*

Enkontra.com
Blog Verdura sem frescura

Buffet vegano em Curitiba se especializa em preparos sem glúten

Veg & Tal tem opções de buffet livre ou por quilo. Foto: Apneia Filmes/Divulgação
Veg & Tal tem opções de buffet livre ou por quilo. Foto: Apneia Filmes/Divulgação

A fachada alaranjada e o quadro-negro fazem a apresentação do Veg & Tal, buffet vegano de almoço que abriu no bairro São Francisco. O salão comporta pouco mais de dez pessoas (se o tempo está firme, tem mesinhas na calçada), mas prova que tamanho não é documento.

Com a proposta de ser um bistrô — pequeno e com poucas e boas opções –, o Veg & Tal tem conquistado o paladar dos onívoros. “Cerca de 80% dos meus clientes comem carne, mas eles saem daqui falando bem da comida vegana”, diz Bruna Pereira, proprietária e chef do restaurante.

Fachada do restaurante Veg & Tal, aberto em junho no bairro São Francisco. Foto: Reprodução/Facebook

Fachada do restaurante Veg & Tal, aberto em junho no bairro São Francisco. Foto: Reprodução/Facebook

Além de vegano, o cardápio é quase todo sem glúten. “Queria que atendesse bem ao público vegano que não consome trigo. Mas mantenho trigo para quibe para preparar tabule”, conta a chef. Mesmo que não seja um ambiente 100% sem glúten, todos os preparos da chef Bruna Pereira são feitos com um mix de farinhas alternativas ao trigo. Isso inclui nhoque, a massa fresca, os bolos e massas de tortas, entre outros. A cozinha não é totalmente livre de glúten porque também é usada para fazer hambúrgueres veganos (que levam farinha de rosca), que Bruna vende para lanchonetes.

>>> Conheça a confeitaria vegana de Curitiba que é totalmente livre de glúten

São dez pratos por dia servidos no sistema de buffet (R$ 39,90 o quilo de terça a sexta e R$ 42,90 o quilo aos sábados e domingos), sendo de três a quatro frios e seis quentes, mais as duas opções de sobremesa do dia e o suco e chá gelado (R$ 4). “Quero usar ingredientes mais sofisticados e comida que seja pensada a partir dos vegetais da estação”, explica a chef.

São servidos seis pratos quentes e quatro frios por dia. Foto: Reprodução/Facebook

São servidos seis pratos quentes e de três a quatro pratos frios por dia. Foto: Reprodução/Facebook

Em setembro, algumas opções eram massa sem glúten ao molho de abacate na terça; guisado de lentilha, batata ao murro com cebola caramelizada e salada de repolho ao shoyu e gengibre no sábado. A chef preza pelos preparos caseiros: leite vegetal e molho de tomate, entre outros preparos, são feitos do zero na cozinha do restaurante.

Por serem poucas opções, Bruna pensa a partir de pratos para depois decidir quais dos ingredientes da estação ela vai usar. “Eu penso em algo mais seco, um molho ou guisado, algo mais crocante. Depois tento não repetir o mesmo ingrediente em mais de um prato no dia”, explica.

As sobremesas são todas sem glúten no Veg & Tal. Foto: Reprodução/Facebook

As sobremesas são todas sem glúten no Veg & Tal. Foto: Reprodução/Facebook

 

Reforma

Entre pegar o ponto e abrir as portas foram dois meses intensos de trabalho em família. Bruna vendeu seu carro para investir na pequena loja. Cozinha o imóvel já tinha. Precisava era de um tapa no visual. O pai a ajudou a pintar e reformar o salão e em junho a casa começava a operar.

O restaurante Veg & Tal atende de 20 a 30 pessoas por dia, sendo a maioria onívoros que saem elogiando a comida. Foto: Reprodução/Facebook

O restaurante Veg & Tal atende de 20 a 30 pessoas por dia, sendo a maioria onívoros que saem elogiando a comida. Foto: Reprodução/Facebook

“Considerei usar o dinheiro do carro para viajar, mas encontrei o ponto”, conta Bruna, que é vegetariana há dois anos e, depois de uma experiência em restaurante funcional e em eventos, viu que dava conta do recado. O Veg & Tal atende de 20 a 30 clientes por dia e abre de terça a domingo com a opção por quilo ou buffet livre (R$ 18 de terça a sexta e R$ 26 aos sábados e domingos) no almoço.

***