sick Sinners está no ar com novo vídeo, da música “Wild Party in Hell”, que está na álbum Unfuckinstoppable, lançado em 2014. A gravação foi no 92 Graus, tradicional bar de Curitiba que sempre apoiou a música local, nacional e internacional. A captação e edição ficaram por conta da Machete Produções, com a colaboração de uma legião de amigos da banda. E tudo virou uma bela festa:

Veja o resultado:

Enviado por Luiz Claudio, 10/02/15 5:09:02 PM

A banda americana Alabama Shakes anunciou nesta terça (10/02) que lançará seu novo disco, “Sound & Color” no dia 21 de abril. Como amostra para os fãs, divulgou também um vídeo da música “Don’t Wanna Fight”, primeiro single de trabalho. Curta abaixo:

Enviado por Luiz Claudio, 06/02/15 7:01:54 PM

O músico e compositor uruguaio Jorge Drexler, vencedor do Oscar de Melhor Canção Original com “Al otro lado del rio”, do filme “Diários de Motocicleta”, confirmou uma única apresentação em Curitiba. Será no dia 29 de março, no Vanilla Music Hall (Rua Mateus Leme, 3690 – Curitiba/PR). Um presente para Curitiba, já que a data marca o aniversário da cidade, mas não tem ligação com nenhuma programação oficial de comemoração.

Recentemente o irmão de Drexler, Daniel, se apresentou em Curitiba durante o lançamento do filme “A Linha Fria do Horizonte”, do diretor curitibano Luciano Coelho.

Veja abaixo o informe enviado pelo produtor Túlio Caio Moura, que confirmou o espetáculo mesmo antes dele ser incluído na programação oficial no site de Drexler, mas já confirmado pelo músico através do Face, como pode ser visto neste print:

Jorge Drexler dizendo um "oi" para Curitiba pelo Facebook

Jorge Drexler dizendo um “oi” para Curitiba pelo Facebook

GANHADOR DO OSCAR, O URUGUAIO JORGE DREXLER ANUNCIA ÚNICA APRESENTAÇÃO EM CURITIBA –

JorgeDrexler_Div
O ganhador do Oscar de “Melhor Canção Original” pela música “Al Otro Lado Del Río”, que pertence ao filme “Diários de Motocicleta”, do brasileiro Walter Salles, o cantor uruguaio Jorge Drexler se apresenta pela primeira vez em Curitiba, no Vanilla Music Hall, no dia 29 de março. Além de Curitiba, ele se apresenta também em São Paulo, no dia 26 de março, no Teatro Bradesco e em Porto Alegre, no dia 27, no Bar Opinião. Sua última vez no Brasil foi em maio de 2013, com ingressos esgotados em 4 capitais brasileiras.

Jorge volta ao Brasil para trazer ao público as canções de seu último disco em estúdio, intitulado “Bailar En La Cueva” (2014), disco esse que teve participação de Caetano Veloso na faixa “Bolívia”. Essa será a primeira vez que o cantor irá se apresentar com a sua banda completa em território brasileiro. Além das músicas do novo CD, ele irá cantar todos os seus antigos sucessos.

Jorge Drexler, que além de médico formado e cantor, é compositor e teve suas músicas gravadas por artistas como Shakira, Mercedes Sosa, Omara Portuondo e por brasileiros como María Rita, Zélia Duncan e Paulinho Moska.

Os ingressos para a única apresentação do artista no Brasil começam a ser vendidos hoje, dia 6 de fevereiro, através do site da Ingresso Rápido e na loja VM.4 do Shopping Omar.

Serviço:

Jorge Drexler -­ Bailar En La Cueva Tour

Data: 29/03/2015

Local: Vanilla Music Hall (Rua Mateus Leme, 3690 – Curitiba/PR)

Horário: 20h30

Ingressos: www.ingressorapido.com.br e na Loja VM.4 – Shopping Omar

(TODOS COM 50% DE DESCONTO PARA MEIA-ENTRADA)

PISTA

Primeiro Lote: R$160,00 (Valor Inteira)
Segundo Lote: R$200,00 (Valor Inteira)

CAMAROTE

Primeiro Lote: R$260,00 (Valor Inteira)

Site oficial: www.jorgedrexler.com

Facebook: https://www.facebook.com/JorgeDrexlerOficial

———–

Saiba mais sobre Drexler:

O uruguaio Jorge Drexler começou a escrever músicas no ano de 1989, e logo em seguida,

no ano de 1992 lançou o seu primeiro disco, intitulado “La Luz Que Sabe Robar” e nesse

mesmo ano se formou em medicina na faculdade da República Oriental do Uruguai. Suas

composições foram gravadas por artistas como Shakira, Mercedes Sosa, Omara Portuondo e

por brasileiros como María Rita, Zélia Duncan e Paulinho Moska.

Em meados de 1989 lançou o seu segundo disco, intitulado “Radar”, esse disco encerrou a

sua etapa no Uruguai e a sua mudança para a Espanha ­ país onde vive até os dias de hoje,

foi lá onde ele gravou “Vaivén”, seu terceiro álbum em estudio, com participações de Joaquín

Sabina, Luis Eduardo Aute e Javier Álvarez…

Mas foi no ano de 2005 que Jorge Drexler ganhou mais notoriedade, ao receber o OSCAR

de “Melhor Canção Original” pela música “Del Otro Lado Del Río”, que pertence ao filme

“Diários de Motocicleta” do brasileiro Walter Salles. Essa foi a primeira música em espanhol

na história da premiação a receber o premio.

