Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

Caro usuário, por favor clique aqui e refaça seu login para aproveitar uma navegação ainda melhor em nosso portal. FECHAR
PUBLICIDADE

homenagem

Em Nova York, Moro diz que não há risco de ruptura democrática no Brasil. Leia discurso

Magistrado recebeu o prêmio de “Pessoa do Ano” da Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos

  • Kelli Kadanus
 | Facebook/João Doria
Facebook/João Doria
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

Em sua passagem por Nova York para receber o prêmio de personalidade do ano nesta terça-feira (15), o juiz federal Sergio Moro posou para fotos com o ex-prefeito de São Paulo João Doria (PSDB) e disse que não há risco de uma ruptura democrática no Brasil. O prêmio é oferecido anualmente pela Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos e o escolhido deste ano foi o juiz responsável pelas ações da Lava Jato em primeira instância, em Curitiba.

“Apesar de dois impeachments presidenciais e um ex-presidente preso, não houve e não há sinais de rupturas democráticas”, disse o magistrado em seu discurso, ao receber o prêmio. A fala faz referência aos ex-presidentes Fernando Collor (PTC) e Dilma Rousseff (PT), alvos de processos de impeachment, e à prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) na Lava Jato, depois de uma condenação do próprio Moro.

LEIA MAIS: Petistas criticam Moro na entrada de jantar de gala em Nova York

Moro também aproveitou a oportunidade para defender a necessidade de “aprofundar reformas, consolidar a democracia, retomar o desenvolvimento, dar qualidade aos serviços de educação, segurança e saúde e enfrentar a pobreza e a desigualdade”. Para o magistrado, essas coisas só serão possíveis “sem a impunidade da grande corrupção e com níveis maiores de integridade na política e no mercado”.

Moro posa para fotos com Doria

No evento, Moro também posou para fotos com Doria, que é pré-candidato a governador de São Paulo, de quem recebeu o prêmio. O tucano foi eleito a personalidade do ano no evento organizado em 2017 pela Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos.

No final de 2016, Moro foi alvo de críticas por uma foto com outro tucano: o senador Aécio Neves. Os dois foram flagrados em um momento de descontração na entrega de um prêmio da revista Isto É. Em entrevista recente à revista Cruzoé, o magistrado disse que se arrependeu da foto com Aécio, atualmente investigado em diversos casos de corrupção.

Veja a íntegra do discurso:

“Nós, como povo, fizemos muito. Nós construímos, desde a independência, um grande país - livre e democrático, pelo menos desde 1985, estável politicamente há mais de 30 anos. Apesar de dois impeachments presenciais e um ex-presidente preso, não houve e não há sinais de rupturas democráticas. A hiperinflação, que parecia uma realidade natural, foi superada e não é mais um risco provável. Políticas sociais importantes foram adotadas de forma a diminuir a extrema pobreza e a desigualdade. Há muito a ser feito, aprofundar essas reformas, consolidar a democracia, retomar o desenvolvimento, dar a qualidade aos serviços de educação, segurança e saúde e enfrentar a pobreza e a desigualdade. Criar a liberdade e a igualdade para todos. Isso tudo só é possível sem a impunidade da grande corrupção e com níveis maiores de integridade na política e no mercado. Precisamos restaurar a confiança em nós mesmos e, assim agindo, também retomaremos a confiança do mundo em nosso país. Esse é o trabalho de todos, mas especialmente dos senhores e senhoras aqui presentes, empresários, intelectuais, jornalistas, diplomatas, lideranças em seus respectivos setores. Nada de baixar a cabeça. O futuro só pode ser visto olhando acima do horizonte, então você precisa elevá-lo”.

o que você achou?

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Política

PUBLICIDADE