Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

Caro usuário, por favor clique aqui e refaça seu login para aproveitar uma navegação ainda melhor em nosso portal. FECHAR
PUBLICIDADE

Inovação

10 startups para ficar de olho em 2018

Especialistas indicam 10 startups brasileiras para ficar de olho em 2018

  • Naiady Piva
Federico Vega, presidente da CargoX, eleita recentemente uma das 30 startups mais disruptivas do mundo | CargoX
Federico Vega, presidente da CargoX, eleita recentemente uma das 30 startups mais disruptivas do mundo CargoX
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

O Brasil já conta com um ecossistema de startups robusto. Nomes como Nubank, Movile, Netshoes e Pipefy já são reconhecidos nacional e internacionalmente. E quem serão os próximos? Quais startups que começam a despontar podem ser as novas gigante? A Gazeta do Povo consultou especialistas do setor e listou 10 startups para ficar de olho em 2018.

São empresas de diferentes segmentos. Muitos deles “quentes”, como os de mobilidade, agronegócio e saúde. Empresas que  inovam em áreas super tradicionais, (como a CargoX, que levou a tecnologia para o transporte de cargas); ou em setores que há pouco não existiam (caso da Nama, cujas soluções de inteligência artificial são voltadas para identificar a linguagem natural do usuário).

1. CargoX 

Conhecida como a "Uber dos caminhões", a CargoX é uma empresa brasileira que oferece serviços de transportes de carga com base em tecnologia. No final do ano passado, a startup passou por uma rodada de investimentos de R$ 63 milhões liderada por Goldman Sachs (que incluiu nomes como a Qualcoom e a Soros Fund). Lançada em plena crise, a empresa aproveitou a crescente necessidade de redução de custos com logística para crescer. E já movimenta mais de R$ 100 bilhões anuais. Em novembro, a americana CBInsights, de análise de dados, incluiu a CargoX como uma das 30 startups mais disruptivas do mundo. É a única latino-americana da lista. 

2. Grão Direto 

/ra/pequena/Pub/GP/p4/2018/01/08/Economia/Imagens/Cortadas/Tela_Ajuda_App_Campo_Celular-ID000002-1200x800@GP-Web.JPG

A Grão Direto é uma startup da área de agronegócio (as chamadas agritechs) que conecta produtores e compradores de commodities agropecuárias, com objetivo de tornar o mercado mais eficiente. Além da compra e venda, a plataforma oferece produtos financeiros, logísticos de gestão de contratos e governança para os produtores. Em uma área promissora - o agro - a Grão Direto prevê grandes investimentos para 2018. A empresa está recrutando novos talentos e, a partir de abril, deve divulgar para o mercado suas novidades, principalmente a ampliação da atuação geográfica. 

3. Lady Driver 

A Lady Driver é um aplicativo de mobilidade urbana. A diferença para os concorrentes é que tanto motoristas quanto passageiras são todas mulheres. Com um DNA de "empoderamento feminino" e da inclusão da mulher no volante, a startup retém 16% do valor das corridas (bem abaixo da média do mercado). O aplicativo só atende, por enquanto, em São Paulo e Guarulhos. Neste ano, a meta é se consolidar na capital paulista e também no Rio de Janeiro. Com foco em "quebrar paradigmas e mostrar que a mulher também pode ganhar dinheiro, sim, dirigindo". 

4. Nama 

A plataforma da Nama oferece uma série de produtos para conversas automatizadas pela Inteligência Artificial. Uma especialidade da empresa é construir robôs aptos a compreender a linguagem natural dos usuários. O Poupinha (chatbot do Poupatempo, do governo do estado de São Paulo), criado pela empresa, já trocou 62 milhões de mensagens com cidadãos, e recebeu 237 mil expressões de agradecimento (como "Deus te abençoe"). A startup está num segmento quente. O Bank Of America Merrill Lynch estima que, até 2020, os chatbots vão movimentar US$ 153 bilhões no mundo todo. A Nama já desponta como uma das principais empresas do Brasil, no segmento, e já recebeu reconhecimento internacional, em conferência do Creative Destruction Lab (CDL), no Canadá. Para 2018, a startup planeja escalar a operação a um nível global. 

