Preparo

5 dicas para economizar no churrasco

por

Faça chuva, frio, calor ou sol, o churrasco é uma boa pedida para reunir família e amigos. Veja sugestões para você gastar menos

Compartilhe
Foto: Alexandre Mazzo / Gazeta do Povo.

Foto: Alexandre Mazzo / Gazeta do Povo.

Muita carne, aperitivos, carvão e alguma bebida gelada — em especial se o dia estiver quente. Todos esses itens são básicos em qualquer churrasco, mas, mesmo quando a confraternização se limita ao que é estritamente necessário, pode acabar pesando no bolso de quem organiza. Para não exagerar nas quantidades de comida ou cometer erros que podem levar ao desperdício, às vezes basta estar atento a alguns detalhes, que vão da escolha do corte certo de carne à maneira de acender fogo.

Pensando nisso, o Bom Gourmet conversou com especialistas em churrascos que deram algumas dicas para economizar em uma das confraternizações mais tradicionais na agenda dos brasileiros.

1) Calcule bem as quantidades
Calcular a quantidade de cada item necessário por pessoa é a primeira dica do Edson Barros de Souza, proprietário do KF Grill, churrascaria e casa de carnes. “Normalmente é consumida uma média de 500g de carne por pessoa, num churrasco que tem de duas a quatro horas de duração. Mas, caso seja servido um almoço primeiro, calculamos cerca de 300g por convidado”, explica o especialista.

Alguns aplicativos podem ajudar na hora de fazer o cálculo de quantidades de carne, bebidas e aperitivos para o churrasco. O app “Churrascômetro”, por exemplo, está disponível para download para Android e iOS. Nele, é possível escolher a quantidade de homens, mulheres e crianças presentes na confraternização e ter uma noção do que será necessário.

O app “Meu Churras Grátis”, também oferece o mesmo serviço, para Android, com com o adicional da escolha por quantidade de convidados vegetarianos. Com ele também é possível selecionar se os convidados comem e bebem pouco ou muito.

 

***

2) Invista nos aperitivos certos

Fotos: Divulgação/ Montecatini Trattoria

Foto: Divulgação/ Montecatini Trattoria

Começar o churrasco servindo aperitivos de qualidade pode ser uma ótima opção para economizar nas carnes, que costumam ser o item mais caro da festa. “Muitos anfitriões têm medo de oferecer muitas entradas e passar a impressão de que há pouca carne para oferecer, mas muito pelo contrário: ter várias possibilidades para comer antes do principal enriquece a mesa”, explica Célio Castro, proprietário da empresa de churrasco em domicílio Cia do Churrasco.

Para criar o cardápio de entradas, Souza indica assar uma costela convencional cortada em fatias bem fininhas ou experimentar um corte chamado de “bananinha da costela”. “A bananinha é uma carne muito saborosa, e, por ser mais rígida, é ideal para ser cortada em pequenos pedaços e servida como aperitivo”, orienta.

Outra dica é experimentar fazer em casa o pão de alho — clássico do churrasco que geralmente é comprado industrializado. Aprenda a fazer torradas de alho.

***

3) Seja criativo ao escolher a carne

Churrasco carne bom gourmet

Foto: Alexandre Mazzo / Gazeta do Povo.

As carnes comumente conhecidas como as melhores para um churrasco — picanha, por exemplo — podem não ser a única opção para agradar os convidados. “Existem carnes que são até melhores, mas as pessoas acabam não escolhendo por estarem acostumadas a comprar só o clássico, como a picanha”, diz Edson Souza.

Um exemplo sugerido por Souza é o filé de costela, que sai por cerca de metade do preço da picanha. “Esse é um corte bem saboroso e macio, que dá um aproveitamento legal para o churrasco. Ele tem a mesma característica da picanha, aquela gordurinha aparentemente inigualável que deixa fácil de mastigar”.

Já Castro indica o contrá-file sem osso, também conhecido como filé argentino. “Sai mais ou menos metade do preço da picanha, e é muito saborosa e macia. Já tem muitas, inclusive, preferindo filé argentino a picanha”.

***

4) Não mexa no carvão
Um dos itens mais caros do churrasco, o carvão pode ser economizado com alguns procedimentos específicos. De acordo com Souza, o mais importante para não gastar além do necessário é não ficar mexendo no carvão enquanto ele está aceso. Isso faz com que o calor se dissipe, além de permitir a entrada de mais oxigênio, queimando o carvão mais rapidamente. “O certo é mexer apenas quando cinzas começarem a se formar na superfície”, explicam os especialistas.

Também não é recomendado jogar água para apagá-lo. Para chegar no ponto ideal para assar a carne, Souza recomenda que o fogo seja aceso de 15 a 20 minutos antes de colocá-la, esperando passar a labareda mais intensa. “Quando estiver só a brasa, aí sim é o momento de colocar a peça”.

***

5) Use acendedores
O melhor é não gastar com produtos como álcool gel ou mesmo álcool comum para acender o fogo. O proprietário da Cia do Churrasco recomenda o uso de acendedores específicos para churrasqueira — como o elétrico, por exemplo. Segundo Castro, apesar de o aparelho sair mais caro na primeira compra, ele tem duração de longo prazo, pesando menos no bolso nos próximos churrascos.
Outra opção também é o acendedor à base de álcool, que sai por menos de R$10, aproximadamente. “Se tiverem de ser comprados sempre, álcool e outros combustíveis usados para acender o fogo podem sair bem caros, além de serem muito perigosos”.

***

LEIA TAMBÉM

Torradas de alho

Linguiça toscana acebolada

Veja dicas, truques e receitas para fazer um churrasco perfeito

Compartilhe
Publicidade

Assine a Gazeta do Povo e receba mensalmente o Bom Gourmet.

Assine