Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

Enkontra.com
PUBLICIDADE

IMÓVEIS

Construtoras antecipam Black Friday e prometem desconto de até 50%

Nos empreendimentos comerciais, os descontos chegam a R$ 975 mil, enquanto nos residenciais, a R$ 210 mil

  • Estadão Conteúdo Web
 | Aniele Nascimento/Gazeta do Povo
Aniele Nascimento/Gazeta do Povo
 
0 0 COMENTE! [0]
TOPO

Interessadas em alavancar as vendas no período de promoções da Black Friday, incorporadoras e construtoras começaram a partir desta terça-feira (1) a oferecer reduções nos preços de mais de 200 empreendimentos, entre comerciais e residenciais.

Até o último dia do mês, mais de 30 incorporadoras e a plataforma digital VivaReal prometem oferecer ao consumidor descontos de até 50% nos imóveis. Nos empreendimentos comerciais, os descontos chegam a R$ 975 mil, enquanto nos residenciais, a R$ 210 mil, segundo o VivaReal. O maior desconto porcentual é de 50%, no empreendimento comercial Rossi Business Itaboraí, no Estado do Rio de Janeiro.

Os descontos podem ser aproveitados em todo o Brasil. As cidades participantes incluem Curitiba, São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Porto Alegre, Fortaleza, Salvador, Maceió, Natal, Recife, Goiânia, São Bernardo do Campo, Santo André e São Caetano do Sul.

Black Friday

Uma das datas que registram maior número de vendas durante o ano, a Black Friday teve origem nos anos 1960, nos Estados Unidos, e foi introduzida no Brasil em 2010. Por lá, a promoção começa nas sextas-feiras seguintes ao Dia de Ação de Graças, comemorado dia 24 de novembro.

A data oficial da promoção no Brasil em 2016 é 25 de novembro. Por aqui, contudo, algumas lojas e empresas disponibilizam promoções de Black Friday durante todo o mês de novembro.

Segundo a E-bit, que calcula a reputação de lojas virtuais, 84% dos consumidores que fazem compras online têm intenção de comprar na Black Friday deste ano. A estimativa é que o volume de vendas ultrapasse os R$ 2 bilhões no Brasil apenas no dia 25 de novembro. Em 2015, a data teve um crescimento de 76% em relação ao ano anterior.

o que você achou?

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Economia

PUBLICIDADE