Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

story
Enkontra.com
PUBLICIDADE

Frustração

Durou 3 anos o sonho de montar picapes em Ibaiti

 
0 0 COMENTE! [0]
TOPO

A idéia parecia ótima. Com o fim da produção de tradicionais utilitários como o Ford F-75 e o Toyota Bandeirante, produtores rurais sentiriam falta de picapes que, se não primam pelo design e tecnologia, são duráveis e resistentes ao trabalho no campo. Foi com a intenção de ocupar esse mercado que o empresário paulista Nivaldo Rubens Trama inaugurou, em 2001, a Matra Veículos – primeira e única fábrica de automóveis a se instalar em Ibaiti, município de 27 mil habitantes do Norte Pioneiro. O dia festivo teve até a presença do então governador Jaime Lerner.

Fazendeiro e dono de uma faculdade paulistana, Trama investiu US$ 1,2 milhão na compra de um pavilhão de 5 mil metros quadrados e de equipamentos para produzir até 100 unidades por mês. O empresário arranjou representantes comerciais e contratou 60 pessoas para a fábrica. A carroceria, de fibra de vidro, e o chassi eram produzidos em Ibaiti; equipamentos e acessórios, comprados de diferentes fornecedores.

O plano era de vender pelo menos 500 veículos nos primeiros dois anos de produção. Mas o sonho durou pouco: em três anos, a Matra vendeu 100 picapes e, já no fim de 2004, a produção foi interrompida. “Era um mercado segmentado demais. Não conseguimos vencer a concorrência das picapes tradicionais”, diz Trama. Todo o maquinário foi vendido a um grupo amazonense, que transferiu a linha para Manaus. (FJ)

Siga a Gazeta do Povo e acompanhe mais novidades

PUBLICIDADE

mais lidas de Economia

PUBLICIDADE