Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

Caro usuário, por favor clique aqui e refaça seu login para aproveitar uma navegação ainda melhor em nosso portal. FECHAR
PUBLICIDADE

carreira

Ganhar dinheiro sem ter diploma? Confira as profissões técnicas mais bem pagas

Salários de profissionais sem curso superior podem ultrapassar os R$ 5 mil

  • Da Redação
 | Agência Petrobras
Fotos Públicas
Agência Petrobras Fotos Públicas
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

Nem sempre um diploma de curso superior é garantia de bons salários. Por isso, muitos profissionais têm investido nos cursos técnicos, que têm menor duração que uma faculdade tradicional e, muitas vezes, são bem remunerados.

Confira abaixo quais são as 10 profissões técnicas mais bem pagas do Brasil, segundo pesquisa feita pela Catho, empresa brasileira de classificados de empregos, a pedido da Revista Exame.

1. Técnico em petróleo e gás

/ra/pequena/Pub/GP/p4/2016/06/22/Economia/Imagens/Vivo/9997.jpg
Agência Petrobras

A ocupação, inserida na área de extração de petróleo, óleo e gás, tem média salarial de R$ 5.406.

No Paraná, é possível realizar o curso na Universidade Federal do Paraná (UFPR).

2. Ferramenteiro de corte, dobra e repuxo

/ra/pequena/Pub/GP/p4/2016/06/22/Economia/Imagens/Vivo/ferramenteiro.jpg
Thinkstock

O profissional especializado na construção de ferramentas que servem de base para outros produtos recebe, em média, R$ 4.662,50 por mês.

3. Técnico de produção sucroalcooleira

/ra/pequena/Pub/GP/p4/2016/06/22/Economia/Imagens/Vivo/sucroalcooleiro.jpg
Divulgação

Basicamente, o técnico de produção sucroalcooleira é responsável pelo processo de transformação da cana em produto final, como o álcool ou o açúcar. A média salarial é de R$ 4.273,50.

4. Técnico em inspeção de equipamentos

/ra/pequena/Pub/GP/p4/2016/06/22/Economia/Imagens/Vivo/tecnico inspeção.jpg
Divulgação/Pixabay

Este profissional, que ganha cerca de R$ 4.127,80, está apto a executar, orientar e coordenar serviços de manutenção e reparo de equipamentos eletromecânicos.

O Colégio Integral, de São Mateus do Sul (PR), oferece o curso.

5. Inspetor de qualidade de instrumentos

/ra/pequena/Pub/GP/p4/2016/06/22/Economia/Imagens/Cortadas/medição-kTRH-U20447573395jBD-1024x683@GP-Web.jpg
Divulgação/Pixabay

O inspetor de qualidade de instrumentos é responsável pela manutenção, limpeza, controle e aferição de instrumentos e equipamentos de medição da empresa conforme normas internacionais existentes. A média salarial é de R$ 3.979,10.

Em Curitiba, o curso é oferecido pela CNC Escola Técnica Profissionalizante.

6. Técnico em obras

/ra/pequena/Pub/GP/p4/2016/06/22/Economia/Imagens/Vivo/obra.jpg
Divulgação/Pixabay

O profissional está apto a trabalhar em empresas públicas e privadas de construção civil, escritórios de projetos e canteiros de obras. O salário fica em torno de R$ 3.940.

No Paraná, o Senai oferece o curso de técnico em edificações.

7. Ferramenteiro de manutenção

/ra/pequena/Pub/GP/p4/2016/06/22/Economia/Imagens/Vivo/ferramentas.jpg
Divulgação/Pixabay

Com salário na casa dos R$ 3.890, o ferramenteiro de manutenção pode trabalhar com metalurgia e indústrias de máquinas, equipamentos e automobilística.

8. Ferramenteiro de moldes plásticos

/ra/pequena/Pub/GP/p4/2016/06/22/Economia/Imagens/Vivo/plastico.jpg
Divulgação/Pixabay

Segundo a Catho, o profissional é responsável por desenhos, peças e moldes de injeção plástica, além da manutenção preventiva e corretiva em sistemas de injeção e pode realizar reparos e troca de peças. A média salarial é de R$ 3.886,70.

O Senai de São José dos Pinhais (PR) oferece o curso.

9. Técnico de planejamento

/ra/pequena/Pub/GP/p4/2016/06/22/Economia/Imagens/Vivo/planejamento.jpg

Com média de salário de R$ 3.813,20, técnico é responsável pela elaboração, quantificação e controle de contratos empresariais.

10. Desenhista projetista mecânico

/ra/pequena/Pub/GP/p4/2016/06/22/Economia/Imagens/Vivo/projetista mecanico.jpg
Divulgação/Pixabay

O profissional desenvolve projetos de estruturas, ferramentas, moldes e matrizes. O salário médio é de R$ 3.810, 60.

o que você achou?

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Economia

PUBLICIDADE