Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

Enkontra.com
PUBLICIDADE

balanço financeiro

Netflix chega a 99 milhões de assinantes 

Serviço de streaming já lucrou US$ 243,9 milhões somente nos seis primeiros meses de 2017

 | Divulgação/Netflix
Divulgação/Netflix
 
0 0 COMENTE! [0]
TOPO

Depois de decepcionar os investidores no primeiro trimestre deste ano, a Netflix superou as suas próprias expectativas e chegou bem perto da marca de 100 milhões de assinantes no mundo. A empresa divulgou que tem 103,95 milhões de usuários, sendo que 99,04 milhões pagam para usar o serviço. Os dados foram divulgados nesta segunda-feira (17), junto com o balanço financeiro do segundo trimestre da empresa.

10 dicas para usar melhor a Netflix

Somente entre os meses de abril e junho, a Netflix ganhou 5,2 milhões de novos assinantes. Destes, 4,14 milhões são usuários fora dos Estados Unidos, país em que a empresa mantém a sua sede. A expectativa era que o serviço de streaming atraísse no segundo trimestre 3,2 milhões de assinantes.

É “a Netflix” ou “o Netflix” que fala?

Ao todo, a Netflix tem 103,95 milhões de usuários. O número considera aquelas pessoas que usam os serviço apenas na fase de teste, de 30 dias. Como essa fase é gratuita e não gera receita para a companhia, o número de assinantes é o mais importante.

Entre os quase 100 milhões de assinantes, 48,71 milhões de usuários são de fora dos Estados Unidos. A agência Instinet acredita que, até o fim do ano, o número seja ainda maior, com o serviço estando presente em, pelo menos, 20% das casas com banda larga nos cinco maiores mercados para a Netflix fora dos Estados Unidos, o que inclui o Brasil. 

Com o incremento no número de assinante e reajuste de preço em alguns países, o faturamento da Netflix também subiu. A empresa teve receita de US$ 2,8 bilhões no segundo trimestre, uma alta de 32,3% na comparação com o mesmo período de 2016. Já o lucro no período foi de US$ 65,6 milhões, uma alta de 61%, e chegou, no ano, a US$ 243,9 milhões. 

o que você achou?

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Economia

PUBLICIDADE