Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

Enkontra.com
PUBLICIDADE

Muito além da Copel

Empresa paranaense entra no mercado de geração de energia

Tradener vai deixar de ser apenas uma comercializadora de energia para virar também uma geradora

  • Jéssica Sant’Ana
 |
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

A Tradener, comercializadora independente de energia elétrica e gás natural com sede Curitiba, vai investir cerca de R$ 600 milhões para entrar no mercado de geração de energia. A empresa vai atuar em parceria com outros investidores para construir seis pequenas centrais hidrelétricas e três parques eólicos. O objetivo é garantir energia suficiente a preços competitivos para comercializar a seus clientes.

LEIA MAIS sobre negócios e tecnologia

A empresa tem projetos concluídos para construir seis pequenas centrais hidrelétricas (PHCs) em Goias. As seis centrais devem ter juntas capacidade de geração de 120 megawatts (MW). A primeira já está sendo construída entre os municípios de Palestina de Goiás e Arenópolis e deverá iniciar operação comercial até abril de 2019.

A Tradener vai participar, ainda, da construção de três parques eólicos. Dois deles serão instalados no Rio Grande do Sul, com capacidade total de geração de 340 MW, e um será erguido na Bahia, com capacidade de 90 MW. Esses projetos, porém, devem sair do papel somente depois da conclusão da primeira central hidrelétrica, em Goias.

A companhia paranaense vai investir R$ 600 milhões nos projetos e contará com o suporte de outros investidores do setor elétrico para custear o restante do investimento necessário. A companhia não releva o valor total necessário para construir as seis PHCs e os três parques eólicos. Grande parte da energia gerada por esses empreendimento será vendida pela própria Tradener no mercado livre e o restante será destinado ao mercado cativo. 

Entrada no mercado de geração

O presidente da Tradener, Walfrido Avila, explica que a empresa decidiu entrar no mercado de geração para garantir energia suficiente a seus clientes no futuro e a preços competitivos. “Quando começamos, em meados de 1998 para 1999, no início do mercado livre, havia muita energia sobrando. Só que a partir de 2010 a gente começou a sentir uma queda nos investimentos. Vimos que poderia faltar energia no mercado livre e que o preço poderia subir. Então resolvemos produzir nossa própria energia.”

A Tradener foi fundada em Curitiba em 1998 e desde então trabalha como comercializadora independente de energia elétrica. Ou seja, ela compra a energia de terceiros e revende no mercado livre. Esse mercado é utilizado, principalmente, por pequenas e médias empresas e grandes consumidores residenciais que querem negociar melhores condições de preços, prazos e quantidade de energia, o que o mercado cativo não permite.

Agora, no médio prazo, a companhia vai passar a gerar a energia que vende a seus clientes no mercado livre. O presidente da Tradener ressalta que não tem intenção de tornar a empresa uma grande geradora de energia. O objetivo é produzir energia em quantidade suficiente para atender aos seus clientes. 

o que você achou?

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Economia

PUBLICIDADE