Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

story
Enkontra.com
PUBLICIDADE

desconto

Casas Bahia e Pontofrio vão aceitar celular e tablets usados na compra de novos

Novidade deve estar disponível para os consumidores em todas as mais de 970 lojas do grupo até o fim de março

Cliente poderá trocar seu celular ou tablet velho por um novo nas lojas da Casas Bahia e Pontofrio | Antônio More /Gazeta do Povo
Cliente poderá trocar seu celular ou tablet velho por um novo nas lojas da Casas Bahia e Pontofrio Antônio More /Gazeta do Povo
 
0 0 COMENTE! [0]
TOPO

As lojas físicas da Casas Bahia e do Pontofrio vão aceitar celular e tablets usados na compra de aparelhos novos. Os produtos antigos vão passar por uma avaliação e vão gerar descontos para o cliente comprar um smartphone ou tablet novo. O site da Casas Bahia também vai oferecer a opção de recompra. A novidade deve estar disponível para os consumidores até o fim de março em todas as 970 unidades do grupo no país.

Para que a troca e o desconto aconteçam, os clientes devem ficar atentos às regras do programa. Smartphones e tablets associados à perda e roubo, que não liguem/ativem ou que possuam mecanismo de localização e bloqueio de senha ativos não serão aprovados. Além disso, a negociação é válida apenas para aparelhos adquiridos no Brasil. Com exceção desses pontos, a rede avaliará todos os equipamentos trazidos, inclusive com telas riscadas ou quebradas.

No site da Casas Bahia, também serão aceitos os mesmos itens usados e o pagamento será feito em cartão presente, podendo ser utilizado em ofertas de todos os departamentos do e-commerce. Já nas lojas físicas, a análise é feita pelo vendedor a partir da inclusão dos dados do item em um sistema que indica o valor a ser oferecido pelo aparelho usado. Se o cliente estiver de acordo com a proposta, o crédito estará disponível instantaneamente para compra de um novo aparelho.

O serviço é bastante comum no exterior e será replicado nos mais de 970 pontos de venda da Casas Bahia e do Pontofrio até o fim de março.

Siga a Gazeta do Povo e acompanhe mais novidades

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Economia

PUBLICIDADE