Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

Enkontra.com
PUBLICIDADE

repercussão

Garotos propaganda também precisam se posicionar após escândalo da Carne Fraca

Operação da Polícia Federal fez com que opinião pública pressionasse celebridades que emprestam sua imagem a produtos

Tony Ramos, protagonista da marca Friboi há três anos. |
Tony Ramos, protagonista da marca Friboi há três anos.
 
0 0 COMENTE! [0]
TOPO

O escândalo que sucedeu o anúncio da Operação Carne Fraca, que investiga 40 empresas do ramo alimentício envolvidas em um esquema de corrupção que coloca no mercado produtos impróprios para o consumo, atingiu a parte mais visível dessas marcas: seus garotos-propaganda.

Tony Ramos, garoto propaganda da Friboi, Fátima Bernardes, da Seara, ambas empresas ligadas à JBS, e o casal Luciano Huck e Angélica, da Perdigão, que pertence à BRF Brasil, têm estrelado também os memes e paródias distribuídas pelas redes sociais. Com a crescente desconfiança com relação a essas e outras empresas que comercializariam carne podre ou misturada a produtos químicos, essas celebridades também têm sido questionadas. Mas será que o esquema estragaria também sua imagem?

Segundo Marcos José Zablonsky, professor da Escola de Comunicação da PUCPR, a tendência é que, quanto antes o caso ficar esclarecido, menos danos causará às marcas, o que inclui as celebridades, elas mesmas um produto rentável que emprestam sua imagem e credibilidade. O que será necessário, a partir do momento em que as investigações avançarem, é um rápido posicionamento. “A propaganda, nesses casos, está ligada a um testemunhal dessas celebridades, que não saem arranhadas se procurarem esclarecer o caso”.

E é assim que Tony Ramos, imagem da Friboi há três anos, tem se comportado. O ator, que chegou a visitar a fábrica da marca e enaltecer o controle de qualidade em um dos comerciais que protagonizou, foi cuidadoso em sua primeira entrevista sobre o caso. Ao site “Ego” na sexta-feira (17), dia em que a operação da Polícia Federal foi deflagrada, disse estar surpreso e afirmou ter carnes da marca em casa, que usava em “churrascos”. “Sou apenas contratado pela empresa de publicidade, não tenho nenhum contato com a JBS”, frisou também.

Nesta segunda-feira (20), em entrevista à rádio Jovem Pan, ele já admitiu a possibilidade de romper o contrato. “Vamos aguardar a manifestação do Ministério Público. Tudo comprovado, está tudo certo, foi pontual? Poderei vir a público, sim, esclarecer. Se alguma coisa desabone essa relação, eu tenho direito de interromper o contrato. Eu preciso contratualmente dar esse tempo. Vou dar um tempo legal”, afirmou ele.

No Brasil, lembra Jablonsky, isso seria novidade, já que é raro que uma celebridade desista de uma marca. “Em geral, é o contrário. Quando um garoto propaganda traz problemas, é a marca que rompe o contrato”. Foi assim com Ronaldo Fenômeno, que teve contrato com a TIM rompido após várias polêmicas. “Mas, por exemplo, quando a Nike foi ligada à exploração do trabalho infantil, alguns atletas abriram mão do patrocínio”, compara.

Histórico

A Friboi também patrocina projetos junto a culinaristas e outros influenciadores. A apresentadora Ana Maria Braga e chefs como Olivier Anquier e Felipe Bronze são parte do projeto Academia da Carne, que mantém um site com receitas e dicas para lidar com o alimento.

Fátima Bernardes, que não podia atrelar a imagem a produtos na época em que dividia a bancada do Jornal Nacional com William Bonner - regra para os profissionais da Central Globo de Jornalismo -, também é o principal rosto da Seara na atualidade e também tem sido cobrada.

O casal Luciano Huck e Angélica é alvo de crítica desde que encarnou o modelo de família vendido pela Perdigão. A apresentadora dizia não comer carne vermelha, mas, além de endossar a marca, foi filmada comendo um cachorro quente em uma das peças publicitárias.

Roberto Carlos também foi garoto propaganda da Friboi em 2014. Mas a empreitada deu errado mais ou menos pelas mesmas razões que Angélica não convenceu muito como admiradora de hot dogs. O Rei, que também sempre se disse vegetariano, teria voltado à dieta carnívora. Na propaganda que protagonizou, elogiou a carne, mas não a comeu. Pegou mal e a rescisão do contrato da parceria publicitária foi controversa. Passados três anos, o episódio adquire traços irônicos.

o que você achou?

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Caderno G

PUBLICIDADE