Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

Enkontra.com
PUBLICIDADE

Comércio eletrônico

Sites e aplicativos ajudam a achar desconto de verdade na Black Friday

Ferramentas auxiliam o consumidor a flagrar lojas virtuais que sobem e baixam preços, forjando abatimentos antes de liquidações. Próxima grande ação de vendas será no dia 28

  • Camille Bropp Cardoso
De olho no preço: a blogueira Hami Waltrick já começou a monitorar sites e produtos para a Black Friday |
De olho no preço: a blogueira Hami Waltrick já começou a monitorar sites e produtos para a Black Friday
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

Lojas virtuais que forjam descontos antes de liquidações – aumentando preços para depois baixá-los – têm tudo para não passar mais incólumes pelos consumidores. Sites e aplicativos que monitoram históricos de preços se consolidaram como ferramentas "mão na roda" para a clientela desconfiada. Faltando cerca de 20 dias para a já tradicional ação de Black Friday do site Busca Descontos, da qual participam as maiores lojas do setor, é a hora de o consumidor prestar atenção a essas reviravoltas.

INFOGRÁFICO: Veja quais são os sites e aplicativos que te ajudam a aproveitar as promoções

Uma boa ferramenta é o aplicativo para computador Baixou Agora, que já registrou 900 mil downloads desde agosto de 2013. A expectativa é de que o número chegue a 1,5 milhão durante a Black Friday, no dia 28. O aplicativo permite checar as últimas 15 alterações de preços de um produto.

O usuário pode consultar o dado em uma barra no topo da página do item. São cerca de 30 lojas monitoradas, entre elas gigantes do e-commerce – como Americanas, Submarino e Walmart. A exceção são lojas do grupo Via Varejo (Extra, Ponto Frio e Casas Bahia), que o site pretende monitorar até a Black Friday.

Para o fundador do Baixou, Patrick Nogueira, as lojas estão mais conscientes da repercussão negativa que maquiar descontos acarreta, mas a prática continua comum. "Após as denúncias na primeira Black Friday [sobre descontos falsos], em 2013 ainda houve o 'pela metade do dobro' no sentido de a loja exagerar o desconto. Subiam um pouco o preço para afirmar que cortaram pela metade, mas na verdade era só 15%".

Nogueira diz que sua intenção não é criar saia justa com as lojas – afinal, o Baixou ganha porcentagem sobre compras feitas por links do site –, mas nem todas encaram bem a ferramenta. "Já recebemos ameaça de processo e notamos que algumas tentam dificultar tecnicamente a nossa ação."

Na tela

Bem menor do que o Baixou (tem 5 mil usuários), o Bizoo oferece recurso parecido, com um diferencial: registra imagens das ofertas. O site nasceu para viabilizar descontos personalizados e está em fase de testes, mas já permite pesquisar preços. O mecanismo foi criado na intenção de que os preços antigos ajudassem na negociação, conta Mauro Lopes, fundador do site.

Durante esse desenvolvimento, Lopes percebeu como lojas aumentam preço para depois reduzi-lo e dar impressão de desconto agressivo. "Não tem loja vilã, é até uma prática do mercado", opina. "Tem consumidor atento, que monitora e faz print [screen], mas queremos automatizar isso."

Entrega garantida

Outro recurso é a garantia de entrega do buscador Zoom, que tem 15 milhões de visitantes por mês. O site reembolsa em até R$ 3 mil os usuários caso a entrega não ocorra em no mínimo 30 dias e no máximo duas vezes o prazo dado pela loja. O Zoom garante que as lojas parceiras são idôneas e darão descontos reais (de 10% a 80%) na Black Friday.

O site promete forte vigilância em 2014 e tem motivos: precisou devolver R$ 130 mil a cerca de 100 clientes da extinta Blue Robot Tech no ano anterior.

o que você achou?

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Economia

PUBLICIDADE