Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

Enkontra.com
PUBLICIDADE

projeto

Jovem percorre o país em busca de bons exemplos na educação

Projeto “Transbordas” busca metodologias alternativas de ensino

  • Luiz Kozak, especial para a Gazeta do Povo
Projeto “Transbordas” visitará comunidades urbanas, rurais e ecossustentáveis por todo o país. | Divulgação
Projeto “Transbordas” visitará comunidades urbanas, rurais e ecossustentáveis por todo o país. Divulgação
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

Para além da escola, o cotidiano e os hábitos de uma comunidade também podem ser parte do processo educacional. Especialmente fora das zonas urbanas, a participação  das crianças na rotina dos adultos, em tarefas  prosaicas como a preparação de um alimento ou a fabricação de utensílios, pode ser tão importante para a aprendizagem quanto a sala de aula. 

Foi a partir dessa filosofia que o projeto curitibano “Transbordas” surgiu. Em busca de experiências de “aprendizagem transformadora”, a jovem publicitária Amanda Malucelli visitará comunidades urbanas, rurais e ecossustentáveis por todo o país.

Ela afirma que, além de observar as práticas de cada comunidade, ela pretende incentivar o diálogo sobre práticas tradicionais, mas ainda informais. “São as histórias das pessoas que vão dando forma e conteúdo para os insights surgirem e assim, é possível transformar conhecimentos que eram tácitos, abstratos, em conhecimento explícito”

Amanda acredita que resgatar valores locais, buscando a implantação dos conceitos de sustentabilidade, fará com que o processo de educação se torne mais simples e didático. 

“Percebi que, em várias ecovilas e comunidades agrícolas e urbanas que visitei, os alunos tinham problemas por causa da estrutura das escolas públicas da região. Por outro lado, essas crianças conheciam toda a fauna e flora do lugar em que moravam. Esse conhecimento é compartilhado entre gerações, entre vizinhos. É essa educação que nós queremos difundir”, afirma. 

Apesar de não ter formação na área da educação, Amanda se considera uma educadora aprendiz. “Nos grupos em que fui facilitadora, foram inúmeras experiências com pessoas dizendo que se sentiam mais abertas a aprender. Essas pessoas me perguntavam: por que não é assim na escola?”, questiona a publicitária. Ela prentende transformar a experiência em livro digital ou minidocumentário.

Itinerário 

Durante os próximos seis meses, serão visitadas dez instituições, a maioria no sul do Brasil. O projeto pretende cobrir todos os estados brasileiros, ainda sem previsão de término. 

Na primeira etapa do projeto, que começa em outubro e terminará em março de 2018, quatro instituições farão parte do itinerário: o Instituto Arca Verde, em São Francisco de Paula(RS); a Cidade Escola Ayni, em Guaporé (RS); a Escola Caminho do Meio em Viamão (RS) e a Ecovila São José em Florianópolis. 

Exemplo Internacional 

Usado como inspiração pelo ‘Transbordas’, o projeto Gaia Education surgiu em 1998 na Dinamarca. Criado e desenvolvido pela equipe internacional de educadores GEESE (Educadores de Ecovilas do Mundo para um Planeta Sustentável), o programa conta com um currículo focado em “dimensões intrínsecas da experiência humana”  de caráter social, ecológico, econômico e de visão de mundo. 

O Gaia Education tem o aval da Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) e já certificou mais de 3000 alunos em 31 países, “atuando em comunidades carentes na Índia, Israel e em centros urbanos como São Paulo”. 

No Brasil, o projeto tem o envolvimento de nove instituições de ensino superior, como a UMAPAZ (Universidade de Meio Ambiente e Cultura da Paz), a Universidade Católica de Brasília e a Universidade Federal do Rio Grande do Sul.


o que você achou?

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Notícias sobre Educação

PUBLICIDADE