Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

Enkontra.com
PUBLICIDADE

ENEM

MEC surpreende com tema de redação bem específico que pode complicar estudantes

O texto deve ser dissertativo-argumentativo, com até 30 linhas, e ser desenvolvido a partir da situação-problema

  • Murilo Basso
 |
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

Menos de dez minutos após o início das provas, marcada para 13h30, o Ministério da Educação (MEC) divulgou em sua conta no Twitter o tema da redação do Enem 2017. Neste ano, os estudantes devem escrever sobre o desafio para a formação educacional de surdos no país. Segundo o Ministério, o texto deve ser dissertativo-argumentativo, com até 30 linhas, e ser desenvolvido a partir da situação-problema.

No ano passado, o tema foi “Caminhos para combater a intolerância religiosa no Brasil”. Violência contra a mulher, publicidade infantil, lei seca e movimento imigratório também foram abordados nas últimas edições.


Ineditismo

Pela primeira vez, o Enem terá videoprovas na Língua Brasileira de Sinais (Libras). Na Videoprova Traduzida em Libras, as questões e as opções de respostas são apresentadas em Libras por meio de um vídeo. O recurso terá o mesmo número, ordem e valor de questões da prova regular, além da garantia de qualidade e normas de segurança máxima de todas as provas do Enem.

"Nós, surdos e surdas, ficamos feliz com a escolha. Já está na hora de sermos visíveis perante a sociedade, assim como a língua de sinais brasileira (Libras). É uma conquista de uma parcela significativa da população que vem lutando diariamente para ser de fato incluída", analisou Ana Regina de Souza Campello, ex-presidente da Feneis (Federação Nacional de Educação e Integração dos Surdos).

"Não basta a acessibilidade, que é um direito natural, mas os surdos e surdas são sujeitos sinalizastes e pensantes.Assim as pessoas estão motivados a conhecer mais nossas singularidades: cultura, identidade e história. Só podemos dizer que é uma conquista histórica", concluiu.


Decisão do TRF tem efeito imediato e é vitória da Associação Escola Sem Partido, mas o caso ainda pode chegar ao STF.#GazetadoPovo

Publicado por Gazeta do Povo em Quarta-feira, 25 de outubro de 2017

o que você achou?

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Notícias sobre Educação

PUBLICIDADE