Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

Enkontra.com
PUBLICIDADE

mudança

Facebook irá “esconder” páginas com notícias falsas, conteúdo apelativo e spam

Alteração no algoritmo da rede social também dará prioridade a postagens virais

Páginas que sejam identificadas como produtoras de conteúdo confiável terão mais relevância no feed. | Reprodução/Pixabay
Páginas que sejam identificadas como produtoras de conteúdo confiável terão mais relevância no feed. Reprodução/Pixabay
 
0 0 COMENTE! [0]
TOPO

O Facebook mudou a lógica do seu feed de notícias mais uma vez. Na última terça-feira (31), a plataforma anunciou que a classificação de conteúdo terá critérios diferentes, buscando mostrar histórias autênticas. Na nova estrutura, uma das principais alterações envolve a identificação de notícias falsas, spam e conteúdos apelativos, que perdem a importância na ordem das postagens.

Notícias falsas ficam de fora

Para criar a atualização, o Facebook categorizou páginas que compartilham frequentemente posts com notícias falsas e manchetes de clickbait (isca de cliques), ou têm suas postagens ocultadas com frequência.

Em seguida, usou esses posts para treinar um algoritmo que detecta conteúdo semelhante compartilhado na rede, cortando a exibição. Entre os comportamentos que levam a perda de relevância encontram-se pedidos de curtidas e comentários e estímulos de interações com links que contém pegadinhas.

O Facebook também passará a dar mais visibilidade a postagens de páginas que não apresentarem esse tipo de padrão.

Viralização está mais importante

A rede social quer que postagens que estão viralizando rapidamente ganhem relevância instantânea. Isso será determinado tanto pelo engajamento em postagens de páginas e pessoas, quanto pela identificação de assuntos que estão sendo mencionados por muitos usuários - uma lógica similar aos “trending topics” do Twitter.

A plataforma utilizou o seguinte exemplo para ilustrar a mudança: caso seu time de futebol ganhe um jogo, postagens relacionadas ao tema aparecerão no topo do feed, pois as pessoas estarão falando sobre isso naquele momento.

Colaborou: Cecília Tümler

o que você achou?

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Economia

PUBLICIDADE