Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

Enkontra.com
PUBLICIDADE

Adaptação

A transição do ambiente familiar para o início da vida escolar

Deixar a exclusividade do ambiente domiciliar e iniciar a vida escolar é um passo importante para a vida das crianças. Segurança emocional dos pais e confiança na instituição de ensino são alguns dos elementos que tornam a transição mais suave

  • Luan Galani, especial para a Gazeta do Povo
Crianças em fase de adaptação no Centro Municipal de Educação Infantil Isis Sanson Monte Serrat: hábitos antigos devem ser modificados gradualmente |
Crianças em fase de adaptação no Centro Municipal de Educação Infantil Isis Sanson Monte Serrat: hábitos antigos devem ser modificados gradualmente
 
0 0 COMENTE! [0]
TOPO

Ir para a escola pela primeira vez é como sair da caverna e descobrir o mundo como ele realmente funciona. A criança abandona o ambiente domiciliar, os rostos familiares e o cuidado atento da babá ou do responsável para se aventurar por um espaço completamente novo, com regras próprias e pessoas que até ontem ela desconhecia. Para que pais e filhos se acostumem à nova rotina, a adaptação – de ambos – é fator-chave.

"Ingressar na escola pela primeira vez é um divisor de águas na vida da criança. Ela parte de uma fase de relação de dependência quase absoluta dos pais para um processo de socialização e independência", explica a psicóloga Fernanda Roche, do Espaço de Desenvolvimento Criança em Foco. Por isso, os pais devem confiar na escola e transmitir tranquilidade ao filho. Do contrário, a insegurança e a ansiedade dos adultos podem atrapalhar a criança.

Uma boa adaptação começa com uma entrevista por parte da instituição sobre os hábitos da família e da criança. "Isso servirá para que, no início, o hábito antigo da criança seja respeitado e modificado gradualmente", diz Fernanda. Outro passo é a participação da família na mudança. "Os pais devem apresentar a escola para o filho e ter muito interesse sobre seu dia a dia, perguntando sobre as dificuldades da criança, indo às reuniões e olhando o material. Essa é uma boa forma de acompanhar o desenvolvimento do aluno."

Segundo Fernanda, a partir dos três anos a criança deve estar na escola. "Antes dessa idade, o ingresso dependerá se pais e filhos estão prontos para esse passo. A criança dará sinais quando estiver preparada, como ir ao colo de outros adultos sem chorar, olhar para outros ambientes com curiosidade e sair brincando em alguns ambientes desconhecidos", explica.

No caso de pais que precisam trabalhar e não têm com quem deixar o filho pequeno, o caminho é procurar um berçário ou uma creche de confiança. Na avaliação dos especialistas em educação, é melhor a criança ir para uma instituição de ensino logo cedo do que ficar em casa com alguém sem formação apropriada para prestar os devidos cuidados.

Transição

Começar um novo ano letivo na mesma escola ou trocar de colégio são transições que também exigem atenção dos pais e foco na adaptação. As dificuldades mais comuns são adquirir os hábitos coletivos da escola, conquistar um entrosamento com os novos colegas, entender a dinâmica das aulas (no caso da passagem para os anos finais do ensino fundamental ou para o ensino médio) e descobrir o espaço físico da nova instituição. A saudade dos antigos amigos também pesa.

o que você achou?

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Notícias sobre Educação

  1.  |

    Normas técnicas

    Regras da ABNT: veja as normas para monografias e trabalhos acadêmicos

  2.  | Reprodução / UFABC

    currículo

    Afro-matemática será matéria obrigatória em curso de universidade federal

  3. O experimento foi chamado de “Projeto Honestidade”. | Divulgação

    Exemplo

    Escola de Curitiba transforma lanche do recreio em teste de honestidade

PUBLICIDADE