Assinaturas Classificados
Assinaturas

Publicidade

Celso Nascimento

A nau dos incoerentes

Publicado em 01/07/2012 |
  • Comentrios

O deputado Rubens Bueno (PPS), escolhido para ser o vice na chapa de Luciano Ducci, foi escalado para cumprir a misso que os marqueteiros da campanha de reeleio do prefeito consideram chave para levar ao naufrgio a candidatura de Gustavo Fruet, seu principal adversrio. A ideia explorar exausto o mote da coerncia, qualidade que, segundo eles, Fruet perdeu ao se aliar ao PT, partido que combateu quando deputado federal do PSDB.

De fato, o argumento muito bom e seria melhor ainda se pudesse ser aplicado exclusivamente a Fruet. Entretanto, aplicvel a praticamente todos os polticos brasileiros da atualidade. O que inclui o autor da seguinte frase: Me sinto realizado por essa unio e pela coerncia que sempre marcou a nossa caminhada na vida pblica. Jamais vamos violentar a nossa conscincia para vencer uma eleio a qualquer custo. A nossa alma no est venda e no compramos a alma de ningum para vencer uma eleio.

A frase do governador Beto Richa e foi pronunciada durante ato realizado na ltima quinta-feira quando do anncio oficial de Rubens Bueno como vice de Ducci num salo do hotel Bourbon em que se destacava a faixa com a palavra coerncia em letras garrafais.

Trata-se de uma afirmao que a psicologia social poderia enquadrar no conceito de dissonncia cognitiva. Em traduo livre, essa teoria descrita como a capacidade do ser humano de contrariar a lgica, negar evidncias, criar falsas memrias, distorcer percepes, ignorar fatos e at mesmo desencadear uma perda de contato com a realidade. A contradio entre o que se fala e o que se faz tambm sintoma do mal da dissonncia cognitiva.

Agora, combine tal conceito com os inmeros sinnimos da palavra coerncia, tais como harmonia, nexo, concordncia, afinidade... Entre os sinnimos de coerncia no cabe a palavra contradio.

Fica?

Examinado o pronturio poltico do governador, constata-se que sua coerncia partidria variou conforme as circunstncias: foi suplente de vereador de Curitiba pelo PSDB em 1992; deputado estadual duas vezes, a primeira pelo PSDB (1994) e a segunda pelo PTB (1998); depois, filiado ao PFL, foi vice de Cassio Taniguchi em 2000. Rompeu com Cassio em meio a acusaes de improbidade, voltou para o PSDB e foi eleito duas vezes prefeito (2004 e 2008). Antes da segunda eleio, assinou em cartrio o compromisso de ficar na prefeitura pelos quatro anos seguintes. Incoerentemente, 14 meses depois abandonou o cargo para concorrer ao governo em 2010.

Ganhou a eleio de governador fazendo oposio ao antecessor Roberto Requio, do PMDB, fato que no o impediu de firmar acordos com uma ala do mesmo PMDB garantido-lhe uma vaga no secretariado. No caso, para o deputado Luiz Cludio Romanelli, at ento lder de Requio na Assembleia. O acordo com o DEM (o seu ex-PFL) tambm teve um preo: a nomeao do antigo desafeto Cassio Taniguchi, recm-sado da equipe do cassado governador do Distrito Federal, o demo Jos Roberto Arruda.

As contradies de Richa no servem, lgico, para tornar justificvel a incoerncia de Gustavo Fruet, o alvo da campanha da coerncia da qual foi encarregado Rubens Bueno. No justificam, mas explicam um bocado: Fruet era do PSDB, partido de Richa e candidato natural da sigla prefeitura em 2012, mas o governador fez o necessrio para afast-lo da legenda com o objetivo de apoiar Luciano Ducci, do PSB, partido aliado do PT no plano federal. Outra incoerncia.

Os exemplos dessa espcie na poltica nacional j no surpreendem tanto salvo pela fotografia do abrao de Lula com Maluf, que escandalizou o Brasil dia desses. Lula buscou o apoio do PP malufista para o candidato petista prefeitura de So Paulo, Fernando Haddad. No Paran, Richa sepultou a candidatura tucana em Londrina para apoiar o candidato Marcelo Belinati, do PP malufista.

Enfim, neste pas de partidos sem programas ou ideologias, em que o proveito poltico e pessoal est acima de qualquer outro princpio, acaba prevalecendo o vale-tudo. E, ento, o discurso da incoerncia como remdio barato genrico.

Memria

Em outubro de 2011, o deputado Rubens Bueno condenava a incoerncia de Beto Richa o que, sem dvida, lhe d autoridade para desenvolver o tema na campanha. Dizia ele: Passamos o tempo criticando o governo do PMDB, ganhamos a eleio em cima dessas crticas e depois sem mais e nem menos trouxeram eles para dentro do governo. Essa uma forma de fazer poltica que no aceitamos, no tem ideologia nenhuma e no contribui em nada. A presena do PMDB no governo nivela a discusso por baixo.

Em maro de 2011, quando Fruet j cogitava sair do PSDB, Bueno queria atra-lo para o PPS dando-lhe a legenda para ser candidato a prefeito. Se ele vier ter todas as garantias que precisa. Ns no oferecemos meio apoio a ningum. E ningum vai fazer molecagem para no deix-lo ser candidato, disse Rubens Bueno.

      • NOTÍCIAS MAIS COMENTADAS
      • QUEM MAIS COMENTOU
      Publicidade
      Publicidade

      Onde e quando quiser

      Tenha a Gazeta do Povo a sua disposio com o Plano Completo de assinatura.

      Nele, voc recebe o jornal em casa, tem acesso a todo contedo do site no computador, no smartphone e faz o download das edies da Gazeta no tablet. Tudo por apenas R$ 49,90 por ms no plano anual.

      SAIBA MAIS

      Passaporte para o digital

      S o assinante Gazeta do Povo Digital tem acesso exclusivo ao contedo do site, sem nenhum custo adicional ou limite.

      Navegue com seu celular ou baixe todas as edies no tablet - um novo jeito de ler jornal onde voc estiver.

      CLIQUE E FAA PARTE DESSE NOVO MUNDO

      publicidade