Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

Enkontra.com
PUBLICIDADE

Infraestrutura

Porto de Paranaguá contrata projeto executivo para píer em T

A obra pretende aumentar a capacidade do corredor de exportação do porto paranaense

A Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa) acaba de concluir a licitação para contratação do projeto executivo para a construção do píer em T para aumentar a capacidade de embarque dos navios graneleiros no Corredor de Exportação |
A Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa) acaba de concluir a licitação para contratação do projeto executivo para a construção do píer em T para aumentar a capacidade de embarque dos navios graneleiros no Corredor de Exportação
 
0 0 COMENTE! [0]
TOPO

A Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa) contratará nos próximos dias o projeto executivo para a a construção do píer em T no Corredor de Exportação, obra que deve aumentar a capacidade de escoamento de grãos pelo porto paranaense. A informação foi divulgada nesta segunda-feira (22). Os detalhes do empreendimento serão desenvolvidos no projeto pelo consórcio Exe Engenharia, que venceu a licitação por R$ 4,25 milhões.

A empresa tem prazo de 240 dias para executar o serviço, que contempla a realização de sondagens físicas, da geografia subaquática, e de comportamento dos efeitos das águas e das marés, além dos projetos de fundações, plataforma, áreas de serviços, estruturas eletromecânicas, etc. Como o projeto pronto, a obra para a construção do terminal ficará sob responsabilidade da Secretaria de Portos (SEP).

Há mais de 20 anos, o Porto de Paranaguá utiliza a mesma infraestrutura para a venda de grãos, como milho e soja. Apesar disso, a movimentação de cargas cresceu quase 300% nos últimos 20 anos – passou de 12 milhões de toneladas em 1990 para 44,5 milhões de toneladas em 2012. “Boa parte do problema que temos com a espera de navios para atracar é por conta disso: precisamos de mais berços de atracação com uma estrutura adequada, moderna e ágil, para dar vazão a estas supersafras que vem se acumulando”, explicou o superintendente da Appa, Luiz Henrique Dividino em entrevista a Agência de Notícias do Paraná, órgão oficial de comunicação do governo estadual.

O Terminal de Exportação de Grãos abrange um píer de carregamento, paralelo ao cais acostável existente, com dois berços externos e outros dois berços internos para acostagem e carregamento simultâneos de quatro navios graneleiros, interligado ao cais existente por meio de uma ponte de acesso perpendicular. Um dos novos berços será especializado para receber navios de grande porte, chamados de “cape size” e que embarcam cerca de 110 mil toneladas de grãos. Os demais três berços serão feitos para receber navios “Post Panamax”, que embarcam cerca de 75 mil toneladas de granéis.

A previsão é que, após a conclusão da obra, o porto poderá superar a marca de 83 milhões de toneladas movimentadas anualmente em 2030.

A nova estrutura contará com oito carregadores de navios (Shiploaders), sendo seis deles com capacidade nominal de 2.000 toneladas por hora, e dois com capacidade nominal de 3.000 toneladas por hora. Haverá ainda oito conjuntos de correias transportadoras para alimentar os respectivos carregadores, sendo seis de 2.000 t/h e dois de 3.000 t/h (cada).

Nos próximos dias, a Appa lançará o edital para a contratação do projeto executivo do píer em F, que será implantado na extremidade oeste do cais, para movimentação de granéis sólidos com quatro berços de atracação.

o que você achou?

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Economia

PUBLICIDADE