Economia

Fechar
PUBLICIDADE

paraná

Petroleiros do Paraná irão aderir à paralisação de 24 horas

Trabalhadores de refinarias da Petrobras devem parar a partir da zero hora de quarta-feira (26), protestando contra proposta de reajuste apresentada pela empresa

 
0 0 COMENTE! [0]
TOPO

Funcionários de refinarias e empresas de petróleo do Paraná vão aderir, na próxima semana, a uma paralisação de 24 horas programada pela Federação Única dos Petroleiros (FUP). O ato que acontecerá no dia 26 (quarta-feira), foi aprovado em assembleia, depois que a categoria rejeitou proposta de reajuste salarial apresentada pela Petrobras.

“O objetivo é mostrar à empresa [Petrobras] que há um grande descontentamento entre os trabalhadores em relação ao que foi proposto”, disse o presidente do Sindicato dos Petroleiros do Paraná (Sindipetro), Silvanei Bernardi.

A paralisação deve ocorrer a partir da zero hora de quarta-feira (26). A estimativa do sindicato é que a adesão seja maciça no Paraná, já que, segundo Bernardi, o “clima entre a categoria está bom” e todos estão informados sobre as propostas ofertadas aos trabalhadores.

Apesar disso, o sindicato prevê que não deve haver impactos na produção petrolífera no estado. Segundo o sindicato, há cerca de 1,7 mil petroleiros no Paraná.

De acordo com a FUP, a Petrobras propôs pagar abono referente a uma remuneração integral ou R$ 4.000,00, o que for maior, "descontando o valor da antecipação de R$ 1.296,00 ou 12% de uma remuneração que foi paga durante a quitação da PLR 2011".

Segundo Bernardi, a intenção do sindicato – vinculado à Central Única dos Trabalhadores (CUT) – é unificar a campanha por reajuste salarial, com outras categorias que já estão em greve, como os bancários e os servidores dos Correios.

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Economia

PUBLICIDADE
Acompanhe a Gazeta do Povo nas redes sociais