5. Nutricare 

A Nutricare desenvolveu o Zerosódio, um salgante natural feito à base de potássio. Idealizado pelo médico Rodrigo Martins, o produto leva em conta o alto índice de hipertensão no país (houve aumento de 14,2% na última década, segundo dados do Ministério da Saúde), além de problemas AVC, doenças cardiovasculares, infarto e lesões renais, todos relacionados ao consumo exagerado de sal. O Zerosódio pode ser utilizado tanto na finalização quanto no preparo de alimentos a altas temperaturas, e está atualmente em teste nas cozinhas de hospitais de todo o país. Além disso, o produto já é vendido em redes de drogarias (como a Iguatemi) e em lojas como a Padaria da Esquina, eleita a melhor casa de pães de São Paulo. 

6. MindMiners 

/ra/pequena/Pub/GP/p4/2018/01/08/Economia/Imagens/Cortadas/mindminers_fundadores_05-ID000002-1200x800@GP-Web.jpg

A MindMiners é uma plataforma de pesquisa automatizada com mais de 420 mil usuários cadastrados. O modelo de negócios é dividido em duas frentes, ambas B2B. Numa delas, a startup comercializa projetos personalizados para grandes marcas como Nestlé, P&G e Coca-Cola. Outro produto é a assinatura da plataforma de pesquisa automatizada, que atende tanto grandes marcas como pequenas e médias empresas, além de empreendedores e até estudantes. Criada para "democratizar a pesquisa de mercado", a Mindminers vai investir, em 2018, em estratégias de educação do mercado e tecnologia. A meta é chegar a um milhão de usuários no aplicativo. Outra aposta é incorporar métodos de pesquisa qualitativa. 

7. Portal do Médico 

/ra/pequena/Pub/GP/p4/2018/01/08/Economia/Imagens/Cortadas/startups-de-olho-portal-do-medico-ID000002-1200x800@GP-Web.JPG

O Portal do Médico é um marketplace de saúde que está entre os maiores da América Latina. São mais de 33 mil cadastros e 45 mil produtos anunciados no site. No total, as negociações que passaram pelo marketplace passam dos R$ 310 milhões. Para este ano, a startup prevê uma expansão internacional, com foco nos Estados Unidos (além de outras praças, como Israel, Rússia e Portugal). 

8. E-Moving 

A E-Moving é uma startup de mobilidade urbana que oferece o aluguel de bicicletas elétricas de forma mensal. O aluguel é feito de forma mensal, e os pacotes vão de 1 a 12 meses. A ideia é permitir ao usuário utilizar a e-bike em seu deslocamento diário e, assim ter uma nova experiência de deslocamento urbano: rápida, eficiente e sustentável. Criada em 2014, a E-Moving hoje atua em São Paulo e tem uma média de 400 bikes alugadas mensalmente. Para o próximo ano, a meta é expandir a frota para 1.500 veículos e chegar a novas cidades brasileiras. 

9. Chefs CLub 

O ChefsClube é uma espécie de clube de assinatura para amantes da gastronomia. Diferente de outros clubes - que entregam o produto por correspondência - o ChefsClube dá acesso a descontos (de 30% a 50%) em restaurantes badalados em horários previstos, sem limite de uso. As assinaturas são semestral (R$ 129) ou anual (R$ 179). O desconto é válido para o sócio mais um acompanhante, e não incide sobre bebidas e sobremesas. Os restaurantes pagam uma taxa de set-up no início da parceria, além de uma mensalidade que varia de R$ 50 a R$ 90. A startup já opera em mais de 20 cidades brasileiras e tem planos de aumentar consideravelmente o número de sócios e de restaurantes. Para isso, deve investir em uma melhor experiência para o usuário, como formas mais assertivas de recomendar restaurantes. 

10. Inbep 

/ra/pequena/Pub/GP/p4/2018/01/08/Economia/Imagens/Cortadas/startups-de-olho-inbep-ID000002-1200x800@GP-Web.JPG

A Inbep é uma startup de educação de Florianópolis, que atua no mercado de cursos obrigatórios. Seus principais clientes são indústrias (como a Weg, Renault e BMW) e o ano de 2017 fechou com uma base de 20 mil alunos e faturamento na casa dos R$ 700 mil. A empresa projeta crescimento de 60% (ultrapassando os R$ 1 mi de faturamento) para este ano, com expansão nos cursos presenciais e online. E migrando para cursos voltados para profissionais de saúde.

o que você achou?

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Economia

PUBLICIDADE