Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

Enkontra.com
PUBLICIDADE

Consumo

Nenhum shopping de Curitiba atinge nível de excelência, diz pesquisa

Grupo do Instituto Ibero-Brasileiro de Relacionamento com o Cliente visitou os maiores centros comerciais da capital para compor avaliação

Falta de preço nas vitrines foi um dos principais problemas encontrados na capital paranaense |
Falta de preço nas vitrines foi um dos principais problemas encontrados na capital paranaense
 
0 0 COMENTE! [0]
TOPO

Os maiores shoppings de Curitiba “reprovaram” nos testes do Instituto Ibero-brasileiro de Relacionamento com o Cliente (IBRC). Durante um mês um grupo da entidade visitou seis dos principais dos estabelecimentos da capital paranaense – Palladium, Shopping Curitiba, ParkShopping Barigui, Shopping Estação, Shopping Mueller e Shopping Crystal Plaza – e não classificou nenhum como excelente, a categoria máxima da pesquisa. Os três primeiros da lista foram considerados “conforme” e os três últimos, “não conforme”.

INFOGRÁFICO: Confira o Ranking dos shoppings de Curitiba

Pela metodologia da avaliação, realizada também em outras cidades do país, as notas variam de 0 a 100%, sendo que de 0 a 79% os estabelecimentos são considerados “não conformes”, de 80% a 89% “conformes” e de 90% a 100% de “excelência”.

Os auditores analisaram a qualidade de vários itens como sinalização, organização, limpeza e segurança, e a pontuação foi baseada em padrões internacionais. O comitê gestor da pesquisa contou com membros da Fecomércio, da Associação Comercial do Paraná (ACP) e do Procon-PR.

A principal conclusão da pesquisa foi que a estrutura oferecida pelos shoppings da capital paranaense é muito boa, mas que os serviços prestados carecem de bons profissionais, entre outras falhas. “A grande questão é que shopping não é mais um lugar aonde as pessoas vão apenas para comprar. É um espaço de convivência”, afirma o presidente do IBRC, Alexandre Diogo.

Os banheiros apresentaram uma série de problemas, recebendo uma nota geral de 71% de conformidade. Os auditores encontraram sujeira, lixeiras transbordando, urina no chão, manutenção não sinalizada e até falta de banheiros em andares inteiros.

O quesito segurança foi considerado adequado pelos avaliadores, mas em várias visitas eles encontraram funcionários sem crachá de identificação. “As pessoas têm medo quando o segurança não está identificado. Parece bobagem, mas faz muita diferença porque não tem como saber se aquele é mesmo um segurança. Muitos roubos acontecem com pessoas que se passam por funcionários do shopping”, explica o presidente do IBRC.

Transparência

Outra grande falha foi a falta de preço em vitrines. O quesito recebeu nota de 8% . “Não é exclusividade de Curitiba, no Brasil inteiro falta respeito à essa regra do Código de Defesa do Consumidor. As lojas querem argumentar que classe A não se preocupa com o preço, mas lei é para ser cumprida”, afirma Alexandre.

E você?

Como avalia os shoppings de Curitiba em termos de estrutura e serviços oferecidos?

Escreva para leitor@gazetadopovo.com.br

As cartas selecionadas serão publicadas na Coluna do Leitor.

o que você achou?

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Economia

PUBLICIDADE