Assinaturas Classificados
Assinaturas

Publicidade

Roberto Custdio / Gazeta do Povo

Roberto Custdio / Gazeta do Povo / A guerra fiscal est muito forte. Uma empresa que queria se instalar aqui viu nossos incentivos e voltou para negociar mostrando os benefcios concedidos pela Bahia, Beto Richa, governador do Paran A guerra fiscal est muito forte. Uma empresa que queria se instalar aqui viu nossos incentivos e voltou para negociar mostrando os benefcios concedidos pela Bahia, Beto Richa, governador do Paran
Entrevista

Governo pretende leiloar folha de pagamento

Beto Richa, governador do Paran

Publicado em 26/02/2011 |
  • Comentrios

Alm do corte de gastos, o governo estadual vai leiloar a folha de pagamento do funcionalismo estadual, tentar renegociar dvidas e buscar financiamento para gerar caixa nos prximos meses e equacionar a situao financeira do estado. Em entrevista Gazeta do Povo, o governador disse ontem que a meta dobrar a capacidade de investimentos. Hoje o Paran tem um dos piores desempenhos nessa rea: do total de despesas, 5% vo para investimentos contra 15% de So Paulo e 9% de Minas Gerais. Segundo ele, o governo tambm negocia com o Banco Mundial um emprstimo de US$ 1 bilho e prepara a proposta de criao da Agncia de Desenvolvimento do Paran, que ter como atribuio dar suporte e consultoria para empresas. Agronegcio, inovao tecnolgica e indstrias limpas sero setores prioritrios.

Beto Richa diz tambm que o Paran no vai perder mais investimentos, uma das razes que levaram o estado a encolher sua participao no bolo das riquezas nacionais nos ltimos anos hoje o estado representa 5,9% do PIB nacional, contra 6,4% em 2003. Apesar das crticas ao Paran Competitivo, programa de incentivos para atrair investimentos lanado nesta semana, ele diz que o projeto vai fazer do estado um dos mais atrativos do pas. Pelos seus clculos, cerca de 40 empresas j manifestaram interesse em se instalar por aqui, entre elas fabricantes de pneus, cervejas e de plataformas para o pr-sal, alm do grupo indiano Tata, gigante que atua em reas como ao e automotivo. Leia a seguir os principais trechos da entrevista.

O senhor declarou moratria por 90 dias e determinou o corte de gastos para equilibrar as contas do estado. Alm disso, o que o governo est fazendo para gerar mais caixa?

Uma das primeiras iniciativas ser licitar a folha de pagamento do estado, cujo contrato com o Banco do Brasil se encerra em julho deste ano. Hoje a folha de funcionrios do estado movimenta R$ 900 milhes por ms. Fizemos isso com a prefeitura de Curitiba, quando levantamos R$ 140 milhes, e vamos fazer no estado. Pernambuco, por exemplo, conseguiu arrecadar R$ 700 milhes. Estamos fazendo tambm uma avaliao sobre a dvida do estado, hoje em R$ 19 bilhes. Queremos mudar o indexador hoje em IGP-DI mais 6% , que muito caro. Alm disso, estamos olhando a possibilidade de recursos judiciais e cobrana de outras dvidas.

Quais delas, por exemplo?

A ideia entrar com recurso contra a tributao do gs natural que chega pelo Mato Grosso do Sul, a exemplo do que j fez o governo de So Paulo. Somente o governo paulista est pedindo R$ 700 milhes nesse processo. Estamos verificando tambm outras opes, como a utilizao do dinheiro da multa da Repar [Refinaria Presidente Getulio Vargas], em Araucria, referente ao vazamento de leo no Rio Barigui, em 2000. Esse dinheiro ficou depositado na conta do IAP [Instituto Ambiental do Paran] e, no sabemos por qu, nunca foi usado pelo governo anterior. O valor inicial era de R$ 55,6 milhes, mas, no ano passado, a prefeitura de Araucria conseguiu bloquear R$ 27 milhes na Justia a ttulo de compensao por prejuzos. H R$ 31,1 milhes na conta do governo.

A moratria ser suspensa em maro?

Sim, mas vamos manter a meta de reduo de 15% nos gastos com custeio. Teremos tambm mais rigor e transparncia nas licitaes. Os secretrios tero metas de desempenho a cumprir, que ficaro estabelecidas no contrato de gesto, que ser assinado por todos. O contrato deve ficar pronto at o fim do primeiro semestre e comear a valer no segundo.

O Paran perdeu participao nos ltimos anos na economia nacional. O que o seu governo pretende fazer para retomar espao?

Queremos recuperar a capacidade de investimento do estado. necessrio melhorar e moralizar o Porto de Paranagu, que perdeu competitividade em funo da sua ineficincia. Os nossos aeroportos so precrios. Queremos melhorar as rodovias e j comeamos a conversar com as concessionrias de rodovias sobre os contratos de pedgio. A ideia renegociar os valores, com tarifas mais justas, mas de uma forma que seja boa para todas as partes, com dilogo e que contemple novos investimentos. Por outro lado, o Paran Competitivo vai atrair novos investimentos para o estado. Em maro tambm encaminharemos para a Assembleia Legislativa o projeto de criao da Agncia de Desenvolvimento do Paran, que dar suporte e consultoria para as empresas, com foco em setores como inovao tecnolgica, indstrias limpas e agronegcio. A Agncia de Fomento que passar a se chamar Fomento Paran ser o brao financeiro.

Como ser possvel investir, se o estado tem de cortar gastos?

Acredito que vamos atingir um equilbrio nas contas do estado at o fim do ano. O nosso objetivo destinar pelo menos 10% das despesas para investimentos. Tambm estamos tentando captar recursos junto ao Banco Mundial. O financiamento est vinculado ao programa de reestruturao da gesto. A expectativa financiar at US$ 1 bilho.

O Paran Competitivo foi criticado por no estabelecer regras mais claras e quais setores sero prioritrios para o desenvolvimento.

No entendo o porqu da crtica. Para isso existem os comits, que vo avaliar caso a caso. Estamos muito otimistas e, com o programa, seremos mais competitivos do que outros estados. No adianta conceder incentivo apenas para o interior, se a empresa precisa estar na regio de Curitiba. Tem de ser um por um.

      • NOTÍCIAS MAIS COMENTADAS
      • QUEM MAIS COMENTOU
      Publicidade
      Publicidade
      Publicidade

      Onde e quando quiser

      Tenha a Gazeta do Povo a sua disposio com o Plano Completo de assinatura.

      Nele, voc recebe o jornal em casa, tem acesso a todo contedo do site no computador, no smartphone e faz o download das edies da Gazeta no tablet. Tudo por apenas R$ 49,90 por ms no plano anual.

      SAIBA MAIS

      Passaporte para o digital

      S o assinante Gazeta do Povo Digital tem acesso exclusivo ao contedo do site, sem nenhum custo adicional ou limite.

      Navegue com seu celular ou baixe todas as edies no tablet - um novo jeito de ler jornal onde voc estiver.

      CLIQUE E FAA PARTE DESSE NOVO MUNDO

      publicidade