Jorge Drexler conseguiu, entre outros premios, 10 indicações aos “Latin Grammy Awards”, 3

indicações aos “Grammy Awards”, 2 indicações aos “MTV Latin Awards” e recebeu o “Premio

de La Música” na Espanha, “Premio Goya” pela melhor canção original por “Que El Soneto

Nos Tome Por Sorpresa”, além de disco de platina no Uruguai e discos de ouros na Espanha

e Argentina.

Suas músicas também foram incluidas em filmes como: “No Sos Vos, Soy Yo”, “Retrato de

Mujer con Hombre al Fondo”, “Las Razones de Mis Amigos”, “Antigua Vida Mía”, “Spoils Of

War”, “Cándida” e outros.

Depois de diversos shows com ingressos esgotados no país em 2013, Jorge Drexler volta ao

Brasil com a sua banda completa para uma única apresentação no Teatro Bradesco no dia

26 de março de 2015, as 21h00. No show ele irá cantar as faixas do seu último disco “Bailar

En La Cueva” (2014), que teve participação de Caetano Veloso na música “Bolívia”, além é

claro, dos seus grandes sucessos.

Enviado por Luiz Claudio, 06/02/15 5:24:48 PM

Protestos musicais tinham meio que sumido por uns tempos, mas agora voltam. Poderia argumentar que é o espírito do carnaval. No entanto, os ritmos não são carnavalescos. Primeiro foi uma versão de “Galopeira” para “homenagear” o governador Beto Richa (claro que com uma outra palavra, semelhante). Agora, o música Vadeco, que já cantou o “pau de selfie” como novo hit do verão (como vocês podem ver num post abaixo) faz uma homenagem ao escândalo abissal da Petrobras. Vejam aí as duas versões:

Primeiro a “homenagem” a Richa

Segundo, a “homenagem” a Petrobras

Enviado por Luiz Claudio, 30/01/15 10:25:22 PM

Na semana passada tive a oportunidade de assistir a shows e a mediar conversas com grandes músicos dentro da Oficina de Música de Curitiba. Foram quatro shows e conversas diferentes em quatro dias. Músicos de localizações, estilos e conceitos diferentes.

Primeiro foi Alegre Corrêa, com seu convidado Guinha Ramires, dois gaúchos que moram em Florianópolis e fazem música um som mais puxado para o jazz, mas com a influência marcante da música brasileira e da assim chamada worl music. Corrêa foi guitarrista da banda do jazzista Joe Zawinul e também tocou na Viena Art Orchestra. Na segunda noite foi Filó Machado e seu neto Felipe Machado, paulistas que tocam música brasileira banhada por outras influências sonoras. O avô tocou com nata da música brasileira, foi fundador dos Originais do Samba e tem músicas gravadas e/ou parcerias com Djavan, Aldir Blanc e Cacaso, entre outros. Na terceira noite, foi Tiganá Santana e Sebastian Notini, um baiano e um sueco que fazem música brasileira-africana-cancioneira deliciosa, com um violão especialmente desenvolvido por Tiganá para dar mais grave ao instrumento. Por fim, tudo terminou num baile de Felipe Cordeiro e Manoel Cordeiro, filho e pai que são tradição e novidade do Pará, com seus sons amazônicos dançantes.

Muitas histórias a cada dia que pretendo compartilhar com vocês aqui aos poucos. Por enquanto, vou mostrando um pouco do som de cada um, na ordem das apresentações em Curitiba:

Primeiro, Alegre Corrêa e Guinha Ramires, numa apresentação no Sofar em Florianópolis, tocando a música Gondwana, que está na apresentação que trouxe a Curitiba:

Aqui Filó Machado e Felipe Machado, em espaço informal que não permite truques, tocando o clássico Take Five:

Na terceira noite,a participação especialíssima desta dupla que consegue fazer um som fino, elegante e encantado, Tiganá Santana e Sebastian Notini, tocando Elizabeth Noon:

Por fim, como disse, tudo acaba em baile juntando tradição e modernidade da música amazônica com Felipe Cordeiro e Manoel Cordeiro (como não achei um vídeo legal só com os dois, vai aí o clipe de Legal e Llegal, do primeiro disco, “Kitsch pop cult”):

Enviado por Luiz Claudio, 20/01/15 8:10:10 AM

O músico e produtor Vadeco entrou na onda do pau de selfie, a moda desse verão. Vadeco, que se iniciou nas artes musicais com a saudosa banda Vadeco e os Astronautas e hoje está em voo solo e produzindo para outros mais do que para si mesmo, misturou eletrônica com funk e bom humor para retratar o hit do verão.

Então, pega o pau de selfie do Vadeco:

Páginas12345... 115»
Este é um espaço público de debate de idéias. A Gazeta do Povo não se responsabiliza pelos artigos e comentários aqui colocados pelos autores e usuários do blog. O conteúdo das mensagens é de única e exclusiva responsabilidade de seus respectivos autores.
Buscar no blog
Assine a Gazeta do Povo
  • A Cobertura Mais Completa
    Gazeta do Povo

    A Cobertura Mais Completa

    Assine o plano completo da Gazeta do Povo e receba as edições impressas todos os dias da semana + acesso ilimitado no celular, computador e tablet. Tenha a cobertura mais completa do Paraná com a opinião e credibilidade dos melhores colunistas!

    Tudo isso por apenas

    12x de
    R$49,90

    Assine agora!
  • Experimente o Digital de Graça
    Gazeta do Povo

    Experimente o Digital de Graça!

    Assine agora o plano digital e tenha acesso ilimitado da Gazeta do Povo no aplicativo tablet, celular e computador. E mais: o primeiro mês é gratuito sem qualquer compromisso de continuidade!

    Após o período teste,
    você paga apenas

    R$29,90
    por mês!

    Quero Experimentar