Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

Enkontra.com
PUBLICIDADE

EXEMPLO

Zeladora se torna professora em escola em que se formou

Duas décadas após trabalhar como funcionária da limpeza, Ana Amélia da Silva volta à mesma escola municipal, na posição de professora

  • Agência RBS
Foi ao trabalhar na faxina da escola que Ana retomou os estudos, abandonados antes da conclusão do Ensino Fundamental. | Divulgação.
Foi ao trabalhar na faxina da escola que Ana retomou os estudos, abandonados antes da conclusão do Ensino Fundamental. Divulgação.
 
0 0 COMENTE! [0]
TOPO

Ao cruzar a porta da sala 228 da Escola Municipal de Ensino Fundamental Saint Hilaire, no bairro Lomba do Pinheiro, em Porto Alegre, a professora de história Ana Amélia da Silva, 52 anos, fechou um ciclo e imediatamente começou um novo, na semana passada. Era o mesmo lugar onde, há 15 anos, ela havia se formado na Educação de Jovens e Adultos (EJA) e se despedido da função de funcionária da limpeza da escola. 

Nomeada no mês passado pela prefeitura de Porto Alegre para assumir uma das vagas na rede municipal, Ana surpreendeu- se ao ser indicada para atuar na Saint Hilaire. Na mesma hora, um roteiro da própria vida voltou a sua memória. Foi ao trabalhar na faxina da escola que ela retomou os estudos, abandonados antes da conclusão do Ensino Fundamental. 

“Deu um arrepio entrar no lugar onde tudo começou e rever os professores que me inspiraram a mudar o meu caminho”, comenta. 

A ligação de Ana com a Saint Hilaire teve início na década de 1990, quando levava os filhos à escola. Em 1997, contratada por uma empresa terceirizada para trabalhar na limpeza da instituição, ela ficou ainda mais próxima. De tanto ajudar voluntariamente os professores na lida com os pequenos durante o recreio, passou a receber incentivos para tornar-se professora. Na época com 36 anos, a então serviços gerais inventava desculpas e fugia dos livros. 

“Dizia que não gostava de criança. Na verdade, estava com medo de recomeçar”, confessa. 

Decisão contou com o apoio da família 

Somente quatro anos depois, com a criação das séries finais da EJA na Saint Hilaire, Ana teve coragem de voltar às aulas. A decisão foi apoiada pela família e transformada em meta. Concluído o Ensino Fundamental, ela passou no concurso do Estado para ser agente educacional II e fez o Ensino Médio na EJA do Centro Tiradentes, onde trabalhava. Determinada, Ana ainda cursou outros dois anos de magistério no Instituto Estadual de Educação Paulo da Gama. 

“Não parei mais. Estava escrito: seria professora. A próxima etapa foi ingressar em História na graduação. No início da faculdade, passei em um concurso para dar aulas nas séries iniciais em Alvorada. Foi a minha primeira experiência como docente”, recorda. 

Ana já passou em seis concursos na área da educação. O mais recente foi em Porto Alegre. Pela manhã, na Saint Hilaire, ela é professora volante de 120 alunos do primeiro ciclo e atende o primeiro, o segundo e o terceiro anos. À tarde, atua como referência de uma turma do segundo ano na Escola Municipal de Ensino Fundamental São Pedro, no mesmo bairro.  

o que você achou?

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Notícias sobre Educação

PUBLICIDADE