Assinaturas Classificados
Assinaturas

Publicidade
Encomendas

Funcionários dos Correios iniciam greve no Paraná

O motivo da paralisação é o suposto descumprimento do dissídio coletivo pela empresa com a criação do Postal Saúde, que é considerado pela categoria uma “terceirização” do plano de saúde dos trabalhadores

29/01/2014 | 22:35 |
  • Comentários

Os funcionários dos Correios no Paraná decidiram iniciar uma greve por tempo indeterminado no estado a partir das 22h desta quarta-feira (29). O motivo da paralisação é o suposto descumprimento do dissídio coletivo pela Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) com a criação do Postal Saúde, que é considerado pela categoria uma “terceirização” do plano de saúde dos trabalhadores. A decisão pela greve foi tomada em assembleias organizadas pelo Sindicato dos Trabalhadores nos Correios do Paraná (Sintcom-PR) e realizadas em Curitiba, Maringá, Ponta Grossa, Londrina e Cascavel na noite desta quarta. Na capital, cerca de 200 pessoas participaram.

O sindicato não tinha um balanço da paralisação até as 22h30 desta quarta. Somente pela manhã, o Sintcom-PR deve divulgar informações sobre a adesão ao movimento grevista. A maior concentração em Curitiba é nas proximidades da sede dos Correios, na avenida João Negrão, no centro. Além dos escritórios administrativos, a região concentra uma dos maiores centros de distribuição da empresa e a sede do sindicato.

No site do Sintcom-PR, os trabalhadores justificavam a paralisação em nota sobre a greve: “Queremos, sim, a melhoria dos serviços e procedimentos, mas não vamos aceitar a cobrança de mensalidade e não vamos permitir que retirem nosso maior benefício!”

Empresa

Durante a tarde, antes da confirmação da greve, a assessoria de imprensa dos Correios informou, por telefone, que a greve teria “motivos políticos” e o acordo coletivo não teria sido quebrado. A empresa diz ainda que os trabalhadores não teriam prejuízos com o Postal Saúde e nem aumento das despesas.

Brasil

O movimento grevista acontece ao mesmo tempo em vários estados brasileiros. Mas, no fim da noite desta quarta não havia informações sobre a paralisação em outros lugares, além do Paraná. A Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas dos Correios, Telégrafos e Similares (Fentect) entrou com processo jurídico contra a criação do Postal Saúde, mas segundo a federação, o julgamento já teria sido adiado cinco vezes.

O indicativo de que a greve poderia ser deflagrada foi informada pela Fentect em publicação datada de 23 de janeiro, onde afirma que a medida foi aprovada em plenárias anteriores. “Não podemos esperar a decisão da Justiça, pois este é o tempo que a ECT precisa para concluir a implantação ilegal do Postal Saúde”, diz o informativo. A categoria entrou em greve no ano passado entre setembro e outubro.

    • Quem diria que a ECT considerada uma das empresas estatais mais bem conceituadas pela população brasileira há 10 anos atrás se tornasse o que é hoje, terceirizando o serviço de saúde dos funcionários , gerando greves após greves e tudo isso por questões politicas de indicação partidária. - rubens gonçalves - 31/12/1969 21:00:00
    • NOTÍCIAS MAIS COMENTADAS
    • QUEM MAIS COMENTOU
    Publicidade
    Publicidade
    Publicidade
    «

    Onde e quando quiser

    Tenha a Gazeta do Povo a sua disposição com o Plano Completo de assinatura.

    Nele, você recebe o jornal em casa, tem acesso a todo conteúdo do site no computador, no smartphone e faz o download das edições da Gazeta no tablet. Tudo por apenas R$ 69,30 por mês no plano anual.

    SAIBA MAIS

    Passaporte para o digital

    Só o assinante Gazeta do Povo Digital tem acesso exclusivo ao conteúdo do site, sem nenhum custo adicional ou limite.

    Navegue com seu celular ou baixe todas as edições no tablet - um novo jeito de ler jornal onde você estiver.

    CLIQUE E FAÇA PARTE DESSE NOVO MUNDO

    »
    publicidade