PUBLICIDADE
Grevistas colam cartazes no centro administrativo do HSBC Palácio Avenida |
Grevistas colam cartazes no centro administrativo do HSBC Palácio Avenida
Greves

64% dos bancários estão em greve em Curitiba, segundo o sindicato

Greve dos bancários começou com 114 agências (24,35%) e 13 centros administrativos fechados em Curitiba e região metropolitana nesta terça-feira, de acordo com o Sindicato dos Bancários de Curitiba e Região Metropolitana

64% dos bancários estão em greve em Curitiba, segundo o sindicato Ampliar

A greve dos bancários começou nesta terça-feira (27) e teve a adesão de 11,6 mil funcionários em Curitiba e região metropolitana, totalizando 64% dos 18 mil empregados da região. O número foi apresentado pelo Sindicato dos Bancários de Curitiba e Região Metropolitana na tarde desta terça-feira.

Em Curitiba e região, 114 agências (24,41%), de 467, e 13 centros administrativos fecharam nesta terça-feira, de acordo com o sindicato. As unidades que não estavam funcionando localizam-se na capital (110) e em São José dos Pinhais (4). Um novo balanço deverá ser divulgado na quarta-feira (28).

Segundo o sindicato, todas as agências do Centro da capital estavam fechadas nesta terça-feira. Os bairros que tinham mais agências afetadas pela paralisação eram Centro Cívico, Portão, Mercês, Pinheirinho e Bacacheri.

Havia 32 agências fechadas do Banco do Brasil e da Caixa Econômica Federal em Curitiba e RMC. Das 82 unidades dos bancos privados que não estavam funcionando, 34 eram do Banco Itaú.

O sindicato informou ainda que funcionários do HSBC foram transportados de helicóptero do Parque Barigui para o Centro Administrativo Xaxim. A assessoria de imprensa da entidade representativa dos trabalhadores afirmou que a prática fere o direto de greve dos bancários. A reportagem entrou em contato com a assessoria de imprensa do HSBC, mas não obteve retorno até o fim da tarde desta terça-feira.

A Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) divulgou nota oficial sobre a greve na terça-feira e considerou o movimento “fora de propósito”. Para a Fenaban, a proposta apresentada aos bancários “contempla pelo oitavo ano consecutivo correção de salário com aumento real e reforça o caráter abrangente da Convenção Coletiva do Trabalho da categoria dos bancários, além de ser a única categoria com PLR garantida por Convenção Coletiva”.

A nota dizia ainda que a Federação Brasileira de Bancos (Febraban) orientou os bancos para que buscassem os meios legais para poderem atender a população. Pagamento de contas

A coordenadora institucional da Associação Brasileira de Defesa do Consumidor ProTeste, Maria Inês Dolci, afirmou que o consumidor precisa se organizar com antecedência para fazer os pagamentos. “Se a pessoa tiver os boletos fica mais fácil. Caso contrário, ela terá de entrar em contato com o fornecedor”, afirmou Maria Inês.

Como os funcionários dos Correios também estão em greve, pode haver atraso na entrega dos boletos bancários. Em muitos casos o cliente consegue imprimir a segunda via do documento acessando a página do fornecedor na internet. Outra opção é o SAC (Serviço de Atendimento ao Consumidor) da empresa para solicitar a remessa do boleto por e-mail ou fax, ou ainda pedir o código de barras do documento, ou local para efetuar o pagamento. A emissão do boleto não pode ser cobrada.

A advogada do Procon-PR, Marta Paim, destacou que o fornecedor tem a obrigação de disponibilizar um meio alternativo para o pagamento das contas. Se isso não for feito, deve negociar o adiamento do vencimento do boleto.

Maria Inês, da Pro Teste, orientou ainda que as pessoas devem guardar todos os comprovantes de pagamento e também os números e registros de que entrou em contato com o fornecedor. “O consumidor precisa ter provas de que fez o contato com a empresa e que negociou como seria feito o pagamento”, afirmou. Segundo ela, o consumidor deve preferir entrar em contato com o fornecedor por e-mail ou fax, para que tenha algo escrito para a comprovação.

De acordo com o Sindicato dos Bancários de Curitiba e Região Metropolitana normalmente as primeiras agências a fechar são as do Centro de Curitiba. Os clientes podem conseguir atendimento nas agências dos bairros nesta terça-feira. “O serviço bancário é considerado essencial e algumas agências devem funcionar. Pode ser que não estejam localizadas nas proximidades da casa do consumidor”, afirmou a advogada do Procon.O sindicato afirmou que será permitida a entrada dos clientes na área de autoatendimento. Nesse caso, também é possível pagar as contas nos caixas eletrônicos.

Se os boletos estiverem em dia, a internet e as casas lotéricas também podem ser utilizadas. As lotéricas fazem a cobrança de boletos até o valor de R$ 700.

Se a pessoa não tiver o boleto, deve entrar em contato com o fornecedor para obter o número do código de barras e o valor correto da fatura. Com essas informações poderá fazer o pagamento pela internet.

Outra opção é procurar os correspondentes bancários, como farmácias, supermercados. Não são todos os tipos de boletos que podem ser pagos nesses correspondentes. A orientação ao consumidor é para que se informe quais boletos são aceitos nesses locais. “Cada correspondente bancário tem convênio para receber determinadas contas, por isso é preciso verificar com antecedência o que será possível pagar”, explicou a coordenadora institucional da Pro Teste.

Em alguns casos, o consumidor poderá ainda pagar as contas diretamente na empresa ou escritório no fornecedor.

Interatividade:Passou por transtornos por causa greve dos bancários e dos funcionários dos Correios? Comente abaixo.

PUBLICIDADE
    • SELECIONADO PELO EDITOR
    • NOTÍCIAS MAIS COMENTADAS
    • QUEM MAIS COMENTOU
    Assine a Gazeta do Povo
    • A Cobertura Mais Completa
      Gazeta do Povo

      A Cobertura Mais Completa

      Assine o plano completo da Gazeta do Povo e receba as edições impressas todos os dias da semana + acesso ilimitado no celular, computador e tablet. Tenha a cobertura mais completa do Paraná com a opinião e credibilidade dos melhores colunistas!

      Tudo isso por apenas

      12x de
      R$49,90

      Assine agora!
    • Experimente o Digital de Graça
      Gazeta do Povo

      Experimente o Digital de Graça!

      Assine agora o plano digital e tenha acesso ilimitado da Gazeta do Povo no aplicativo tablet, celular e computador. E mais: o primeiro mês é gratuito sem qualquer compromisso de continuidade!

      Após o período teste,
      você paga apenas

      R$29,90
      por mês!

      Quero Experimentar
    VOLTAR AO TOPO