Publicidade
Especial Patrocinado

Como escolher um bom azeite de oliva

por

Prestar atenção nas informações do rótulo é uma das orientações para acertar na escolha

Compartilhe

Atualmente o azeite de oliva é produzido em diversas regiões do mundo, das quais podemos citar os tradicionais países mediterrâneos, principalmente, Espanha (maior produtor mundial), Itália, Portugal, Turquia, Grécia, entre outros. No Brasil, destaca-se duas principais regiões produtoras, a região da Serra da Mantiqueira e o Rio Grande do Sul. Segundo Gabriel Deschamps Fernandes, doutor no laboratório de gorduras e óleos da Universidade de Campinas (UNICAMP), a qualidade do azeite é influenciada pelo manejo adequado dos processos envolvidos na produção, como a qualidade da matéria-prima, tempo e temperatura de processo. De modo que, quanto melhor a qualidade das azeitonas, menor o tempo entre a colheita e a extração, e a manutenção das temperaturas de extração por volta dos 28ºC, melhor será a qualidade do azeite.

Tipos de Azeite

Podemos encontrar três tipos de azeite de oliva para consumo:  o azeite extravirgem, o azeite virgem e o azeite de oliva tipo único. Os azeites de oliva virgem e extravirgem são obtidos da extração de azeitonas sadias, exclusivamente por processos físicos em condições de temperatura controlada. O azeite de oliva extravirgem, de maior qualidade, possui acidez igual ou menor a 0,8%, e o azeite de oliva virgem, de qualidade intermediária, traz índices de acidez que variam de 0,9 a 2%. O terceiro tipo de azeite é o azeite de oliva ou azeite de oliva tipo único, obtido da mistura do óleo refinado com  azeite de oliva virgem ou extravirgem. Muitas vezes esse tipo de azeite nem traz a informação de acidez em seu rótulo.

O azeite não deve ser escolhido somente pela acidez. Veja outras características que devem ser observadas na hora da escolha:

Utilização

Além das informações presentes no rótulo, é importante se perguntar qual é a finalidade do uso do azeite. Segundo Flávio Bin, gerente da importadora Porto a Porto,  para uma harmonização perfeita, é preciso atentar-se para a intensidade do azeite e para o prato em que ele será usado. Em uma entrada, como uma salada, pode-se utilizar um azeite mais aromático. Em um peixe mais delicado, o ideal é usar um azeite que não seja tão intenso, para não se sobrepor ao prato. Já com o bacalhau, por exemplo, que é um peixe com sabor mais forte, o azeite pode ser mais intenso.

azeite de oliva é  um produto bastante complexo, e por isso é tão especial e valorizado. Levando em consideração os tópicos apresentados no vídeo, certamente a escolha de um bom azeite será mais fácil.

 

Leia também:

Veja como escolher um bom azeite para o bacalhau

 

Receitas com azeite de oliva:

Pão de azeite de oliva

Azeites aromáticos

Burrata com tomatrinhos temperados, azeite de majericão e tapenade rústico de azeitonas pretas

 

 

  • Patrocinado por: Paganini
  • Produzido por: Gazeta do Povo Branded Content
Compartilhe
Publicidade

Assine a Gazeta do Povo e receba mensalmente o Bom Gourmet.