Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

Enkontra.com
PUBLICIDADE

Acordes Locais

UV Mobile – Último Volume

  • Luiz Cláudio Oliveira, luizs@gazetadopovo.com.br
Coletânea reúne canções de 17 bandas gravadas em locais diversos |
Coletânea reúne canções de 17 bandas gravadas em locais diversos
 
0 0 COMENTE! [0]
TOPO

O Neri Rosa é um artista plástico, publicitário e amante de música, além de ser um cara generoso. Nos anos 80, produzia, em xerox, fanzines artístico-musicais e distribuía-os, por vezes junto com fitas cassete para os amigos com as gravações de bandas das quais ele gostava. Alguns desses grupos só ele sabia que existiam. E era certo que dali não saía coisa ruim.

Os anos se passaram e Neri foi dominando outras mídias, mas nunca deixou de ser generoso e compartilhar aquilo de que gosta. Em 1997, junto com Marco Stecz, outro amante e pesquisador de música, começou a produzir o programa de rádio Último Volume. A generosidade se expandiu pelas ondas das FMs de Curitiba.

O programa existe até hoje e, desde 2004, é transmitido pela Lumen FM 99.5 todos os domingos, às 23 horas. Entre agosto de 2011 e julho deste ano, os dois e mais o técnico Luiz Horta registraram ao vivo algumas bandas locais e o resultado acaba de ser posto à disposição de todos os que amam música. São 17 bandas, com apenas duas de fora de Curitiba – uma de Joinville (Bela Infanta) e outra de San Francisco, Estados Unidos (The Blank Tapes).

O álbum, chamado UV Mobile – Último Volume pode ser baixado gratuitamente no blog de Neri, o Mofonovo (mofonovo.blogspot.com), onde tem muito mais coisas para serem lidas, vistas, ouvidas e baixadas.

“Este CD é o resultado de um ano em tour pelos estúdios, garagens, apartamentos e até livraria gravando bandas que a gente acredita que são boas ou poderão ser melhores do que são! O CD foi patrocinado por uma empresa de mídia, já que em Curitiba ninguém acredita nas ideias locais. Mas nós acreditamos”, afirmou Neri.

No disco, como em toda coletânea, temos muitas variações. Começa com a tranquilidade ruidosa do Automatic People e já cai no shoegaze da Yokofive. Na terceira, o ruído aparece mais dançante com a Quick White Fox, mas logo adentra no universo do rock inclassificável do Audac.

Na quinta faixa, vem Sonora Coisa, com “Jumper Boy”, um shoegaze que não olha tanto para os sapatos e vai mais nas guitarras. Mas guitarra mesmo entra com a pesada e lenta This Lonely Crowd, que toca “Laura’s Coming”.

Uma das duas não curitibanas, a Bela Infanta, vem na sequência com “Planície”. O soturno volta com I Kill Kane, com uma batida repetitiva e envolvente que prepara o caminho para a entrada triunfal do ruído/mm, numa gravação que se destaca por ter melhor qualidade de som, com a música “Pop”. Mas pop mesmo muito agradável é o da banda americana The Blank Tapes e sua assobiável “Listen to the One”, em versão acústica, gravada na Livraria Livros Lidos, do Emil, vocalista da banda Subburbia.

O disco continua em alto grau de qualidade com a entrada de Rosie and Me e a ótima “Southern Home”, também num clima quase acústico. Na 12.ª faixa, uma mudança de tudo o que veio antes com a entrada do som pulsante, quase um “tuch-tuch” psicodélico, de Mistinguett Live, com “Tonight I’m High”. E as mudanças de clima continuam para a entrada da ótima “A Cidade”, de Cabes MC, que inclui o rap na coletânea em alto estilo – uma grande música para Curitiba.

Então vem Mordida com “Free Conection”, pedindo “internet free free free”. A 15.ª é a banda Te Extraño, com a música “Através da Dor”, pop rock mais melódico. Então, na penúltima, vem a divertida Uh La La! com seus “Brinquedinhos Encardidos”. Fecha o disco a banda Repossíveis, com a qualidade de gravação prejudicando um pouco a música “Centro Cívico”.

Pulsa Nova Música

O site Pulsa Nova Música (www.pulsanovamusica.com.br) colocou no ar no 7 de Setembro, o Dia da Independência, o projeto “Brasileiros”, em que convidou vários novos artistas para reinterpretar canções clássicas brasileiras. Tem duas bandas do Paraná no álbum. A Sabonetes gravou “Detalhes”, de Roberto Carlos, e a Nevilton não renegou sua origem do interior e foi de “Amanheceu Peguei a Viola”, de Renato Teixeira. O Arthur Mattos, que já tocou com o Rosie And Me gravou “Disparada”, de Geraldo Vandré e Théo de Barros.

Versões bem bacanas como, aliás, ficou todo o projeto, que tem 15 músicas ao todo. Completam o álbum Bazar Pamplona (“O Que É Que a Baiana Tem”, de Dorival Caymmi), Hierofante Púrpura (“Cuitelinho”, de Pena Branca e Xavantinho), Suéteres (“Baby”, de Caetano Veloso), Pélico (“Sim”, de Cartola), Letuce (“Esotérico”, de Gilberto Gil), Hidrocor (“Alegria Alegria”, de Caetano Veloso), Mahmundi (“Corre Corre”, de Rita Lee), Nana (“Garota de Ipanema”, de Tom Jobim e Vinicius de Moraes), Oito Mãos (“Trem das Onze”, de Adoniram Barbosa), Seychelles (“Dia 36”, dos Mutantes), Felipe Pompeo (“San Vicente”, de Milton Nascimento e Fernando Brant) e Felippe Pompeo e Guilherme Morais (“Travessia”, de Milton Nascimento).

o que você achou?

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Caderno G

PUBLICIDADE