Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

Caro usuário, por favor clique aqui e refaça seu login para aproveitar uma navegação ainda melhor em nosso portal. FECHAR
PUBLICIDADE

carreira

Como fazer um currículo em inglês

Especialista dá dicas para deixar seu CV mais atraente para o mercado internacional

  • Larissa Fanes especial para Gazeta do Povo
 | Bigstock
Bigstock
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

Dentre todas as etapas de um processo seletivo, a apresentação de currículo ainda é recorrente. Os modelos são variáveis e os formatos se adaptam à área de interesse dos candidatos. Dos mais sóbrios aos criativos, a verdade é que existem itens que não podem faltar na hora de descrever a trajetória e experiência profissional.

E se no Brasil a maioria dos modelos de currículo já são conhecidos, ainda existem dúvidas entre aqueles que querem montar um documento no formato internacional. Cada vez mais os candidatos se deparam com a exigência do currículo em inglês, seja para programas de trainee com etapas fora do país ou para aproveitar as oportunidades que aparecem em empresas internacionais.

Siga a Gazeta do Povo no LinkedIn

A professora de inglês Lorena Carneiro dá algumas dicas para quem quer impressionar na hora de apresentar o currículo em outro idioma. É preciso ter atenção para não fazer a tradução literal do documento e acabar colocando falsos cognatos (palavras que são parecidas, mas têm significados diferentes em cada país). Outro cuidado necessário é com os vícios que temos ao escrever em português.

Veja as dicas para montar um bom currículo internacional:

Carta de apresentação

Os recrutadores de fora do país estão acostumados a receber, junto com o currículo, uma carta de apresentação. Ela pode ter um tom mais pessoal, dependendo do cargo e da empresa em que se quer trabalhar. É na carta de apresentação que o candidato deve mostrar que tem as qualidades necessárias para a vaga. Através dela ele pode mostrar habilidades como vocabulário e conhecimento na área.

Cuidado com a tradução literal

Quem já tem um currículo montado e precisa apresentá-lo em inglês deve ter atenção: traduzir ipsis litteris não é uma boa ideia, já que existem diferenças culturais a serem consideradas. Não é necessário escrever um novo documento do zero. Algumas informações podem ser transpostas, desde que o candidato preste atenção naquilo que precisa ser alterado. O ideal é ter o seu currículo em português em mãos para servir de referência ao escrever a versão em inglês.

Escrita assertiva

As diferenças culturais entre os países também devem ser observadas. O candidato precisa pensar na mensagem que quer passar. Nós temos um “jeitinho” que acaba sendo um pouco prolixo ou pouco assertivo. Um currículo em inglês deve ir direto ao ponto, o tal “preto no branco”. Simplesmente descreva aquilo que é fato.

Principais seções

Assim como no Brasil, não há um padrão único dentre os modelos internacionais, mas existem pontos essenciais. Abra sempre com informações pessoais, como nome, telefone, endereço e e-mail. Preste atenção no objetivo do seu currículo. Se ele for para a área acadêmica é interessante colocar atividades extracurriculares. Já para um currículo profissional é mais adequado expor suas habilidades técnicas e áreas de interesse.

Busque equivalências

Os sistemas de ensino sofrem variações em cada país. Para a tradução de certificados acadêmicos, existem empresas especializadas em fazer a equivalência de títulos e formação. Esse recurso é interessante para quem precisa usar o documento para fins oficiais, como intercâmbio e imigração. Para se inscrever em uma vaga acadêmica, é necessário se informar sobre as exigências com relação à tradução (se é necessário juramentar, por exemplo).

Se a intenção é profissional, em busca de uma vaga de trabalho no exterior, é possível encontrar as equivalências em buscas na internet. Comece do nível mais alto para o mais baixo e não é necessário citar o ensino médio caso já tenha uma formação superior.

Atenção para os falsos cognatos

Sempre confira a tradução dos termos utilizados. Os sites de busca dão uma boa ajuda para não cair em ciladas. Alguns exemplos: uma pessoa que fez um curso de graduação é um Undergraduate. Graduate é quem fez uma especialização. Comprehensive se refere a abrangente e understanding significa compreensivo, gentil.

Traduzir e contextualizar

Explique o porte e a função das empresas em que você trabalhou anteriormente, a relevância no mercado nacional. Esclareça ocupações que talvez não existam fora do Brasil.

Diferenças culturais

As exigências e objetivos de um currículo podem variar entre os países. Nos EUA, os modelos devem seguir um padrão objetivo, de uma página, simples e informativo (não é à toa que eles chamam o documento de resume). O Canadá segue a mesma linha, mas tem ainda o costume de incluir uma lista de referências (pessoas que podem atestar suas habilidades).

Os currículos britânicos, podem ter mais de uma página. Além das referências, que eles gostam de checar, o documento geralmente tem um parágrafo inicial onde o candidato fala de si.

o que você achou?

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Economia

PUBLICIDADE